Arquivo mensal: Junho 2004

Melhores trabalhos em destaque no JPN




Está a terminar o ano lectivo e com ele a primeira fase do portal/jornal online do nosso curso. Durante as férias, vão regressar à primeira página do JornalismoPortoNet (JPN) os melhores trabalhos publicados nos últimos três meses cujos temas mantenham actualidade.
Em Outubro, o JPN regressa com material novo.
Quanto ao JPN Weblog, continuará a ser actualizado no Verão sempre que se justifique, embora a um ritmo menor.
Bons exames e boas férias para todos!






Publicado por Fernando Zamith a 26 junho, 2004 15:10

Nasceu a Rosa dos Ventos




Propostas de viagens, roteiros turísticos, locais a visitar e eventos a não perder. Tudo isto podemos encontrar a partir de hoje na Rosa dos Ventos, novo blog-jornal criado por alunos do nosso curso (1º ano/turma 2).
“Dá rumo aos teus sentidos” – uma boa sugestão para as férias que se avizinham.
Apesar o fim do ano escolar, os blog-jornais vão continuar activos no Verão, podendo ser acompanhados a par e passo no nosso agregador.






Publicado por Fernando Zamith a 21 junho, 2004 10:36

Jornais online e a persistência no erro




O número de sites de jornais duplicou desde 1999 e a publicidade na Internet continua a crescer regularmente. A constatação, baseada num estudo feito em 208 países, é feita pelo director-geral da Associação Mundial de Jornais, Timothy Balding.



Na sua intervenção durante o Congresso Mundial de Jornais, a decorrer em Istambul, Balding disse que o aumento do número de sites na Internet é um dos exemplos que ilustra como «os jornais mostraram uma vontade inédita de inovar e experimentar estratégias para ganhar novos leitores.»

Balding não estaria certamente a pensar nos jornais portugueses quando disse isto. Na Internet, os jornais digitais lusitanos, bem como os sites das rádios e dos canais de televisão, parecem é apostados em afugentar os leitores.

Abrir um sítio na rede mundial e despejar para lá conteúdos fabricados para o papel ou para as ondas hertzianas, arranjar, quando muito, uns estagiários para disfarçar umas «Últimas» e dizer que se está a inovar e a pensar estrategicamente é mentira. Esta estratégia (será mais a falta dela) conduziu a generalidade dos media online portugueses ao actual estado em que se encontra: vegetativo.

No atinente ao design, navegabilidade, conteúdos próprios, multimédia, hipertexto, actualização permanente, interactividade, para nos ficarmos apenas por estes parâmetros básicos, a esmagadora maioria dos sites é francamente medíocre.

Há, certamente, razões financeiras e de sustentabilidade dos projectos que explicam, quer o fraco investimento, quer mesmo o desinvestimento total nas publicações online em Portugal.

Mas haverá aqui, também, muito do típico espírito empresarial nacional a ajudar nesta explicação: medo de arriscar, falta de visão, fraca apetência para apostar em inovação, persistência no erro, incapacidade para escolher as pessoas certas para os lugar certos e por aí adiante.

O Comércio do Porto faz hoje 150 anos lança a sua edição online, nove anos após o início da aventura do jornalismo português no ciberespaço. Consultada a «edição digital número 1» do diário centenário, o menos que se pode dizer é que está atrasada, no mínimo, uma década.

Ligações

‘Receitas de Publicidade na Imprensa Subiram em 2003’
O Comércio do Porto



Publicado por Helder Bastos a 02 junho, 2004 20:13