Aquivos por Autor: turma3

Jornalista da BBC agredido por polícia chinesa durante protestos em Shanghai

O jornalista da BBC, Ed Lawrence, foi detido e “espancado” por autoridades chinesas este domingo, no decorrer dos protestos em Shanghai sobre as políticas de zero casos de covid.

A BBC veio confirmar que durante o relato dos protestos em Shanghai, um dos seus jornalistas foi preso pelas autoridades e detido por várias horas, durante as quais foi agredido e pontapeado pelos oficiais. A emissora está “extremamente preocupada” com o tratamento que o jornalista recebeu e como tudo isto “aconteceu enquanto o mesmo trabalhava como jornalista credenciado”.

«É muito preocupante que um dos nossos jornalistas tenha sido atacado desta forma durante o desempenho das suas funções.»

Ed Lawrence foi, entretanto, libertado, mas a BBC comentou que não recebeu qualquer tipo de comunicado oficial ou pedido de desculpa por parte da polícia chinesa, exceto uma posterior declaração após a libertação do jornalista a afirmar que a detenção ocorreu para sua própria segurança, no caso de contrair covid-19 no meio da multidão.

A inquietação da população chinesa relativamente às restrições do covid-19 tem vindo a agravar-se. Os protestos na cidade foram despoletados por um incêndio na província de Xinjiang que resultou na morte de dez pessoas que se encontravam confinadas no seu apartamento devido às políticas de zero casos de covid-19.

Vários vídeos e imagens circularam nas redes sociais a mostrar o que decorria durante a revolta na cidade, e muitos não escaparam à detenção flagrante de Ed Lawrence.

Joana Vale

up202106078@gmail.com

MAROON 5 anunciam tour europeia com paragem em Portugal

A banda norte-americana regressa a Portugal a 13 de junho de 2023, no Passeio Marítimo de Algés.

Fonte da Imagem: Site Oficial dos Maroon 5

Os bilhetes para o concerto ficaram disponíveis no dia 18 de novembro, às 10h, nos locais de venda habituais. Os preços variam entre 65€ a 200€:

Golden Circle – 90€
Plateia em Pé – 65€
Mobilidade Condicionada – 65€
Golden Circle Early Entry – 200€
Plateia em Pé Early Entry – 160€

Os bilhetes Early Entry fazem parte dos pacotes VIP e permitem a entrada antecipada no recinto dentro da respetiva área, juntamente com algum merchandise exclusivo, a ser levantado à entrada.

O anúncio foi feito no site oficial dos Maroon 5, onde se encontra a lista dos seus concertos agendados logo na primeira página. Caso alguém queira ser notificado quando novos eventos forem anunciados numa cidade em específico, há maneira de o fazer selecionando o ícone “Follow Maroon 5”. 

A digressão arranca em Portugal e passará por 10 cidades como Madrid, Berlim, Paris e Praga. O último concerto é em Londres, a 3 de julho.

A última vez que os Maroon 5 atuaram em Portugal foi no Rock in Rio de 2016 e agora regressam com o seu mais recente álbum, Jordi, lançado em 2021, além dos seus êxitos como Moves like Jagger, Sugar, Animals ou Girls like you.

Como forma de preparação para o concerto, os fãs podem aceder ao último álbum da banda, Jordi, aqui (youtube), também disponível no spotify, itunes, etc.

 

Filipa Prata

Email de contacto: filipaprata2003 @ gmail.com

 

O impacto da ecoansiedade nos adolescentes

A ecoansiedade é um neologismo que está cada vez mais presente nas mentes jovens. O que significa? A preocupação agravada quanto às consequências das alterações climáticas.

Autor: Revista Gama, Willian Vieira

A ecoansiedade traduzida nos rabiscos de revolta de uma menina na Embaixada Australiana, em Londres, em janeiro de 2020 Autor: Revista Gama, Willian Vieira

 

O termo ecoansiedade pode levantar algumas dúvidas, por ser um conceito tão moderno. Expressa de forma simplificada, “uma condição psicológica de preocupação extrema com as alterações climáticas e com o seu impacto no presente e no futuro do planeta”. O mundo, principalmente as gerações mais novas, ganharam um novo sentido de responsabilidade ambiental, uma vez que, atualmente sentimos as consequências dos erros passados. Os desastres naturais quintuplicaram nos últimos 50 anos, afetando só este ano o Paquistão com inundações, sul da América com ondas de calor e sismos por todo o globo.

