Arquivo mensal: Novembro 2003

Blogosfera: Bloco-notas acaba; PTbLOGGERS pára




O serviço de notificação de actualizações de weblogs portugueses Bloco-notas acabou dia 16, com críticas aos alegados plagiadores (ler “99 %” dos blogs portugueses, o que colocava o Bloco-notas como o mais completo serviço do género. Para a última lista, foram pesquisados 2.724 blogs.
Também o directório de blogs portugueses PTbLOGGERS suspendeu temporariamente a adição de novos blogs, devido a uma “reestruturação interna”. Até ao momento, estão catalogados 1.442 blogs.
Está a tornar-se cada vez mais difícil identificar os milhares de blogs feitos em Portugal, sobretudo depois da expansão resultante do lançamento dos serviços Weblog em Portugal e Blogs do Sapo.



A expressão “alegados” foi acrescentada em 08/12/2003, a pedido da equipa do blog Frescos. Esta equipa refuta aqui as acusações do Bloco-notas.



Publicado por Fernando Zamith a 26 novembro, 2003 20:41

Microsoft testa concorrente do Google News

O amigo Vítor!

Vítor Hugo Salgado não é apenas o Presidente da Associação Académica de Coimbra. Vítor Hugo Salgado é também…

o rosto mais conhecido da luta estudantil contra o aumento das propinas.
Líder persistente, fiel aos seus próprios princípios, o Vítor tem dado a cara não só pelo corpo académico que representa, mas também por todas as academias do país. Porque tem a garra e a irreverência que faltam a alguns líderes académicos do nosso país!
Uma vez mais, todas as outras universidades acusam a falta de estruturas de associativismo capazes de orientar uma luta coerente e consistente.
E uma vez mais são os estudantes de Coimbra que marcam a história do ensino superior português!

Parabéns Vítor!

Publicado por turma003 a 20 novembro, 2003 09:19

“Portugal é um país de bufos!”

Alberto João Jardim, enquanto fazia um discurso relacionado com a retirada do gado das serras da Madeira, em Santana, cidade a norte da ilha, teceu duras críticas ao Presidente da República.

Nesse discurso, Jardim reagiu à entrevista dada por Jorge Sampaio à RTP na passada segunda-feira. O Presidente da República defende a revisão “cirúrgica” da Constituição, o que, segundo o líder madeirense, vai levar o país à ruína. Alberto João acrescenta ainda que esta posição de Jorge Sampaio é uma das bandeiras do Partido Socialista. Por este motivo, o Presidente do Governo Regional da Madeira afirma que Jorge Sampaio “é o co-responsável pelos caminhos que o país está a seguir”.
Jardim afirma que “estamos em campos políticos opostos. Eu acho que a III República deu o que tinha a dar. O senhor quer celebrar no altar a missa de finados da III República. Ora celebre a missa que eu fico no adro!”
Alberto João Jardim ameaçou na última segunda-feira entrar no contencioso internacional no caso das autonomias políticas não serem previstas na Revisão Constitucional. O presidente do PSD-Madeira espera que os partidos reiterem o texto de revisão constitucional aprovado na Assembleia Legislativa Regional.
O líder madeirense critica fortemente a justiça, defendendo que “é necessário dar-lhe uma grande volta”. Apoia o ex-bastonário da Ordem dos Advogados, Pires de Lima, comparando as decisões do Ministério Público com as decisões da Pide e acrescenta que “a cultura da Pide ficou neste país”. Em relação às escutas telefónicas e às cartas anónimas afirma ainda que “Portugal é um país de bufos!”
Aliás, João Jardim defende mesmo a reestruturação completa da justiça, que passe desde logo pelo código do processo penal. O presidente do executivo madeirense diz que há uma instrumentalização de justiça por parte de certos partidos madeirenses. Esta situação flagrante tem de acabar, e segundo Jardim a culpa não é dos magistrados mas sim dos sucessivos governos, “eles estão a aplicar as leis que a covardia da classe política fez. Agora dizem ai Jesus!”
Jardim concretizou ontem os seus objectivos para evitar a desertificação das serras madeirenses. Durante 10 anos, cerca de 27 mil cabeças de gado ( cabras e ovelhas) foram retiradas dos pastos da Madeira e Porto Santo.

O que é a revisão constitucional?

