Arquivo da Categoria: Sem categoria

Legislativas 2019: Rates (Porto) mantém-se fiel ao laranja

Rates, freguesia da Póvoa de Varzim, dá novamente vitória ao PSD. Círculo Eleitoral do Porto rende-se aos Socialistas. Vitória nacional do PS.

Com  51,56% dos votos, Rates dá novamente vitória aos Sociais Democratas, contribuindo assim para a eleição de 15 deputados do PSD, no círculo do Porto. A freguesia é fiel ao PSD desde que há memória, porém o resultado destas Legislativas contrasta com o de 2015, ano em que coligação do PSD com o CDS convenceu 69,68% do eleitorado.

Em segundo lugar ficou o PS com 23,42%, seguindo-se o CDS (9,92%), o Bloco de Esquerda (5,03%) e o PAN (1,91%). Nenhum dos restantes partidos obteve mais de 1,5% dos votos. Contabilizaram-se, ainda 2,14% de votos Brancos e 0,99% de Nulos, numa terra em que a adesão às Urnas foi de 59,26%.

O Concelho da Póvoa de Varzim mantém a cor laranja em todas as freguesias, contrastando com o resultado distrital que dá a vitória aos Socialistas por 5,49 pontos percentuais sob o PSD de Rui Rio.

A nível nacional, a vitória é do PS, mas António Costa não alcança a maioria absoluta.

Mariana Figueiredo

 

 

Legislativas 2019 (Leça da Palmeira)

LEGISLATIVAS 2019: UNIÃO DE FREGUESIAS DE MATOSINHOS E LEÇA DA PALMEIRA (PORTO)

 

Ao contrário do que se passou nas Legislativas 2015, este ano, o Partido Socialista foi o mais concorrido na União de Freguesias de Matosinhos e Leça da Palmeira, com 35,27% dos votos. O PSD, líder anterior, não ficou muito atrás, com 32,41%.

            Numa Freguesia com uma total de cerca de 50 000 habitantes, a percentagem de abstenção nas Legislativas 2019, bateu recordes. Em quatro anos, mais 4% de recenseados optaram por não exercer o direito ao voto, dando assim origem a uma abstenção de 40,16% este ano.

            Contudo, Matosinhos e Leça da Palmeira não fugiram à regra. Esta troca no cimo da pirâmide entre o PS e o PSD de 2015 para 2019, foi regra geral, o que deixou com que o cabeça de lista do PS, António Costa, ficasse mais um mandato no poder como Primeiro-Ministro.

Pedro Sousa, Presidente desta União de Freguesias e membro socialista, ainda não prestou qualquer tipo de declarações referentes aos resultados das Legislativas 2019.

           

Legislativas 2019: PS vence na freguesia de Vila Flor (Bragança)

Os votos estão contados e as decisões tomadas. Na Freguesia de Vila Flor e Nabo (Bragança)  cerca de 1113 eleitores saíram à rua para votar. Isto significa que houve uma afluência ao direito ao voto de pouco mais de metade dos inscritos. 

Os resultados das legislativas 2019 na freguesia transmontana mostram-se semelhantes aos  resultados de 2015. O PS  manteve-se na frente com 39.71% dos votos, no entanto o Partido Social Democrata continuou próximo do opositor com 38.27%. Em 2015 a diferença não chegou a 1 ponto percentual.

O Bloco de Esquerda, cada vez mais, consegue maior representatividade com um aumento de 2,47 pontos percentuais.

É possível verificar resultados dispares comparando os resultados da freguesia vilaflorense com a capital de distrito, Bragança. Tento em conta as 39 freguesias do distrito, o partido mais votado foi o PPD/PSD com cerca de 6279 votos (40.12%) de um total de 15.649 votantes.

Apesar dos 21 partidos que estiveram a votos este Domingo, 6 de Outubro, foram apenas três os deputados eleitos no distrito de Bragança: o PPD/PSD com 2 eleitos ( Adão José Fonseca e Isabel Maria Lopes) e o PSD com 1 eleito (Jorge Manuel Nogueira Gomes).

#legislativas2019 # VilaFloreNabo #resultados #Bragança #deputados

Soraia Amaral

Legislativas 2019: Macieira de Sarnes afasta PSD e dá vitória aos socialistas (Aveiro)

Na freguesia de Macieira de Sarnes, as eleições legislativas tiveram resultados bastante diferentes dos de há quatro anos. O partido vencedor a nível nacional atraiu também a maioria dos macieirenses no domingo passado.

