Aquivos por Autor: turma2

Legislativas 2019: Macieira de Sarnes afasta PSD e dá vitória aos socialistas (Aveiro)

Na freguesia de Macieira de Sarnes, as eleições legislativas tiveram resultados bastante diferentes dos de há quatro anos. O partido vencedor a nível nacional atraiu também a maioria dos macieirenses no domingo passado.

Em Macieira de Sarnes o PS foi o vencedor das eleições legislativas. 41,01% foi a percentagem de votos a favor dos socialistas, superior à nacional, 36,65%. Verifica-se, assim, uma mudança nos líderes da tabela. Apesar de há quatro anos Macieira ter dado a maioria dos votos aos sociais-democratas (38,06%), reduzindo, portanto, a margem para o PS, este ano inverteu o cenário. O PSD conseguiu apenas 27,5% do eleitorado da freguesia, afastando-se 13,5 pontos percentuais do seu adversário socialista.

Seguidamente, os partidos Bloco de Esquerda e CDU foram os mais votados, com 13,8% e 5,23%, respetivamente. O PAN foi o quinto partido mais votado nesta pequena freguesia de Oliveira de Azeméis, onde conseguiu 3,52% dos votos, percentagem que o deixou à frente do CDS. Situação que não se verificou a nível nacional. A adesão ao partido Pessoas Animais e Natureza acentuou-se desde 2015. Nas últimas legislativas era o sexto partido mais votado e agora conta já como número cinco.

É de notar que o Partido Democrático Republicano (PDR) sofreu uma grande queda nos votos dos macieirenses. O partido que ocupava a quinta posição em 2015, caiu este ano oito lugares na lista.

No distrito de Aveiro, a vitória do PS também se verificou, bem como os sociais-democratas se mantêm em segundo lugar neste círculo eleitoral. Contudo, a disparidade entre os dois partidos não é tão evidente quanto na freguesia supracitada. Na verdade, a diferença percentual que os separa não chega a um ponto.

Há que mencionar que, apesar de este círculo eleitoral não ter eleito nenhum deputado do partido Chega, registou 2.600 votos a favor da extrema-direita e, em Macieira de Sarnes, apenas três desses votos.

Em Aveiro, o CDS conseguiu uma percentagem superior à do CDU e do PAN, posição contrária à que se verifica na freguesia de Macieira. A Iniciativa Liberal conseguiu cerca de 1% dos votos e os restantes partidos não conseguiram sequer alcançar essa percentagem. O Juntos Pelo Povo – JPP – foi o partido menos votado, registando somente 0,07%.

Aveiro enviou 16 deputados em sua representação à Assembleia da República. Sete deles são socialistas (Pedro Santos, Cláudia Santos, Carlos Brandão, Porfírio Silva, Susana Correia, Hugo Oliveira, Joana Pereira). Seis pertencem ao PSD (Ana Santos, António Topa, Helga Correia, Bruno Coimbra, Nuno Neves, Carla Madureira) e dois ao BE (Moisés Ferreira, Nelson Peralta). Por fim, o círculo eleitoral de Aveiro elegeu um deputado do CDS, João Almeida. Podemos apontar o facto de em 2015 Aveiro ter eleito deputados de apenas três grupos partidários – PSD, PS e BE.

 

Abstenção

No círculo eleitoral de Aveiro, cerca de metade do eleitorado não exerceu o seu direito ao voto (45,45%), acompanhando a tendência nacional. Em Macieira de Sarnes, porém, a abstenção foi mais reduzida, 38,29%.

A tendência do abstencionismo desde há quatro anos é ascendente. Tanto no distrito de Aveiro, como em Macieira de Sarnes, ou mesmo a nível nacional, a percentagem de eleitores que faltou às votações cresceu cerca de dois pontos percentuais.

 

Felícia Oliveira

Legislativas 2019: PSD vence na freguesia de Paranhos (Porto)

Com a apuração dos votos das 243 freguesias pertencentes ao distrito do Porto. PS vence com 36,65% nas legislativas de domingo, contrariando as Legislativas de 2015 aonde foi o segundo mais votado do Distrito.

Em oposição aos resultados que colocam PS como vencedor das legislativas de 2019, por maioria absoluta. A freguesia de Paranhos pertencente ao conselho do Porto segue fiel ao PSD em mais um ano eleitoral.