Continuar a ler

Suspensão de venda de bilhetes para digressão de Taylor Swift leva a investigação

A venda de bilhetes para a nova digressão de Taylor Swift foi suspensa devido à procura elevada. Live Nation está sob investigação devido à suspeita de práticas de monopólio do mercado.

concert photos

Foto: Nainoa Shizuru/Unsplash

Ticketmaster suspendeu por completo a venda de bilhetes para a nova digressão de Taylor Swift, agendada para a passada sexta-feira (18). A empresa culpou a procura elevada e deixou um pedido de desculpas no Twitter a Swift e aos fãs, que passaram por um processo tumultuoso durante a pré-venda dos bilhetes.

Antes do começo oficial da venda de bilhetes, a Ticketmaster direcionou os fãs para o programa “Fã Verificado” que, depois da sua inscrição, daria acesso a um código para entrar na pré-venda. O site acabou por cair várias vezes no decorrer do processo, o que deixou inúmeros fãs em filas de espera sem acesso aos bilhetes prometidos.

Devido ao imprevisto, a empresa decidiu que a venda dos bilhetes iria decorrer normalmente, para evitar outras complicações. No entanto, através de um comunicado, a Ticketmaster acabou por cancelar a venda definitivamente “devido a demandas extraordinariamente altas nos sistemas de bilheteria e estoque insuficiente de ingressos restantes para atender a essa demanda”, anunciou na quinta-feira (17).

“The Eras Tour”, com início em março de 2023, bateu recordes com 3,5 mil milhões de solicitações totais do sistema, segundo Ticketmaster, e sofreu um “número impressionante de ataques de bots”. O sucedido levou os fãs a demonstrarem o seu descontentamento nas redes sociais, e Taylor Swift a deixar uma mensagem relativa ao assunto no Instagram: “É realmente incrível que 2,4 milhões de pessoas tenham conseguido bilhetes, mas irrita-me bastante que muitos deles sintam que passaram por vários ataques para obtê-los”.

A empresa acabou por deixar um comunicado no Twitter a pedir desculpa à cantora e aos fãs pelo incidente, incluindo um link a explicar em detalhe tudo o que correu mal, desde a pré-venda dos bilhetes até à sua suspensão.

No entanto, o fiasco despoletou uma investigação por parte do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, devido a um possível caso de práticas de monopólio pela Live Nation Entertainment. A empresa de entretenimento, que detém a plataforma Ticketmaster, está a ser acusada de abuso de poder na indústria da música ao vivo, ao violar o direito de concorrência e ao prejudicar os clientes.

O caos gerado na compra dos bilhetes para a digressão de Taylor Swift resultou num culminar de anos de queixas de fãs relativamente à dificuldade de adquirição de bilhetes e à elevada discrepância nos preços.

O New York Times avançou ainda que quando o Departamento da Justiça aprovou a fusão de Ticketmaster e Live Nation Enterntainment, em 2010, exigiu que a empresa vendesse algumas partes da sua instituição. Também chegou a um acordo legal com a empresa que a proibia de ameaçar os locais de concertos com a perda do acesso às suas digressões se esses locais decidirem usar fornecedores de ingressos que não sejam a Ticketmaster. Esses mandatos foram definidos para durar até 2020.

No entanto, no final de 2019, uma investigação do Departamento de Justiça descobriu que a Live Nation tinha violado repetidamente essa condição no contrato. O Departamento estendeu os termos do acordo até 2025 e esclareceu no contrato o que a empresa tinha permissão para fazer ao negociar acordos de venda de ingressos com locais.

Ainda assim, o Departamento da Justiça está a conduzir uma nova investigação para confirmar se a Live Nation está a cumprir o acordo, após a polémica causada pela venda de bilhetes para a digressão de Taylor Swift.