Em Macieira de Sarnes o PS foi o vencedor das eleições legislativas. 41,01% foi a percentagem de votos a favor dos socialistas, superior à nacional, 36,65%. Verifica-se, assim, uma mudança nos líderes da tabela. Apesar de há quatro anos Macieira ter dado a maioria dos votos aos sociais-democratas (38,06%), reduzindo, portanto, a margem para o PS, este ano inverteu o cenário. O PSD conseguiu apenas 27,5% do eleitorado da freguesia, afastando-se 13,5 pontos percentuais do seu adversário socialista.

Seguidamente, os partidos Bloco de Esquerda e CDU foram os mais votados, com 13,8% e 5,23%, respetivamente. O PAN foi o quinto partido mais votado nesta pequena freguesia de Oliveira de Azeméis, onde conseguiu 3,52% dos votos, percentagem que o deixou à frente do CDS. Situação que não se verificou a nível nacional. A adesão ao partido Pessoas Animais e Natureza acentuou-se desde 2015. Nas últimas legislativas era o sexto partido mais votado e agora conta já como número cinco.

É de notar que o Partido Democrático Republicano (PDR) sofreu uma grande queda nos votos dos macieirenses. O partido que ocupava a quinta posição em 2015, caiu este ano oito lugares na lista.

No distrito de Aveiro, a vitória do PS também se verificou, bem como os sociais-democratas se mantêm em segundo lugar neste círculo eleitoral. Contudo, a disparidade entre os dois partidos não é tão evidente quanto na freguesia supracitada. Na verdade, a diferença percentual que os separa não chega a um ponto.

Há que mencionar que, apesar de este círculo eleitoral não ter eleito nenhum deputado do partido Chega, registou 2.600 votos a favor da extrema-direita e, em Macieira de Sarnes, apenas três desses votos.

Em Aveiro, o CDS conseguiu uma percentagem superior à do CDU e do PAN, posição contrária à que se verifica na freguesia de Macieira. A Iniciativa Liberal conseguiu cerca de 1% dos votos e os restantes partidos não conseguiram sequer alcançar essa percentagem. O Juntos Pelo Povo – JPP – foi o partido menos votado, registando somente 0,07%.

Aveiro enviou 16 deputados em sua representação à Assembleia da República. Sete deles são socialistas (Pedro Santos, Cláudia Santos, Carlos Brandão, Porfírio Silva, Susana Correia, Hugo Oliveira, Joana Pereira). Seis pertencem ao PSD (Ana Santos, António Topa, Helga Correia, Bruno Coimbra, Nuno Neves, Carla Madureira) e dois ao BE (Moisés Ferreira, Nelson Peralta). Por fim, o círculo eleitoral de Aveiro elegeu um deputado do CDS, João Almeida. Podemos apontar o facto de em 2015 Aveiro ter eleito deputados de apenas três grupos partidários – PSD, PS e BE.

 

Abstenção

No círculo eleitoral de Aveiro, cerca de metade do eleitorado não exerceu o seu direito ao voto (45,45%), acompanhando a tendência nacional. Em Macieira de Sarnes, porém, a abstenção foi mais reduzida, 38,29%.

A tendência do abstencionismo desde há quatro anos é ascendente. Tanto no distrito de Aveiro, como em Macieira de Sarnes, ou mesmo a nível nacional, a percentagem de eleitores que faltou às votações cresceu cerca de dois pontos percentuais.

 

Felícia Oliveira

Legislativas 2019: PS vence na freguesia de Santa Marinha

Imagem: santamarinhaeafurada.pt

O partido de António Costa liderou as eleições na união de freguesias de Santa Marinha e São Pedro da Afurada, no concelho de Vila Nova de Gaia, Porto.

Embora tenha vencido as legislativas de 2019 sem maioria absoluta,  foi o PS que alcançou o primeiro lugar nesta freguesia, pertencente ao círculo eleitoral do Porto , à semelhança das legislativas de 2015. Assim, o partido socialista conquistou 36.49% da população votante (35,67% em 2015), num total de 58,36%.

Em segundo lugar ficou o PSD, com 26.30% (31,18% em 2015, em coligação com o CDS), seguido do Bloco de Esquerda com 13,29% (13,61% em 2015). Também o PCP-PEV e o PAN demonstraram a preferência dos eleitores da região, com 6,45% e 4,20% (2,13% em 2015) dos votos, respetivamente.