Com o aumento da porcentagem de abstenções e a queda no número de votos nulos e brancos. Os dados apontam que 8.396 eleitores da freguesia votaram no PSD, em relação a 7.973 do PS partido eleito.

Em terceiro lugar nas pesquisas segue o BE com 3.000 votos, em contrapartida esse ano CDU assume a posição de quarto mais votado pela freguesia com 1.624 votos.

Maryanna Oliveira

Legislativas 2019: Resultados de São Cosme, Valbom e Jovim (Porto)

Já com as urnas fechadas e todos os votos contados, verificou-se que na união de freguesias de Gondomar (São Cosme), Valbom e Jovim as escolhas dos eleitores não se desviaram muito daqueles que foram os resultados a nível nacional e distrital.

No domingo, foi dia de somar todos os votos das mais de três mil freguesias portuguesas. A união de freguesias de Gondomar (São Cosme), Valbom e Jovim é uma delas e faz parte do concelho de Gondomar e do distrito do Porto.

O circulo eleitoral do Porto foi o que elegeu o segundo maior número de deputados – quarenta – menos oito do que Lisboa. Nestas legislativas, o Porto elegeu dois cabeças-de-lista: Catarina Martins do Bloco de Esquerda, e Rui Rio, antigo presidente da Câmara Municipal do Porto e atual presidente do PSD. A lista dos deputados eleitos por outros circulos eleitorias pode ser consultada aqui.

Neste distrito a diferença entre os sociais democratas e o PS foi menor do que no resto do país. O PS arrecadou 36,65% dos votos em ambos os casos, mas o PSD teve 31,16% das escolhas dos eleitores no Porto, percentagem superior aos 28,95% verificados em território nacional.

Na união de freguesias Gondomar (São Cosme), Valbom e Jovim a ordem dos quatro partidos mais votados foi igual à que se verificou a nível nacional. No entanto, o PS, PSD e CDS-PP arrecadaram uma menor percentagem nestas localidades do que na totalidade do distrito do Porto.

Nestas freguesias gondomarenses, o Bloco de Esquerda e o PCP perderam eleitores em comparação com as legislativas de 2015. No entanto, estes partidos e o PAN conseguiram uma maior percentagem de votos nestas localidades do que na totalidade do distrito do Porto.

Em São Cosme, Valbom e Jovim, os dois partidos que viram a sua base de eleitores crescer mais das últimas legislativas para estas foram o PS e o PAN. Os socialistas tiveram mais 3 pontos percentuais este ano e o PAN verificou um aumento em mais do dobro de votos, passando de 1,83% para 4,19%. Aliás, o Partido Animais e Natureza arrecadou mais votos do que o CDS nestas localidades.

Na união de freguesias, a seguir ao CDS, a Iniciativa Liberal e o LIVRE ocuparam o lugar de sétimo e oitavo partidos mais votados. Seguiu-se, por ordem, o RIR, o PTCP-MRPP e o CHEGA!. No circulo eleitoral do Porto, o partido de André Ventura também alcançou um número de votos abaixo da média nacional. No entanto, ficou só atrás da IL, do Livre e do RIR a nível distrital.

58,88% dos eleitores destas freguesias votaram, um número que não se distancia da taxa de participação de 58,59% dos eleitores a nível distrital. Mesmo assim é uma descida comparado com os resultados da união de freguesias nas legislativas de há quatro anos atrás (60,38% de taxa de participação).

João Norte

 

Legislativas 2019: PSD vence em Fajões (Aveiro) em luta acesa com PS

 

 

 

 

 

Ao olhar em detalhe para a freguesia de Fajões, no distrito de Aveiro, verifica-se que o PSD foi o partido mais votado, seguido do partido socialista. O Bloco de esquerda surge na terceira posição.

Na vila pertencente ao concelho de Oliveira de Azeméis manteve-se a tendência das eleições legislativas de 2015 com o PSD a assegurar a vitória com 36,60%, equivalente a 546 votos.  Uma diferença de 42 eleitores para a segunda força política mais votada na freguesia fajoense, o partido socialista, que registou menos 2,82 pontos percentuais, recolhendo 33,78% das intenções de voto.

O Bloco de Esquerda reforçou a sua posição de terceira força política de maior relevância ao registar 8,85%, mais 1 ponto percentual face às eleições de 2015. O partido com maior representatividade a seguir ao de Catarina Martins foi o CDS, liderado por Assunção Cristas, conquistando 5,83%.