Em comunicado face às acusações, a Live Nation afirma que “leva as suas responsabilidades sob as leis anti-trust a sério” não recorrendo a práticas “anticoncorrenciais”. Alguns legisladores já exigiram o desmantelamento da “gigante” do entretenimento.

 

Por Camila Teixeira

 

 

Para correções/sugestões, entre em contacto: up202105894@up.pt

Balenciaga emite pedido de desculpas após polémica envolvendo campanha

Duas campanhas deram origem a uma tempestade para a marca de luxo da Kering, com alegações de apoiar abuso infantil e pornografia.

A marca publicou esta terça feira, 22 de novembro, um pedido de desculpas no Instagram, demonstrando arrependimento por incluir os ursinhos de peluche na campanha. Afirmou, também, que já está tomando medidas legais contra as partes responsáveis por criar o cenário e incluir itens não aprovados para a sessão fotográfica da campanha.

Publicações do Instagram do perfil oficial da Balenciaga com o pedido de desculpas da marca

A campanha Objects de Gabriele Galimberti, conhecido por seus retratos de crianças cercadas por seus pertences, apresenta meninas segurando ursinhos de peluche em harness e tops com transparência. A outra, de Chris Maggio, traz modelos no escritório da Adidas: inclui uma foto de uma bolsa com uma página de uma decisão do SCOTUS de 2008 (Estados Unidos vs Williams) sustentando a promoção ou propaganda de pornografia infantil como um crime federal não protegido pela liberdade de expressão. Uma imagem de Isabelle Huppert inclui um livro de arte de Michael Borremeans, cujo trabalho apresenta crianças e adultos desnudos envolvidos em atos de violência, incluindo canibalismo.

Screenshot da página inicial da aplicação da Balenciaga: Camapanha de Gabriele Galimberti

As imagens foram disponibilizadas no site da marca para divulgar a coleção de Primavera 2023 e causaram controvérsias nas redes sociais. Usuários da rede social Twitter questionaram a Balenciaga de promover pedofilia, abuso infantil e pornografia. Também questionaram a presença de um documento em uma das fotos de Maggio, que traz o nome de John Phillip Fisher, condenado em 2018 por abusar sua neta.

 

Stefânia Soares

Sugestões de edições: up202100376@up.pt

 

Ana Moura abre as portas de “Casa Guilhermina” no Super Bock em Stock

Com mais de 50 artistas durante os dias 25 e 26 de novembro, destaca-se a presença de Ana Moura e a estreia do seu novo álbum, no Super Bock em Stock em Lisboa. 

Caracterizado por ser um espaço de descoberta da melhor música em ascensão, o Super Bock em Stock também dá palco a artistas, já de renome, para fazerem apresentações ímpares e exclusivas.

É o caso de Ana Moura que já amanhã sobe ao palco do Capitólio. Num concerto mais intimista, vai apresentar pela primeira vez ao público o seu novo álbum “Casa Guilhermina” lançado dia 11 de novembro.

A organização do festival garante que para todos os que querem ter garantia de lugar na sala, foi criado um sistema de pré-reserva de 50% da lotação. Deste modo, quem já tenha bilhete pode aceder a este link, para receber um bilhete de acesso prioritário desde a abertura das portas até aos primeiros 10 minutos de concerto.

Quem não optar por esta opção, tem na mesma acesso ao concerto pelas vias habituais de entrada, até a sala perfazer a lotação máxima.

Tendo sempre como mote levar o público à descoberta e trazer o melhor da música emergente, o cartaz do Super Bock em Stock conta com nomes como Alfie Templeman, Bala Desejo, Miami Horror e TV Girl. A presença de David Bruno com alguns convidados também é das mais aguardadas, juntamente com o regresso dos Pluto, banda de Manuel Cruz.

