Arquivo da Categoria: Web 2.0

Ferramentas da Web 2.0 – Tutoriais




A primeira aula de TEJ I – Online despertou (e ainda bem) a curiosidade de muitos alunos para as ferramentas da Web 2.0.
Para aqueles que não querem esperar pelas demonstrações práticas, aqui fica a sugestão de visita a estes muito simples tutoriais em vídeo. Encontram lá explicações sobre redes sociais, microblogs (Twitter), RSS, bookmarking (Delicious), wikis, blogs, podcasts e muito mais.

Quem quiser saber mais sobre a ferramenta com maior crescimento de popularidade neste momento, recomendo que visitem a tag twitter no meu Delicious.






Publicado por Fernando Zamith a 07 março, 2009 19:04

Web 2.0: Inventário de recursos e experiências




José Luis Orihuela publicou recentemente no seu eCuaderno um interessante inventário de ferramentas e experiências de Web Social (ou Web 2.0).
Vale a pena consultar.

Também de Orihuela, recomendo a leitura da entrevista que concedeu à revista Monitor de Mídia da Universidade do Vale de Itajaí.

As relações entre blogs, jornalismo e tecnologia dominam a entrevista, muito centrada na emergência do jornalismo participativo e de novos modos e formatos de comunicação associados à progressiva extensão da Internet para plataformas móveis. Nesta fase, são experiências de microblogs, como o Twitter, que estão a vingar… mas já há quem tenha desistido.






Publicado por Fernando Zamith a 17 abril, 2008 09:45

Jornalismo 2.0 – Como sobreviver e prosperar




journalism20_cover_pt-br.jpg

Um livro que jornalistas e estudantes de jornalismo não podem deixar de ler. As versões em português e espanhol de Jornalismo 2.0 – Como sobreviver e prosperar, de Mark Briggs, estão disponíveis desde 14 de Dezembro. Só na primeira semana, o livro (com 134 páginas em PDF) foi descarregado gratuitamente mais de 10.000 vezes. Uma excelente iniciativa do Centro Knight para o Jornalismo nas Américas.






Publicado por Fernando Zamith a 01 janeiro, 2008 20:32

Motor de busca colaborativa nasce em Espanha




É uma notícia do Diário Digital que descobri no Do Melhor.

Gennio é um motor de busca criado em Espanha que alia o tagging à pesquisa tradicional.

“El usuario es el que valora un enlace cuando lo copia o guarda en sus favoritos o carpetas”, explicam os autores, que apresentam este serviço como “tagging social” e como “la nueva dimensión en la evolución de la web 2”.

O Gennio tem também um agregador de notícias em constante actualização, de fácil consulta por temas.

É de pensar numa experiência semelhante em Portugal.






Publicado por Fernando Zamith a 19 abril, 2006 23:11

Jornalismo Colaborativo Português na Net: Esboço de uma Lista




Se há previsão que se está a cumprir é a da cada vez maior participação cívica nalgumas fases (umas mais do que outras) da produção noticiosa, fomentada pelas ferramentas tecnológicas que todos os dias nos surgem.



Na Internet, há cada vez mais cidadãos comuns a (querer) intervir no processo jornalístico, sobretudo nas fases de redacção e difusão, mas agora cada vez mais nas fases de recolha de informação e de edição. Os blogs alargaram o debate e trouxeram a personalização, rompendo com a velha comunicação de massas.

Quase em paparelo, foram surgindo experiências de Jornalismo Amador, a que os teóricos foram dando as mais variadas designações: Jornalismo Cívico, Jornalismo Participativo, Jornalismo Colaborativo, Jornalismo Social, Jornalismo de Base. Ainda ninguém lhes deu, contudo, designações talvez também acertadas, mas mais pejorativas, como Parajornalismo (nome dado a um estilo literário) ou Jornalismo Sem Carteira Profissional. Todos estes conceitos podem dividir-se em dois grandes grupos: o do Jornalismo feito exclusivamente por não jornalistas (a designação mais consensual será Jornalismo Cívico) e o do Jornalismo feito em colaboração entre jornalistas profissionais e amadores (Jornalismo Colaborativo ou Jornalismo Participativo).

Com a Web 2.0, surgiram fenómenos como o Digging (e de alguma forma também o Tagging), que reflectem a vontade que uma (ainda pequena) parte da antiga audiência demonstra na hierarquização da informação e na paginação de sítios noticiosos cada vez mais híbridos pelo efeito dos agregadores, que representam já 30% da circulação noticiosa.

Muito mais próximas do Jornalismo Profissional, estão as experiências de ciberjornais feitos por estudantes de Jornalismo, normalmente dirigidos, coordenados e/ou editados pelos seus professores, muitos deles portadores de Carteira Profissional de Jornalista.

Em Portugal (e em Português), já há alguns exemplos destes fenómenos que importa inventariar.
O que se segue é uma lista (várias pequenas listas, para ser mais rigoroso) de experiências que podem ser classificadas nos conceitos referidos e outros conexos. É uma lista necessariamente aberta, pelo que agradeço todas as contribuições para a enriquecer (peço desde já desculpa por alguma falha “grave”). A numeração é meramente indicativa da quantidade de experiências em actividade (Não é um top… Pelo menos para já).

JORNALISMO CÍVICO

1. Wikinews
2. Gildot (dica Sérgio Nunes)

DIGGING

1. Do Melhor
2. Reddit
3. Ouvi dizer

Blog Memes (extinto em Janeiro/2006)

JORNALISMO DE ESTUDANTES DE JORNALISMO

1. JornalismoPortoNet
2. JornalismoPortoRádio
3. Urbi@Orbi
4. Notícias Universitárias

Akademia (sem actualização em 2006)
BlogReporters (extinto em Março/2006)
Webjornal (extinto?)

AGREGADORES DE NOTÍCIAS

1. Google Notícias (por motor de busca)
2. Destakes (por RSS e tags)

Linxs (extinto)

SELECÇÃO DE SERVIÇOS EM INGLÊS (abertos à participação de portugueses)

Newsvine (Jornalismo Colaborativo – Notícias da AP, digging e tagging)
digg (Digging)
del.icio.us (Tagging)
Furl (Tagging)



Publicado por Fernando Zamith a 18 abril, 2006 00:31

Web Social no Público




Recomendo a leitura do destaque de ontem do Público. Quatro páginas sobre Web Social (ou Web 2.0) quase totalmente condensadas aqui.

Ficou de fora do acesso livre uma lista de “10 sítios na nova web”. Já conhecia seis (digg; del.icio.us; coComment; You Tube; flickr; last.fm), gostei de ficar a conhecer mais duas (30 Boxes; 43 Things) e não vi grande interesse nas outras duas (Second Life; stylehive).

Podem ler aqui a entrevista integral (por e-mail, presumo) a José Luis Orihuela citada num dos textos.






Publicado por Fernando Zamith a 16 abril, 2006 23:37