De salientar ainda que o PAN foi o partido que mais cresceu relativamente às legislativas anteriores, alcançando uns inéditos 2,61%, face aos 0,51% de há quatro anos. Em sentido contrário, encontra-se a CDU que registou uma descida de 1,44 pontos percentuais quando comparada a 2015, fixando-se nos 2,35%.

No panorama dos partidos sem representação parlamentar, destaca-se o RIR, cujo líder é Vitorino Silva, e o Livre. O primeiro reuniu 1,54%, ficando à frente de partidos que conseguiram eleger um deputado à Assembleia da República como é o caso da Iniciativa Liberal, ao passo que o segundo obteve 0,74%.

É ainda de destacar que a taxa de abstenção se situou nos 45,09%, inferior à média nacional (45,49%), tendo sido possível contabilizar 1492 de 2717 votantes, o equivalente a 54,91% dos eleitores.

No que concerne aos resultados eleitorais do distrito de Aveiro verifica-se que o PSD foi o partido mais votado em nove concelhos (Aveiro, Arouca, Albergaria-a-Velha, Anadia, Ílhavo, Oliveira do Bairro, Murtosa, Sever do Vouga e Vagos), menos nove do que em 2015, quando concorreu coligado com o CDS-PP.

Quanto ao PS, venceu na Mealhada, único concelho do distrito onde tinha vencido em 2015, e em mais nove concelhos (Águeda, Oliveira de Azeméis, Ovar, Feira, Espinho, Estarreja, Castelo de Paiva, Vale de Cambra e São João da Madeira).

Assim, de 147 freguesias apuradas no distrito de Aveiro, o PS ficou pela primeira vez na última década à frente do PSD, passando a ser o partido mais votado neste círculo, num total de quatro eleições legislativas. Os socialistas asseguraram sete deputados, com 34,31%, (27,91% em 2015), contra os seis deputados dos sociais democratas, para 33,55% dos votos.

Desde 2009 que o PSD se fazia impor em Aveiro, tendo, inclusive, em 2015 chegado a eleger, coligado com o CDS, uma dezena de deputados (48,14%), comparativamente com apenas cinco do PS. Desta vez os socialistas recuperaram dois assentos parlamentares no distrito de Aveiro.

O Bloco de Esquerda foi outro dos vencedores da noite eleitoral, ao reforçar a sua votação de 9,6% para 9,96%, conseguindo passar de um para dois deputados pelo círculo de Aveiro. O CDS, com 5,69%, assegurou um lugar no Parlamento.

A CDU também sofreu uma queda, perdendo 5.300 votos relativamente a 2015, e falhou mais uma vez a meta de eleger o primeiro deputado pelo distrito aveirense.

No diz respeito aos deputados eleitos por cada um dos partidos, o PS elegeu Pedro Nuno Santos, Cláudia Cruz Santos, Filipe Neto Brandão, Porfírio Silva, Susana Correia, Hugo Oliveira e Joana Sá Pereira. Quanto aos ao PSD apostou em Ana Miguel Santos para cabeça de lista, António Topa, Helga Correia, Bruno Coimbra, Nuno Neves e Carla Madureira.

Por sua vez o Bloco de Esquerda escolheu Moisés Ferreira e Nelson Peralta como seus representantes. Já o CDS-PP reelegeu João Almeida, fazendo um total de 16 deputados eleitos.

 

Fábio Lopes

Legislativas 2019: PSD vence em São João de Lourosa, Viseu

Os resultados das eleições legislativas, divulgados no domingo, revelam a vitória do PSD na Freguesia de São João de Lourosa, em Viseu. No círculo eleitoral de Viseu, o PSD conseguiu a maioria dos votos, mas a vitória nacional foi do PS.

Na Freguesia de São João de Lourosa, o PSD conseguiu 34,95% do eleitorado. A diferença entre o número de votantes e o número de inscritos revela uma taxa de abstenção de 46,38%. Dos 2243 votantes, o PSD conquistou 748 votos. No entanto, o PS foi o segundo partido mais votado, contando com 772 votos.  Os dois partidos conseguiram a maioria dos votos nesta freguesia, do concelho de Viseu. Segue-se o Bloco de Esquerda, com 190 votos.