Conhecidos os resultados das legislativas de 2019, vimos que o círculo de eleitores do Porto elegeu um total de 40 deputados, mais um do que em 2015. O PS ocupa o topo da lista com 17 deputados eleitos, entre eles Alexandre Tiedtke Quintanilha e Rosário Gamboa, somando mais 3 do que em 2015. Já o PSD, apresentou uma queda de 2 deputados e conta agora com 15, entre eles Hugo Carvalho e Rui Rio. Abaixo, estão o Bloco de Esquerda e o PCP-PEV que perderam um deputado relativamente às últimas eleições legislativas. O BE tem agora 4 lugares reservados para os portuenses no parlamento, nomeadamente para Catarina Martins e José Soeiro, já o PCP conta com apenas 2, Diana Ferreira e Ana Mesquita.

A abstenção nas eleições de 6 de outubro, na freguesia de Santa Marinha e S. Pedro da Afurada, ultrapassou os votos do partido vencedor, com uma percentagem de 41.64%, um aumento de 2,62 pontos percentuais relativamente a 2015.

Telma Brochado

Legislativas 2019: PS consegue maioria em Santo Tirso (Porto)

 

Partido Socialista inverte os resultados de 2015 e vence as eleições legislativas de 2019 na União das Freguesias de Santo Tirso.

Nas eleições legislativas de 2019, o Partido Socialista (PS) conseguiu obter mais votos na União das Freguesias de Santo Tirso, Couto (Santa Cristina e São Miguel) e Burgães, o que representou uma viragem nos resultados das últimas eleições, já que habitualmente é o Partido Social-Democrata (PSD) que consegue os melhores resultados.

Localizado numa zona rural, a meia-distância entre Porto e Braga, o município de Santo Tirso é uma região com uma implantação religiosa muito forte e, consequentemente, de grande conservadorismo político.

Por isso, ao longo dos anos, Santo Tirso tem sido um bastião Social-Democrata e é a terra natal de algumas figuras proeminentes do PSD, como por exemplo Mário Montalvão Machado ou Eurico de Melo, ambos fundadores do partido e que desempenharam cargos importantes em vários governos.

Fruto dessa influência, o PSD sempre obteve resultados eleitorais muito fortes nesta região e mesmo depois do governo de Passos Coelho/Troika, o resultado foi favorável ao partido.

Curiosamente, no âmbito das eleições autárquicas, tem ocorrido a chamada “alternância democrática” em que o PS e o PSD vão-se revezando no comando dos destinos do município.

Entretanto, em 2019 a tendência dos últimos anos nas eleições legislativas alterou-se, levando à vitória do Partido Socialista com uma de percentagem 42,30%, resultado que representa uma subida bastante relevante comparativamente a  (36,53%).

O PSD por outro lado, que em 2015 fez uma coligação com o Partido Popular (CDS-PP), desceu a percentagem de votos em mais de 10%. O resultado do partido foi de 29,07% ocupando o segundo lugar na lista de mais votados.

Em resultado a estas votações foram eleitos 39 deputados no distrito do Porto. O PS conseguiu eleger 14 deputados tais como Alexandre Quintanilha, José Luís Carneiro e Maria Isabel Coelho Santos e o PSD conseguiu igualmente 14 deputados como por exemplo José Pedro Aguiar-Branco, Marco António Costa e Emília de Fátima Moreira Santos.

Leonor Faria

Legislativas 2019: PSD mantem liderança em São Pedro Fins (Porto)

Related image

Na freguesia de São Pedro Fins, conselho da Maia, o PSD saiu vencedor com cerca de 38% dos votos, quatro pontos percentuais acima do PS, que ficou em segundo lugar. O partido de Rui Rio consegue manter a liderança. 

Apesar da vitória a nível nacional, o PS não conseguiu alcançar o primeiro lugar nesta freguesia, tendo apenas 34% dos votos. Em terceiro lugar ficou o Bloco de Esquerda com quase 9% seguido do PAN com 3,7% e a CDU com 3,6%. Foram vários os partidos com apenas um voto, mas que ainda assim superaram o MAS e o PPM que não conseguiram obter nenhum.

Em 2015 os resultados foram mais favoráveis para o PSD que foi capaz de obter quase 45% dos votos, já o PS conseguiu uma subida de sete pontos percentuais comparativamente a 2015. Os três primeiros conseguiram manter a posição, no entanto a CDU foi ultrapassado pelo PAN em relação às últimas legislativas.

Relativamente aos resultados do distrito do Porto são várias as diferenças, nomeadamente o vencedor, que no Porto foi o partido de António Costa, seguido do PSD, Bloco de Esquerda e em quarto a CDU. Outra diferença a destacar é a percentegem de abstenção que chegou a cerca de 41%, ultrapassando a de S. Pedro Fins foi de apenas 36%.