Fonte: Facebook Super Bock em Stock

Fonte: Facebook Super Bock em Stock

Os concertos decorrerão ao longo de dez palcos, sendo estes a sala Manoel de Oliveira, sala 2 e sala 3 do Cinema São Jorge, Capitólio, Garagem da EPAL, palco e bar do Coliseu dos Recreios, o interior e pátio da Casa do Alentejo, Estação Ferroviária do Rossio, Sociedade Portuguesa de Geografia e o autocarro Super Bock, que percorrerá a Avenida da Liberdade.

O passe de 2 dias encontra-se à venda, nos locais habituais, por 45€, até ao dia de hoje, e 50€ nos dias do festival.

Apesar de ser o sétimo disco da fadista, é aquele em que esta se estreia como letrista. Como homenagem à avó materna, Guilhermina, o álbum é uma mistura de estilos tanto de influência africana como do típico fado que Ana Moura já nos habituou. Inovar sem comprometer certos elementos fadistas parece ser o que levou à criação desta composição criativa e que, de certa forma, permitiu a artista se libertar e reinventar.

Fonte: Facebook Ana Moura

Está a pensar a ir a este festival? Responda ao seguinte questionário.

Beatriz Basto

Florence + The Machine e Arcade Fire são cabeças de cartaz no MEO Kalorama 2023

Aos dois nomes juntam-se Foals, Metronomy e The Blaze. Na segunda edição do festival, o evento regressa ao Parque da Bela Vista, em Lisboa, entre 31 de agosto e 2 de setembro do ano que vem.

Anunciados na manhã de ontem (23), num comunicado publicado pela organização, estão ainda confirmados Amyl and The Sniffers, a dupla The Blaze e os portugueses Dino D’Santiago, Capitão Fausto e Rita Vian.

Cartaz Meo Kalorama

Os primeiros mil passes de três dias são colocados hoje (24) à venda, em exclusivo nas lojas MEO, por um valor de 125€. Estes passes irão ser acompanhados de uma edição artística com curadoria da Underdogs. A compra é limitada a um passe por pessoa e é reservada a quem já marcou presença na edição anterior.

As mil obras, que vão ser oferecidas juntamente com o passe, foram criadas a partir de uma instalação do artista AkaCorleone, que decorou o palco principal da primeira edição do festival.

A segunda fase da pré-venda, nacional e internacional, terá início amanhã (25) no site da Seetickets, mantendo-se o preço da fase anterior. A exclusividade também permanece e, desta vez, destina-se a quem comprou bilhete para a edição passada na plataforma. Cada pessoa vai ter acesso a um máximo de dois passes da próxima edição.

A venda geral do passe de três dias tem data marcada para o dia 29 de novembro e o preço sobe para os 145€. Os bilhetes podem ser adquiridos nos locais habituais.

Os Arcade Fire estiveram no país no último mês de setembro com a sua “WE” Tour, com duas noites esgotadas. Quem também esteve cá foi Florence + The Machine, que atuou na mais recente edição do NOS Alive.

A MEO volta a fazer parte da história do Kalorama, sendo mais uma vez o naming sponsor do festival organizado pela promotora espanhola Last Tour. O Kalorama, com nome inspirado no parque que o recebe, tem como pilares essenciais a música, a arte e, sobretudo, a sustentabilidade.

Foram 112 mil festivaleiros, 40 artistas e 3 palcos na edição do ano passado e a edição de 2023 promete ser ainda mais marcante!

Diga-nos o que acha do festival aqui.

por Carolina Paredes

 

A Livraria Lello compra cartas inéditas de amor do Bob Dylan por meio milhão de euros

A Livraria Lello é a nova propietária de 42 cartas de amor do Prémio Nobel de Literatura Bob Dylan. Os escritos serão exibidos a partir de 13 de Janeiro de 2023. A compra, que tomou lugar na última quinta-feira, foi por cerca de 520mil euros.

Bob Dylan é considerado um dos músicos mais influentes do século / Foto: Instagram do Bob Dylan

Esta quinta-feira (17 de novembro), na cidade de Nova Iorque, a Livraria Lello adquiriu 42 cartas de amor que o autor e músico Bob Dylan escreveu para a sua namorada, Barbara Ann Hewitt, na década dos 50. Os escritos serão revelados pela primeira vez ao público no dia 13 de Janeiro de 2023, dia em que a Livraria faz 117 anos. A compra tomou lugar por mais de meio milhão de euros.