Os três novos partidos com representação na Assembleia da República conquistaram 3,66% dos votos, na freguesia. Analisando os resultados no distrito de Viseu, a Iniciativa Liberal, o Livre e o Chega alcançaram 2,01% do eleitorado. Em ambos os casos, este último obteve maior número de votos (0,97% em Viseu e 2,1% na freguesia).

O partido vencedor nas eleições legislativas, PS, não foi o partido com mais votos no distrito de Viseu. PSD venceu com 34,95% dos votos. O Partido Socialista ficou atrás com 0,53 pontos percentuais de diferença.

Foram eleitos oito deputados, para o Parlamento, no círculo eleitoral de Viseu. Fernando de Carvalho Ruas, Pedro Filipe dos Santos Alves, Fátima Carla Dias Antunes Borges e António José Lima Costa são os deputados do município, que representam o PSD, no parlamento. Já o PS é representado pelos deputados João Nuno Ferreira Gonçalves Azevedo, Lúcia Fernanda Ferreira Araújo Silva, João Paulo de Loureiro Rebelo e José Rui Alves Duarte da Cruz.

Os resultados das eleições deste ano, na Freguesia de São João de Lourosa apresentam algumas alterações quando comparados com os resultados das eleições legislativas de 2015. Nas últimas eleições, dos 2274 votantes, 50,53% dos votos foram para a coligação entre o PPD/PSD e o CDS-PP. O PS, em 2015, registou 28,36% dos votos.

Para além da diminuição do número de deputados eleitos pelo círculo eleitoral da cidade, que passou de 9 para 8 deputados, os resultados das eleições no círculo eleitoral de Viseu também sofreram alterações. Em 2015, a coligação PPD/PSD.CDS-PP conseguiu 51,05% dos votos. No resultados de 2019, o PSD contou com 36,24% dos votos.

Salomé Santos

 

Legislativas 2019: PS repete vitória em Pedrouços (Porto)

Os votantes da freguesia de Pedrouços, concelho da Maia, elegeram o Partido Socialista com 36,31% dos votos, alcançando 8 pontos percentuais de vantagem para o PSD. Queda acentuada para CDU e CDS.

O Partido Socialista venceu em seis das dez freguesias do concelho da Maia, entre as quais Pedrouços. Por outro lado, o PSD saiu vencedor na Cidade da Maia, no Castêlo da Maia, em Folgosa e em São Pedro Fins. Em Pedrouços, apesar dos sociais democratas conquistarem 1782 dos 6293 votos, o que lhes conferiu 28,32%, ficaram distantes dos 36,31% dos socialistas. A terceira força política mais votada foi o Bloco de Esquerda que obteve 11,84% dos votos. Por seu turno, a CDU atingiu os 6,29%, o PAN terminou com 4,70% e o CDS-PP, em sexto lugar, recebeu o voto de 2,43% dos votantes.

Quanto aos três novos partidos com representação na Assembleia da República, fruto das eleições legislativas de 2019, ou seja, o Iniciativa Liberal, o Livre e o Chega conquistaram 3,33% do eleitorado. O Iniciativa Liberal e o Livre alcançaram 1,84% e 1,03%, respetivamente. No entanto, o Chega revelou-se pouco expressivo (0,46%) terminando a votação atrás do R.I.R, PCTP/MRPP e Aliança.

De referir ainda os 122 votos em branco e 103 nulos contabilizados, sendo que a abstenção nesta freguesia situou-se nos 38,38%, valor superior ao registado no concelho da Maia (37,26%) e inferior ao panorama nacional (45,5%).

Nas eleições legislativas de 2015, o PS tinha igualmente vencido em Pedrouços, porém com menos 1,2 pontos percentuais do que este ano. A tendência nesta votação foi um decréscimo no número de votos nos partidos mais votados em relação a 2015: PS (-3 votos); BE (-93 votos); CDU (-205 votos) e CDS (-264 votos). Em termos percentuais, face a 2015, além do crescimento de PS, também PSD (+2,7%), PAN (+2,6%) e Livre (+0,63&) registaram uma quota de eleitorado maior. Outro fator a ter em conta é a diminuição do número de votantes que este ano reduziu em 220 eleitores comparando com as eleições de há quatro anos (65013 votantes).