No círculo eletoral do Porto foram eleitos 40 candidatos sendo a maioria do PS (17 eleitos) entre os quais Alexandre Quintadilha e Maria Lopes de Carvalho. Hugo de Carvalho e Rui Rio vão ser dois dos quinze candidatos a representar o PSD. Catarina Martins, porta-voz do partido, foi uma dos quatro deputados eleitos do Bloco de Esquerda. Por parte do CDU temos Diana Ferreira e Ana Mesquita. Já o PAN e o CDS elegeram apenas um deputado sendo elas Bebiana Cunha e Cecília Meireles respetivamente.

Maria Inês Carvalho (turma 2)

 

 

Legislativas 2019: PSD vence na freguesia de Paranhos (Porto)

Com a apuração dos votos das 243 freguesias pertencentes ao distrito do Porto. PS vence com 36,65% nas legislativas de domingo, contrariando as Legislativas de 2015 aonde foi o segundo mais votado do Distrito.

Em oposição aos resultados que colocam PS como vencedor das legislativas de 2019, por maioria absoluta. A freguesia de Paranhos pertencente ao conselho do Porto segue fiel ao PSD em mais um ano eleitoral.

Com o aumento da porcentagem de abstenções e a queda no número de votos nulos e brancos. Os dados apontam que 8.396 eleitores da freguesia votaram no PSD, em relação a 7.973 do PS partido eleito.

Em terceiro lugar nas pesquisas segue o BE com 3.000 votos, em contrapartida esse ano CDU assume a posição de quarto mais votado pela freguesia com 1.624 votos.

Maryanna Oliveira

Legislativas 2019: Resultados de São Cosme, Valbom e Jovim (Porto)

Já com as urnas fechadas e todos os votos contados, verificou-se que na união de freguesias de Gondomar (São Cosme), Valbom e Jovim as escolhas dos eleitores não se desviaram muito daqueles que foram os resultados a nível nacional e distrital.

No domingo, foi dia de somar todos os votos das mais de três mil freguesias portuguesas. A união de freguesias de Gondomar (São Cosme), Valbom e Jovim é uma delas e faz parte do concelho de Gondomar e do distrito do Porto.

O circulo eleitoral do Porto foi o que elegeu o segundo maior número de deputados – quarenta – menos oito do que Lisboa. Nestas legislativas, o Porto elegeu dois cabeças-de-lista: Catarina Martins do Bloco de Esquerda, e Rui Rio, antigo presidente da Câmara Municipal do Porto e atual presidente do PSD. A lista dos deputados eleitos por outros circulos eleitorias pode ser consultada aqui.

Neste distrito a diferença entre os sociais democratas e o PS foi menor do que no resto do país. O PS arrecadou 36,65% dos votos em ambos os casos, mas o PSD teve 31,16% das escolhas dos eleitores no Porto, percentagem superior aos 28,95% verificados em território nacional.

Na união de freguesias Gondomar (São Cosme), Valbom e Jovim a ordem dos quatro partidos mais votados foi igual à que se verificou a nível nacional. No entanto, o PS, PSD e CDS-PP arrecadaram uma menor percentagem nestas localidades do que na totalidade do distrito do Porto.

Nestas freguesias gondomarenses, o Bloco de Esquerda e o PCP perderam eleitores em comparação com as legislativas de 2015. No entanto, estes partidos e o PAN conseguiram uma maior percentagem de votos nestas localidades do que na totalidade do distrito do Porto.

Em São Cosme, Valbom e Jovim, os dois partidos que viram a sua base de eleitores crescer mais das últimas legislativas para estas foram o PS e o PAN. Os socialistas tiveram mais 3 pontos percentuais este ano e o PAN verificou um aumento em mais do dobro de votos, passando de 1,83% para 4,19%. Aliás, o Partido Animais e Natureza arrecadou mais votos do que o CDS nestas localidades.

Na união de freguesias, a seguir ao CDS, a Iniciativa Liberal e o LIVRE ocuparam o lugar de sétimo e oitavo partidos mais votados. Seguiu-se, por ordem, o RIR, o PTCP-MRPP e o CHEGA!. No circulo eleitoral do Porto, o partido de André Ventura também alcançou um número de votos abaixo da média nacional. No entanto, ficou só atrás da IL, do Livre e do RIR a nível distrital.

58,88% dos eleitores destas freguesias votaram, um número que não se distancia da taxa de participação de 58,59% dos eleitores a nível distrital. Mesmo assim é uma descida comparado com os resultados da união de freguesias nas legislativas de há quatro anos atrás (60,38% de taxa de participação).

