Aquivos por Autor: turma3

Grupo de oitos suspeitos de crimes de furto qualificado e tráfico de armas detidos hoje pela Polícia Judiciária de Lisboa

Seis homens e duas mulheres foram detidos na manhã desta sexta feira, pela Polícia Judiciária de Lisboa. Em causa, estão fortes indícios da prática de crimes de furto qualificado e de posse e tráfico de armas proibidas.

Os detidos com idades compreendidas entre os 18 e os 70 anos fazem parte de um grupo criminoso que reside e atua na zona de Salvaterra de Magos e se dedica ao furto de residências, estabelecimentos comerciais e industriais e de viaturas de transporte de mercadorias.

A investigação do caso iniciou-se em 2019, na sequência de informações que davam conta da atividade dos visados na zona rural em que residem e além das detenções foram efetuadas buscas domiciliárias às residências utilizadas pelo grupo. Nas mesmas a Polícia Judiciária em colaboração com a GNR procedeu à recuperação de inúmeros objetos provenientes dos furtos realizados e à apreensão de armamento.

Os detidos vão ser agora presentes, a primeiro interrogatório judicial, no qual serão sujeitos à aplicação de medidas de coação pela sua atividade criminosa.

 

Catarina Afonso Santos (up202008174) – Turma 3

Detido 8 Suspeito na Operação “Bandoleiros”

Foi detido um grupo de oito pessoas pela Polícia Judiciário, entre 18 e 70 anos, por crimes de furto qualificado. A investigação iniciou-se em 2019, na sequência de informações que davam conta da atividade do grupo naquela zona rural que, no entanto, raramente era denunciada pelas vítimas ou, por temerem represálias, uma vez que os suspeitos também ali residiam e eram conhecidos. Os detidos faziam parte dum grupo criminoso, agora desmantelado, que residia e atuava na região da Lezíria do Tejo, na zona de Salvaterra de Magos, e se dedicava ao furto em residências, em estabelecimentos comerciais e industriais e em viaturas de transporte de mercadorias, locais de onde roubavam, entre outros bens, eletrodomésticos, produtos agrícolas, maquinaria, detergente, cobre e combustível, incluindo aquele que as viaturas pesadas continham no depósito. Além das detenções, foram efetuadas nove buscas domiciliárias nas residências utilizadas pelos visados, onde se procedeu à recuperação de uma multiplicidade de bens e valores provenientes dos roubos, nomeadamente televisores, frigoríficos, micro-ondas, geradores, motosserras, corta-sebes, embalagens de detergente e treze jerricans de 20 litros com combustível, entre outros objetos. Na operação, a qual contou com a colaboração de equipas cinotécnicas da Guarda Nacional Republicana, foram, igualmente, apreendidas oito espingardas, caçadeiras e carabinas, dois revólveres, mais de quatrocentas munições de diversos calibres e várias armas brancas. Os detidos, sem ocupação profissional, vão ser presentes, hoje (sexta feira), a primeiro interrogatório judicial, no qual serão sujeitos à aplicação das medidas de coação processual adequadas. Com esta ação, a Polícia Judiciária considera ter desarticulado uma atividade delituosa permanente, particularmente danosa e progressivamente inquietante, sobretudo para a população daquela zona.

Vanita Assote

Oito suspeitos por crimes de furto qualificado, detenção de arma proibida e tráfico de armas

Oito suspeitos foram identificados e detidos hoje na região da Lezíria do Tejo por tráfico de armas, detenção de arma proibida e indícios de pratica de crimes de furto qualificado.

A Polícia Judiciária identificou e deteve oito suspeitos que participavam de um grupo criminoso responsável pelo furto em residências, em estabelecimentos comerciais e industriais e em viaturas de transporte de mercadorias.

Formado por seis homens e duas mulheres com a idade entre 18 e 70 anos, furtavam, entre outros bens, eletrodomésticos, produtos agrícolas, maquinaria, detergente, cobre e combustível, incluindo aquele que as viaturas pesadas continham no depósito.

Durante a operação, foram apreendidas oito espingardas, caçadeiras e carabinas, dois revólveres, mais de quatrocentas munições de diversos calibres e várias armas brancas.