Os resultados obtidos nesta freguesia da Maia, em 2019, vão de encontro ao desfecho no círculo eleitoral do Porto deste ano, dado que, neste distrito, o PS arrecadou 36,65% dos votos vencendo a votação. Esta percentagem traduz-se em 17 deputados socialistas na Assembleia da República, o mesmo número alcançado pelo PSD nas eleições de 2015. Desta vez, os sociais democratas foram remetidos a segunda força política ao garantir apenas 15 deputados. Face a 2015, o Bloco de Esquerda e a CDU perderam um deputado cada, pelo que são agora representados por quatro e dois elementos, respetivamente.

Por fim, no Porto, onde a abstenção subiu dos 39,68% de 2015 para os 41,41% este ano, 3,46% votos atribuíram um deputado ao PAN pela primeira vez. Já o CDS-PP, com 3,34%, perdeu duas vozes e parte para a próxima legislatura apenas com um dos candidatos. Consulte a lista de deputados eleitos por círculo eleitoral.

Diogo Metelo Ferreira

Legislativas 2019: PS é o mais votado na freguesia de Valongo (Porto)

Foto: legislativas2019.mai.gov.pt

No concelho de Valongo, que é composto por quatro freguesias – Ermesinde, Valongo, Alfena e União das Freguesias de Campo e Sobrado -, o PS ganhou com 38,59%, o que representa 18.475 votos.

No último domingo (06), diversos portugueses saíram das suas casas e foram votar. No concelho de Valongo não foi diferente, apesar da abstenção ter sido de 42,72%, a porcentagem de votantes foi superior, com 57% dos eleitores indo às urnas, cerca de 47.879 pessoas.

Quando comparado às eleições de 2015, é perceptível que o Partido Socialista cresceu aos olhos dos valonguenses em 4,7 pontos, passando de 33,86% para 38,59%. Já em relação ao Partido Social Democrata, obteve uma queda de 7,8 pontos, de 33,91% para 26,08%.

Comparação das Legislativas de 2015 e 2019 no concelho de Valongo

As quatro freguesias foram unânimes em resultado, elegeram o PS, porém com porcentagens diferentes. Na freguesia de Valongo, o PS alcançou um resultado de 37,34% e o PSD de 25,19%; em Ermesinde foi PS (39,29%) contra PSD (25,68%); em Alfena o PS conseguiu 39,37% e o PSD 27,30% e por fim em Campo e Sobrado o PS obteve 38,05% e o PSD 27,38%.

Nas legislativas de 2015 as freguesias foram divergentes quanto ao resultado individual. Tanto Valongo quanto Emersinde preferiram o PS, já Alfena e União das Freguesias de Campo e Sobrado escolheram o PSD. Você pode conferir melhor as porcentagens aqui.

Quando se volta para o distrito do Porto, o PS também conquistou a maior parte dos eleitores, com 36,65%, elegendo 17 deputados, já o PSD ficou com 31,16% dos votos, conseguindo pôr no poder 15 deputados.  Em comparação a 2015, no qual o PSD alcançou uma porcentagem de 39,59%, levando 17 deputados para o seu grupo, o PS ficou na segunda posição com 32,72%, nomeando 14 deputados.

Também foram nomeados no Porto, 4 deputados do Bloco de Esquerda (10,12%), 2 do CDU (4,80%), 1 do PAN (3,46%) e 1 do CDS-PP (3,34%). Entre os eleitos estão Alexandre Tiedtke Quintanilha (PS), Maria do Rosário Camboa Lopes de Carvalho (PS), Hugo Daniel Alves Martins de Carvalho (PSD), Catarina Leite de Faria da Rocha Ferreira (PSD), entre outros.

Terezinha Rayanna Uchoa Castro

 

 

Legislativas 2019: PSD tem vitória clara em Aldoar (Porto)

 

A União de Freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde fugiu à tendência nacional e deu uma larga vitória ao PSD nas Legislativas de domingo.

Os resultados nas freguesias revelam um destacamento do partido de Rui Rio, escolhido por quase metade dos eleitores (46,14%), face ao PS que conseguiu apenas 22,16% dos votos.

O CDS e o Bloco de Esquerda surgem em terceiro e quarto lugar, ambas com perto de 7% do eleitorado. A Iniciativa Liberal conseguiu um resultado positivo (4,88%) aparecendo acima da CDU (4,01%) e do PAN (2,33%).