João Norte

 

Legislativas 2019: PSD vence em Fajões (Aveiro) em luta acesa com PS

 

 

 

 

 

Ao olhar em detalhe para a freguesia de Fajões, no distrito de Aveiro, verifica-se que o PSD foi o partido mais votado, seguido do partido socialista. O Bloco de esquerda surge na terceira posição.

Na vila pertencente ao concelho de Oliveira de Azeméis manteve-se a tendência das eleições legislativas de 2015 com o PSD a assegurar a vitória com 36,60%, equivalente a 546 votos.  Uma diferença de 42 eleitores para a segunda força política mais votada na freguesia fajoense, o partido socialista, que registou menos 2,82 pontos percentuais, recolhendo 33,78% das intenções de voto.

O Bloco de Esquerda reforçou a sua posição de terceira força política de maior relevância ao registar 8,85%, mais 1 ponto percentual face às eleições de 2015. O partido com maior representatividade a seguir ao de Catarina Martins foi o CDS, liderado por Assunção Cristas, conquistando 5,83%.

De salientar ainda que o PAN foi o partido que mais cresceu relativamente às legislativas anteriores, alcançando uns inéditos 2,61%, face aos 0,51% de há quatro anos. Em sentido contrário, encontra-se a CDU que registou uma descida de 1,44 pontos percentuais quando comparada a 2015, fixando-se nos 2,35%.

No panorama dos partidos sem representação parlamentar, destaca-se o RIR, cujo líder é Vitorino Silva, e o Livre. O primeiro reuniu 1,54%, ficando à frente de partidos que conseguiram eleger um deputado à Assembleia da República como é o caso da Iniciativa Liberal, ao passo que o segundo obteve 0,74%.

É ainda de destacar que a taxa de abstenção se situou nos 45,09%, inferior à média nacional (45,49%), tendo sido possível contabilizar 1492 de 2717 votantes, o equivalente a 54,91% dos eleitores.

No que concerne aos resultados eleitorais do distrito de Aveiro verifica-se que o PSD foi o partido mais votado em nove concelhos (Aveiro, Arouca, Albergaria-a-Velha, Anadia, Ílhavo, Oliveira do Bairro, Murtosa, Sever do Vouga e Vagos), menos nove do que em 2015, quando concorreu coligado com o CDS-PP.

Quanto ao PS, venceu na Mealhada, único concelho do distrito onde tinha vencido em 2015, e em mais nove concelhos (Águeda, Oliveira de Azeméis, Ovar, Feira, Espinho, Estarreja, Castelo de Paiva, Vale de Cambra e São João da Madeira).

Assim, de 147 freguesias apuradas no distrito de Aveiro, o PS ficou pela primeira vez na última década à frente do PSD, passando a ser o partido mais votado neste círculo, num total de quatro eleições legislativas. Os socialistas asseguraram sete deputados, com 34,31%, (27,91% em 2015), contra os seis deputados dos sociais democratas, para 33,55% dos votos.

Desde 2009 que o PSD se fazia impor em Aveiro, tendo, inclusive, em 2015 chegado a eleger, coligado com o CDS, uma dezena de deputados (48,14%), comparativamente com apenas cinco do PS. Desta vez os socialistas recuperaram dois assentos parlamentares no distrito de Aveiro.

O Bloco de Esquerda foi outro dos vencedores da noite eleitoral, ao reforçar a sua votação de 9,6% para 9,96%, conseguindo passar de um para dois deputados pelo círculo de Aveiro. O CDS, com 5,69%, assegurou um lugar no Parlamento.

A CDU também sofreu uma queda, perdendo 5.300 votos relativamente a 2015, e falhou mais uma vez a meta de eleger o primeiro deputado pelo distrito aveirense.

No diz respeito aos deputados eleitos por cada um dos partidos, o PS elegeu Pedro Nuno Santos, Cláudia Cruz Santos, Filipe Neto Brandão, Porfírio Silva, Susana Correia, Hugo Oliveira e Joana Sá Pereira. Quanto aos ao PSD apostou em Ana Miguel Santos para cabeça de lista, António Topa, Helga Correia, Bruno Coimbra, Nuno Neves e Carla Madureira.

Por sua vez o Bloco de Esquerda escolheu Moisés Ferreira e Nelson Peralta como seus representantes. Já o CDS-PP reelegeu João Almeida, fazendo um total de 16 deputados eleitos.

 

Fábio Lopes