Foram efetuadas também, buscas domiciliárias nas residências utilizadas pelos suspeitos, onde se procedeu à recuperação de bens e valores anteriormente furtados, tais como, televisores, frigoríficos, micro-ondas, geradores, motosserras, corta-sebes, embalagens de detergente e treze jerricans de 20 litros com combustível, entre outros objetos.

Dois anos atrás (2019) foi iniciada a investigação, por informações relativas à atividade do grupo naquela zona rural, que no entanto, não era denunciada pelas vitimas, uma vez que o grupo ali residia, causando medo. A Polícia Judiciária considera ter desarticulado uma atividade delituosa permanente, particularmente danosa e progressivamente inquietante, sobretudo para a população daquela zona.

Hoje, ocorrerá o primeiro interrogatório judicial, para aplicação das medidas necessárias de coação processual adequadas, e os detidos estarão presentes.

Igor Fernandes Moraes.

Turma 3 – 202000633

Grupo suspeito de cometer atividades criminosas é detido no Alentejo

A Polícia Judiciária (PJ) identificou e deteve um grupo criminoso na região da Lezíria do Tejo, no Alentejo, nesta sexta feira. As detenções se deram pelos indícios de dezenas de crimes de furto qualificado, detenção de arma proibida e tráfico de armas. 

Na operação em colaboração com as equipas cinotécnicas da GNR, responsável pelo uso de cães treinados para auxiliar na intervenção, foram apreendidas oito espingardas, caçadeiras e carabinas, dois revólveres, mais de quatrocentas munições de diversos calibres e várias armas brancas.

O grupo era composto por oito integrantes, dos quais seis homens e duas mulheres, com idades entre os 18 e 70 anos, residia e atuava na região da Lezíria do Tejo, na zona de Salvaterra de Magos.

Os detidos se dedicavam ao furto em residências, em estabelecimentos comerciais e industriais e em viaturas de transporte de mercadorias, locais de onde furtavam eletrodomésticos, produtos agrícolas, maquinaria, detergente, cobre e combustível, incluindo aquele que as viaturas pesadas continham no depósito.

Além das detenções, foram efetuadas nove buscas nas residências dos suspeitos, onde se recuperaram bens e valores provenientes dos furtos, nomeadamente televisores, frigoríficos, micro-ondas, geradores, motosserras, corta-sebes, embalagens de detergente e treze jerricans de 20 litros com combustível, entre outros objetos.

A investigação teve início em 2019 com informações sobre as possíveis atividades do grupo na região, entretanto, não haviam denúncias pelas vítimas pois essas temiam represálias devido ao grupo morar na região.

Segundo a PJ, foi possível desarticular uma atividade delituosa danosa para a população daquela zona.

Os detidos vão ser presentes, hoje, a primeiro interrogatório judicial, no qual estarão sujeitos à aplicação das medidas de coação processual adequada. 

Operação “Bandoleiros”: PJ detém oito suspeitos na zona rural de Santarém

A Polícia Judiciária deteve hoje seis homens e duas mulheres, suspeitos de fazerem parte dum grupo criminoso. Os detidos são acusados de dezenas de crimes e atuavam na região da Lezíria do Tejo.

Os visados têm entre 18 e 70 anos e se dedicavam ao furto em residências, estabelecimentos comerciais e industriais e em viaturas de transporte de mercadorias na zona de Salvaterra de Magos. A investigação iniciou-se em 2019 e demorou a concluir-se devido ao facto de que a atividade do grupo raramente era denunciada pelas vítimas. Estas temiam represálias, uma vez que os suspeitos eram conhecidos na região.

Na operação, a qual contou com a colaboração da GNR, foram efetuadas nove buscas domiciliárias em residências utilizadas pelos detidos. Estas resultaram na recuperação de diversos bens e valores provenientes dos furtos.  Também foram apreendidas espingardas, revólveres, munições de diversos calibres e armas brancas.

Os visados, todos sem ocupação profissional, serão interrogados hoje e devem ser acusados por furto qualificado, detenção e tráfico de armas proibidas.

Todas as informações podem ser encontradas no comunicado de imprensa publicado pela PJ.

Maria Gabriella Soares – Turma 3 – up202006349

Operação “Bandoleiros” detém grupo de 8 criminosos

Polícia Judiciária detém oito indivíduos na região da Lezíria do Tejo por dezenas de crimes cometidos.

