Dossier Minho: Forte da Ínsua




Após sofrer obras de conservação e manutenção em 2001, o Forte da Ínsua é um dos monumentos mais atractivos que se podem encontrar ao longo do rio Minho. Situado na foz do rio, numa ilha rochosa, permite-nos visualizar uma extensa área do estuário do Minho.



Fortaleza de planta em forma de estrela irregular, formada por 5 baluartes, o Forte da Ínsua chega a atingir nalguns pontos os 2.80m, permitindo algumas vistas fabulosas, como se pode ver aqui.
Implantado numa pequena ilha rochosa, situada a sudoeste da foz do rio Minho, a cerca de 200 m. da costa portuguesa, o acesso ao Forte é feito por barco, desde a praia de Moledo.
Além deste atractivo, o Forte da Ínsua tem ainda uma história muito rica. A primeira construção na Ilha da Nossa Sra. da Ínsua foi precisamente o convento de Santa Maria da Ínsua, situado no interior do Forte, e que data do século XV. O convento terá sido inicialmente ocupado por religiosos galegos e asturianos, desgostosos por Castela apoiar o Papa de Avignon, aquando do Grande Cisma do Ocidente. No início do século XVII o Forte é alvo de ataques de corsários Ingleses e de piratas Luteranos, na sequência dos quais o Convento é praticamente abandonado. Assim, entre 1649 e 1652 inicia-se a construção da fortaleza, sendo que as obras se prolongaram pelos séculos XVII e XVIII, com sucessivas alterações. A partir do momento da fortificação da ilha, a convivência entre o clero e a ordem militar foi sempre difícil. Em 1834 as ordens religiosas abandonam definitivamente a ilha.
Actualmente, o Forte da Ínsua encontra-se sob a tutela do IPPAR (Instituto Português do Património Arquitectónico), tendo beneficiado, em 2001, de obras de conservação e manutenção do conjunto edificado, nomeadamente de consolidação dos paramentos interiores da fortificação.
O forte da Ínsua constitui um dos principais pontos de atracção turística do norte de Portugal.

João Oliveira
Sónia Araújo



Publicado por turma012 a 08 janeiro, 2003 12:13