A Constituição é o texto fundamental no exercício da democracia. A partir da Constituição são feitas as leis que governam o nosso país. As leis têm que obedecer sempre à Constituição.
A Assembleia da República pode rever a Constituição de 5 em 5 anos desde a última revisão. Estas revisões são ordinárias.
Também existem revisões extraordinárias se forem pedidas por maioria de 4/5 dos deputados em função na Assembleia da República.
A lei será aprovada quando pelo menos dois terços dos deputados assim o votarem.
Uma revisão constitucional não deve ser feita frequentemente, muito menos uma revisão profunda. Na verdade, sendo um texto fundamental da nossa democracia, deve ser estável pois é ele que serve de suporte a todas as leis existentes. Fazendo mudanças na Constituição, algumas leis tornam-se inconstitucionais, e essas também têm que ser mudadas.

Sites relacionados:

Jornal da Madeira
Público
RTP

Publicado por turma001 a 18 novembro, 2003 23:50

Cunhal lança polémica com artigo no “Avante”

17

Marxismo mantém inteira validade no mundo actual, afirmou Álvaro Cunhal, hoje, no jornal “Avante”. Segundo ele, os princípios marxistas respondem criativamente às mudanças do mundo e, portanto, não devem ser postos de parte.

A revolução russa de 1917, liderada por Lenine, veio contribuir para a formação de uma sociedade igualitária. Os esforços soviéticos permitiram a afirmação política das classes exploradas, dando voz aos que nunca eram ouvidos.
Pela sua importância e poder, o socialismo soviético teve repercussões mundiais. Adoptado por vários países, abriu caminho para o sucesso de outras revoluções e impulsionou a conquista de independência de alguns povos. Assumiu também um papel relevante no desabar do sistema colonial. Por outro lado, favoreceu a criação de partidos comunistas que estiveram na origem da conquista de direitos dos trabalhadores.
A luta entre capitalismo e socialismo, consequência da expansão deste, veio provocar uma alteração no equilíbrio das forças mundiais. Por várias razões, o capitalismo saiu triunfante desta luta desigual.
O sentido da globalização, imposta e comandada pelos Estados Unidos, reside, precisamente, no capitalismo como sistema único e final. País esse que, em resposta aos ataques terroristas do 11 de Setembro, pagou na mesma moeda.
A questão que se coloca é, então, se existe defesa possível contra o imperialismo americano, cada vez mais imponente.
Para Cunhal existe e concretiza-se a vários níveis. Por um lado, na firmeza e confiança dos países comunistas e revolucionários. Por outro, nos movimentos patrióticos e noutros movimentos progressistas de massas. E por fim, mas não menos importante, na defesa dos direitos e interesses dos trabalhadores pelos sindicatos. Estes devem persistir incansavelmente na sua luta.
São estes os meios de defesa contra o domínio mundial capitalista, que resultaria no fim das ideologias e na imposição do pensamento único.
Contudo, isso não passa de uma utopia da ofensiva global do capitalismo uma vez que a ideologia e o pensamento dos explorados será sempre oposta à dos exploradores, portanto esta luta será incessante.

Cristina Freitas e Diana Silva

Publicado por turma003 a 17 novembro, 2003 11:36

Passos na Invicta completa leque de novos blog-jornais




O Passos na Invicta, roteiro jornalístico sobre a cidade do Porto, já está activo.
Fica completo este ciclo de criação de novos blog-jornais do curso, que em pouco mais de duas semanas já adquiriu uma dinâmica assinalável.
Com 36 entradas (posts) e 41 comentários, o Pipoca Blog assume-se como o nosso blog-jornal mais activo, fruto de um trabalho de equipa que melhora de dia para dia.

Desde 30 de Outubro, foi esta a actividade dos weblogs do curso:

Pipoca Blog – 36 entradas/41 comentários
Muita Letra – 26/3
A Tenda dos Índios – 19/26 (total: 80/73)
Arte_Factos – 17/12 (54/100)
JornalismoPortoNet – 13/2 (287/68)
E-Zoo – 10/0
Rasganço – 6/11
Blogoscópio – 3/5
Passos na Invicta – 3/0

Inactivos:
Oubelá.com – (39/29)
Palco – (34/58)






Publicado por Fernando Zamith a 16 novembro, 2003 17:30