A PJ identificou e deteve seis homens e duas mulheres, com idades compreendidas entre os 18 e os 70 anos, por fortes indícios da prática de crimes de furto qualificado, detenção de arma proibida e tráfico de armas.

Os detidos faziam parte dum grupo, que residia e atuava na região da Lezíria do Tejo. O grupo dedicava-se ao furto em residências, em estabelecimentos comerciais e industriais. Utilizavam viaturas de transporte de mercadorias e furtavam entre outros bens, eletrodomésticos, produtos agrícolas, maquinaria, detergente, cobre e combustível.

A investigação iniciou-se em 2019, graças a informações que davam conta da atividade do grupo naquela zona rural.  No entanto, estas atividades eram dificilmente denunciadas pelas vítimas, por temerem represálias, uma vez que os suspeitos também ali residiam e eram conhecidos.

A operação contou também com a colaboração de equipas cinotécnicas da Guarda Nacional Republicana.

Além das detenções, foram efetuadas nove buscas domiciliárias nas residências das vítimas, nas quais, se recuperou uma multiplicidade de bens e valores provenientes dos furtos.

Os detidos, vão ser presentes, hoje, a primeiro interrogatório judicial, no qual vão ser sujeitos à aplicação das medidas de coação processual adequadas.

Com esta ação, a PJ considera ter desarticulado uma atividade delituosa permanente, sobretudo para a população daquela zona.

Leonor Carvalho, Turma 3

Grupo de oitos suspeitos detidos pela polícia judiciária

Identificados e detidos seis homens e duas mulheres, com idades entre os 18 e os 70 anos pela polícia  judiciária, com indícios da prática de varios de crimes de furtos qualificados, em Lisboa e Vale do Tejo.

 Os criminosos faziam parte de um grupo, que reside e atuava na região  da lezíria do tejo, na zona de Salvaterra de Magos. O grupo dedicava-se ao furto de residências, estabelecimentos comerciais e viaturas com mercadorias. 

A investigação foi feita pela polícia judiciária e colaboração  da guarda nacional republicana, em que segundo eles as vítimas não denunciavam os suspeitos por temerem represálias e por suspeitos morarem no local.

Durante a investigação foi repreendido multiplicidade de bens e valores furtados nas residências, armas proibidas e  trafico

A investigação foi feita pela polícia judiciária e colaboração  da guarda nacional republicana, em que segundo eles as vítimas não denunciavam os suspeitos por temerem represálias e por suspeitos morarem no local.

Durante a investigação foi repreendido multiplicidade de bens e valores furtados nas residências

os detidos, hoje vão presenciar a primeiro interrogatório judicial, que serão aplicados medidas de coaçao  processual adequadas.  com a investigacao a policia considera  ter desarticulado uma actividade  delituosa que afectava a populacao daquela zona.

 

https://www.policiajudiciaria.pt/operacao-bandoleiros-detencao-de-grupo-de-oito-suspeitos-por-crimes-de-furto-qualificado-detencao-de-arma-proibida-e-trafico-de-armas/

 

 

 

Detidos oito suspeitos na Operação “Bandoleiros”

A Polícia Judiciária deteve um grupo de oito suspeitos no âmbito da Operação “Bandoleiros” pelos crimes de furto qualificado, detenção de arma proibida e tráfico de armas.

Foram identificados e detidos pela PJ, através da Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo, seis homens e duas mulheres, com as idades compreendidas entre dezoito e setenta anos pelo forte indício da prática de dezenas de crimes de furto qualificado, detenção de arma proibida e tráfico de armas.

O detidos pertenciam a grupo, agora desmantelado, que atuava e residia na região da Lezíria do Tejo e de Salvaterra de Magos e dedicavam-se ao fruto em residências, em estabelecimentos comerciais e industriais e em viaturas de transporte de mercadorias e roubavam entre outros bens, eletrodomésticos, produtos agrículas e entre outros.

A investigação iniciou-se em 2019, na sequência de informações que davam conta da atividade do grupo naquela zona rural, mas as vitimas não denunciavam por medo de sofrerem represálias  pelo o grupo.

