“Os 24 painéis de azulejos do Pinhão”

A estação ferroviária do Pinhão prima pela beleza dos seus painéis de azulejos que retratam, basicamente, a produção do vinho (e a vida  nas vindimas)  mas também as paisagens e quintas do Douro.

A estação foi construída em 1880 e os azulejos foram colocados em 1937. Os 24 painéis de azulejos têm um total de 3047 azulejos e são da autoria de J. Oliveira.

 

Santuário Nossa Senhora dos Remédios – Lamego

O Santuário de Nossa Senhora dos Remédios localiza-se na freguesia da Sé, cidade e concelho de Lamego, distrito de Viseu, em Portugal.

No topo do monte de Santo Estêvão, o santuário é atualmente parte integrante do panorama da cidade à qual está unido por um escadório cenográfico.

Desde 1984, o Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, incluindo a escadaria e parque, está classificado como imóvel de interesse público. 

História

A devoção popular no local remonta a uma capela, sob a invocação de Santo Estevão, erguida em 1361. No século XVI, ameaçando ruína, foi demolida (1568), iniciando-se a construção de um novo templo, por iniciativa do bispo de Lamego. Na nova ermida foi depositada uma imagem da Virgem com o Menino. Com o passar do tempo, a devoção a Santo Estevão diminuiu, substituída pela devoção à Virgem. A devoção dos que a ela recorriam em busca de alívio para as doenças deu origem, por sua vez, à devoção a Nossa Senhora dos Remédios.

O atual santuário foi principiado em 1750, e concluído apenas em 1950.

Caraterísticas 

O templo apresenta, em sua fachada, traços do estilo barroco e rococó. A fachada é ladeada por torres sineiras. Em sua construção foi empregada a pedra de granito. No seu interior, destacam-se o altar-mor com a imagem da Nossa Senhoras dos Remédios  esculpida em madeira, e três vitrais com as imagens de Nossa Senhora da Conceição , do Sagrado Coração de Jesus e da Anunciação.  Os dois altares laterais são dedicados aos pais da virgem. Numa das paredes do santuário encontram-se painéis de azulejos com cenas davida da Virgem.

No exterior, destaca-se o escadório monumental de acesso ao santuário, com 686 degraus, desenvolvendo-se em nove lances, ornamentados com capelas, estátuas, fontes e obeliscos. Num desses patamares – o chamado “Pátio dos Reis” -, destacam-se as imagens de dezoito reis de Israel, pertencentes à árvore genealógica da Virgem. Na base do escadório encontram-se quatro figuras alusivas às quatro estações do ano.

Museu do Douro

“O Museu do Douro, situado em Peso da Régua, pela sua natureza de museu de território é o local por excelência de acolhimento e representação da memória, cultura e identidade da região vinhateira – Douro Património da Humanidade.

A sede do Museu resultou da reabilitação da Casa da Companhia Velha, edifício emblemático da história da mais antiga região demarcada e regulamentada do mundo. Conjugando tradição e modernidade é um pólo dinâmico e integrado de acção cultural, onde se encontra uma área de exposições, centro nevrálgico do próprio edifício, o Restaurante «A Companhia», o Arquivo de Biblioteca, a Sala de Leitura e o Wine Bar com vista para o rio Douro.”

“O que ver e onde dormir”

Esta região é uma “caixinha de surpresas” e com um potencial turístico elevado.

Hoje, com o intuito de poderem descobrir mais vocês mesmos, vou deixar-vos alguns links que podem visitar e tomar a decisão de onde ficar e o que ver nesta região!

https://www.escapadarural.pt/a-fazer/tras-os-montes-e-alto-douro

https://www.vortexmag.net/14-locais-de-visita-obrigatoria-em-tras-os-montes/

https://www.odisseias.com/experiencias/lazer/tras-os-montes-e-alto-douro

Espero que gostem!