Segundo um comunicado de imprensa da Livraria Lello, o conjunto de mais de 150 páginas revela diversos aspetos da vida pessoal do autor, entre os quais as suas intenções de mudar de nome e as suas aspirações como músico. Aurora Pedro Pinto, administradora da Livraria, destaca no mesmo comunicado que estão “felizes de trazer (as cartas) ao Porto, reforçando a oferta cultural para o território.” Pedro Pinto também afirma que o investimento dá continuidade a aposta da Livraria Lello no património literário e cultural.

O primeiro andar da Livraria Lello está dedicada a autores laureados com o Nobel / Foto: Instagram da Livraria Lello

A empresa norte-americana encarregada do leilão, RR Auction, coloca o valor final da compra em cerca de 643mil euros, depois de incluir a comissão de venda no preço de venda inicial. O conjunto de 42 cartas foi adquirido pelo dobro do valor pelo qual foi inicialmente colocado à venda, que foi aproximadamente 240 mil euros.

As cartas foram escritas no período entre os anos 1957 e 1959, na época em que Bob Dylan tinha 17 anos e ainda estava na escola secundaria. Ann Hewitt foi a proprietária das cartas até a sua morte em 2020.  Outros escritos do músico já tinham sido vendidos de forma individual, mas a RR Auction afirma que os proprietários do património de Ann Hewitt queriam vender as cartas como um conjunto.

Cabe destacar que, enquanto a Livraria Lello agora possui as cartas físicas, a editora de Dylan mantém os direitos autorais de todos os seus escritos.

A Livraria Lello, um dos destinos turísiticos mais populares do Porto, tem desde junho de 2021  uma instalação artística dedicada a autores laureados com o Prémio Nobel de Literatura. Na instalação, nomeada “Livraria Lello X Time: What Makes a Nobel?”, há uma secção dedicada ao Bob Dylan.

Robert Allen Zimmerman, mais conhecido como Bob Dylan, tem vendido mais de 125 milhões de discos em todo o mundo. Dylan recebeu o Prémio Nobel da Literatura em 2016, por ter “criado novas expressões poéticas dentro da tradição da música americana”, segundo o site dos prémios Nobel.

Tem interesse em visitar a exposição das cartas do Bob Dylan? Responda aqui. Disponibilizo o meu e-mail para qualquer dúvida, comentário ou sugestão: up202104285@up.pt

Artigo por Natalia Vásquez.

Presidente da República acredita nos 80% de energias renováveis até 2030

Marcelo Rebelo de Sousa esteve com os alunos do ensino secundário da Escola Domingos Sequeira, em Leiria. A Cimeira do Clima foi o foco do debate e o Presidente acredita que Portugal chegará aos 80% de energias renováveis até 2030.

Fonte: Site Oficial da Presidência da República

Marcelo aproveitou o debate com os alunos para falar nos processos pelos quais o país tem passado no caminho da valorização das energias renováveis. A utilização dessas energias torna-se relevante porque “significa, também, menor dependência energética em relação ao exterior”.

“Nós temos a obrigação de acelerar este passo, chegar, se possível antes de 2030, com perto de 80% da energia renovável”. O Presidente revela-se confiante na possibilidade de atingir esta meta, num momento em que “há um acordo nacional” relativo ao tema das alterações climáticas.

Fonte: Site Oficial da Presidência da República

O chefe de estado salientou, também, a sua preocupação em relação a países que ponderam retomar a atividade energética nuclear e dependente do carvão consequente da situação de crise global.

“Hoje, vários países estão a pagar o facto de terem uma percentagem de renováveis, e é a grande maioria, que não chega nem de longe nem de perto aos 60%, nem aos 50%, nem aos 40%, e algumas nem aos 30%”

Em conversa com os alunos, o Presidente da República, elogiou a COP27, principalmente pela criação de um Fundo Global para o financiamento dos países que mais padecem com as alterações climáticas. As informações sobre o modo de aplicação deste financiamento são ainda escassas.