Também foram efetuadas nove buscas domiciliárias nas residências utilizadas dos visados, onde se procedeu à recuperação de vários bens e valores provenientes dos furtos, nomeadamente televisores, frigoríficos, micro-ondas, geradores, motosserras, corta-sebes, embalagens de detergente e treze jerricans de 20 litros com combustível, entre outros objetos.

Esta operação contou com a colobração da GNR e foram apreendidas oito espingardas, caçadeiras e carabinas, dois revólveres, mais de quatrocentas munições de diversos calibres e várias armas brancas.

Os detidos foram presentes ao primeiro interrogatório judicial, no passado dia 28 de abril no qual foram sujeitos à aplicação das medidas de coação processual adequadas.

 

Marta Magalhães, turma3

Operação “Bandoleiros” detém grupo suspeito de cometer práticas criminosas

Foram identificados e detidos seis homens e duas mulheres suspeitos por indícios da prática de furto qualificado, detenção de arma proibida e tráfico de armas. A apreensão aconteceu hoje na região da Lezíria do Tejo, na zona de Salvaterra de Magos pela Policia Judiciária.

Com idades entre os 18 e os 70 anos, o grupo criminoso se dedicava ao furto de bens domésticos, maquinaria, cobre e combustível. No qual, os locais escolhidos para estes furtos eram residências, estabelecimentos comerciais e industriais, e viaturas de transporte de mercadorias.  A detenção dos suspeitos foi divulgada por meio de comunicado de imprensa da Polícia Judiciaria.

Além das detenções, foram efetuadas nove buscas domiciliárias nas residências utilizadas pelos visados, onde se procedeu à recuperação de uma multiplicidade de bens e valores provenientes dos furtos. A  operação, a qual contou com a colaboração de equipas cinotécnicas da Guarda Nacional Republicana, foram, igualmente, apreendidas diversas armas e munições.

A investigação do grupo deu-se inicio em 2019, na sequência de informações que davam conta da atividade do grupo naquela zona rural que, no entanto, raramente era denunciada pelas vítimas ou pelas populações, por temerem represálias, uma vez que os suspeitos também ali residiam e eram conhecidos.

Com esta ação, a Polícia Judiciária considera ter desarticulado uma atividade delituosa, particularmente danosa e inquietante, sobretudo para a população daquela zona.

Os detidos, vão ser presentes, hoje, a primeiro interrogatório judicial, no qual serão sujeitos à aplicação das medidas de coação processual adequadas.

Laís Morais
Turma 3

Policia judiciária põe um fim à operação “Bandoleiros”

A polícia judiciária deteve um grupo de oito suspeitos por crimes furto qualificado, detenção de arma proibida e tráfico de armas

A Polícia Judiciária, através da Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo, identificou e deteve seis homens e duas mulheres, com idades compreendidas entre os 18 e os 70 anos, por fortes indícios da prática de dezenas de crimes de furto qualificado, detenção de arma proibida e tráfico de armas.

Hoje, num comunicado de imprensa, a polícia portuguesa revelou que os detidos faziam parte dum grupo criminoso, agora desmantelado, que residia e atuava na região da Lezíria do Tejo, na zona de Salvaterra de Magos, e se dedicava ao furto em residências, em estabelecimentos comerciais e industriais e em viaturas de transporte de mercadorias, locais de onde furtava, entre outros bens, eletrodomésticos, produtos agrícolas, maquinaria, detergente, cobre e combustível, incluindo aquele que as viaturas pesadas continham no depósito.

A investigação iniciou-se em 2019, na sequência de informações que davam conta da atividade do grupo naquela zona rural que, no entanto, raramente era denunciada pelas vítimas ou pelas populações, por temerem represálias, uma vez que os suspeitos também ali residiam e eram conhecidos.

Além das detenções, foram efetuadas nove buscas domiciliárias nas residências utilizadas pelos visados, onde se procedeu à recuperação de uma multiplicidade de bens e valores provenientes dos furtos, nomeadamente televisores, frigoríficos, micro-ondas, geradores, treze jerricans de 20 litros com combustível, entre outros objetos. Também foram apreendidas armas de fogo como espingardas e caçadeiras.

Os detidos vão estar presentes, hoje, a primeiro interrogatório judicial, no qual serão sujeitos à aplicação das medidas de coação processual adequadas.

Rita Alexandra Borba Ormonde, nº 202006772, turma 3