 

Pedro Pires

Para sugestões ou correções: pedromiguelvapires007@gmail.com

“Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara”: Teatro Nacional São João repõe obra de Saramago

Nos próximos dias 25 e 26 de novembro, a peça “Ensaio sobre a Cegueira”, de José Saramago, retorna ao Theatro Circo, em Braga, depois da sua viagem por cidades como Barcelona e Aveiro. 

TUNA/TNSJ

Entre 10 e 12 de junho esteve no Porto em exibição a obra do Nobel português, José Saramago, “Ensaio Sobre a Cegueira”, no Teatro Nacional de São João. Agora, está de volta durante os próximos dois dias (25 e 26), no Theatro Circo, em Braga, retornando mais ao Porto. 

Com apenas duas sessões às 21h30, a encenação de Nuno Cardoso conta com atores portugueses e catalães, uma vez que o projeto é um coprodução entre o Teatro Nacional São Jão e o Teatro Nacional da Catalunya. 

Os preços variam entre 7,5€ e 16€, sendo possível obter desconto através de cartão estudante ou cartão jovem, e ainda para maiores de 65 anos, profissionais de espectáculo, grupos entre 10 a 20 pessoas, ou compra do bilhete a uma quinta-feira. É possível adquirir bilhetes aqui.

O espetáculo, depois das apresentações em Braga, segue para Aveiro no dia 3 de dezembro, no Teatro Aveirense, terminando onde começou, no palco do Teatro de São João, de 9 a 18 de dezembro.

“Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara” é a frase que dá origem a todo o conceito da obra, expondo a problemática que Saramago desejava transmitir e fazer refletir. 

O espetáculo adaptado do romance de José Saramago foi também exibido em cidades como Barcelona, e está agora de volta para mais uma ronda de aplausos. 

“Ensaio Sobre a Cegueira olha a cidade como um lugar que é preciso reerguer das ruínas da nossa bestialidade. É um elogio ao cosmopolitismo: o de Saramago, autor de Portugal no mundo, e o dos teatros nacionais do Porto e da Catalunha, que arriscaram, e venceram, o desafio de se deixarem sobressaltar pela diferença. Cosmopolitizar é um verbo que se deve conjugar no futuro. Sem futuro, o presente não serve para nada.” – Excerto da sinopse do espetáculo

Uma epidemia de literatura

“Ensaio sobre a Cegueira” é o célebre livro de José Saramago, publicado em 1995. Uma obra que retrata a  forma como o mundo está corrompido e como a “cegueira branca” entope a visão daqueles que são os atores da vida. 

Um livro que prioriza a mensagem sobre os detalhes que se consideram importantes num enredo, como o nome das personagens, deixa aos seus leitores uma reflexão importante. 

A venda da obra, inclusive, disparou durante a pandemia da COVID-19.

Um exemplar transformado em filme, lançado em 2008, dirigido por Fernando Meirelles, poderá agora ser desfrutado em formato de teatro, mais uma vez, estando em cena no Theatro Circo, em Braga, nos dias 25 e 26 de novembro. 

Saramago deixa assim um dos seus muitos legados na história da literatura portuguesa e do mundo. 

Longa vida ao Nobel: 100 anos de Saramago 

Galardoado com o Prémio Nobel da Literatura, o único português a ter sido premiado nesta categoria, em 1998, José Saramago celebraria os seus 100 anos no passado dia 16 de novembro. 

O centenário do escritor português foi comemorado por muitos, depois de uma vida marcada pela sua irreverência, quer a nível pessoal, político ou profissional. 

Um autor que deixou uma vasta obra literária que, podendo não ser para o gosto de todos, faz sem dúvida parte da cultura portuguesa. 

A peça de Nuno Cardoso sobre a obra de José Saramago, “Ensaio sobre a Cegueira”, vem marcar a reta final dos festejos do centenário.

Deixe a sua opinião em relação à notícia e autor aqui.

Por Maria Martins Barradas