Estes resultados comparados com os de 2015 mostram uma preferência pelo PSD que já tinha ganho nesse ano como PAF com 53,78% do eleitorado. Observa-se, no entanto, uma ligeira descida dos principais partidos conjugada com uma sólida adesão ao novo partido Iniciativa Liberal.

Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde acabam por ter resultados bem opostos ao resto do distrito, onde o PS saiu vencedor com 36,65% dos votos. Já Rui Rio, apesar da vitória no Porto, cidade em que foi Presidente da Câmara entre 2002 e 2013, não foi além dos 31,16%.

O círculo eleitoral do Porto elege 40 deputados. O PS conseguiu o maior número (17), mais três que nas Legislativas de 2015. O PSD (15) ganhou mais um do que quando concorreu aliado ao CDS. BE e CDU  perderam ambos um deputado elegendo 4 e 2 respectivamente. CDS e PAN elegeram um deputado cada, o partido de Assunção Cristas perdeu dois deputados, já o PAN conseguiu eleger pela primeira vez no distrito do Porto.

Os valores da Abstenção na União de Freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde (30,73%) ficaram abaixo dos valores nacionais (45,49%) e do mesmo circulo eleitoral (41,41%).

Tiago Mateus

 

 

 

Legislativas 2019: PSD perde para PS em Santo António (Madeira)

 

Identificação Heráldica (Junta de Freguesia de Santo António)

 

Foi a vez do Partido Socialista “gritar” vitória na freguesia de Santo António, no Funchal,  subindo de 690 votos em 2015, para 1.034 votos nas eleições legislativas de 6 de Outubro de 2019. 

Apesar da vitória do PSD nas eleições legislativas na Região Autónoma da Madeira, o PS registou um aumento significativo, passando de 26.152 votos em 2015 para 43.373. Os socialistas ganharam em 11 concelhos, mais dois do que se havia verificado nas eleições regionais de 22 de setembro, e acabando por ganhar destaque nos dois maiores e mais populosos concelhos da RAM, Funchal (19.716 votos num total de 107.028 inscritos) e Santa Cruz (5.997 votos em 39.398 inscritos). Também nos concelhos de Porto Santo, Porto Moniz, Ponta do Sol e Machico fez-se sentir a força socialista, tendo perdido nos municípios de Câmara de Lobos, São Vicente, Calheta e Ribeira Brava e Santana.

Assim como o PSD, o PS elegerá 3 deputados, o cabeça de lista novamente eleito, Carlos Pereira, e Olavo Câmara, líder da JS/Madeira, e Marta Luísa de Freitas, que pela primeira vez enfrentarão a Assembleia da República.

No círculo eleitoral da Madeira estavam inscritos para estas eleições 258.144 eleitores, tendo votado 129.821, cujos resultados apontam a contínua votação no PSD – 48.231 votos (47.228 em 2015), ainda que a votação no PS aumentou substancialmente, passando de 26.152 votos em 2015 para 43.373. Cerca de 128.343 inscritos não votaram, registando uma taxa de 49,7% de abstenção, menos 1,4% do que em 2015.

À semelhança das regionais, o CDS-PP foi a terceira força mais votada na Madeira (6,05% dos votos). O JPP ficou em quarto lugar, com 7.125 votos e ainda perdeu no concelho de Santa Cruz, concelho onde governa com maioria absoluta na Câmara Municipal. O PCP verificou um ligeiro crescimento, tendo obtido 2,08% (2.702 votos). Já o PAN  apontou o 1,82%, com 2.361 votos. As restantes forças partidárias situaram-se todas abaixo dos 0,91%.

Nicole Gouveia.

up201805937

Legislativas 2019: PS vence em Ermesinde (Porto)

O Partido Socialista foi o mais votado na cidade de Ermesinde (39,29%). Os Sociais-Democratas conquistaram 25,68% dos votos e o Bloco de Esquerda chegam aos 12,93%.

Em Ermesinde, concelho de Valongo, 7.934 votos possibilitaram a vitória do PS. O PSD conquistou o voto de  5.187 ermesindenses e o Bloco de Esquerda de 2.612. Seguem-se partidos como a CDU (1010 votos), o PAN (876 votos) e o CDS (483 votos).

Nas Eleições Legislativas de 2015, os Socialistas também foram vencedores na cidade de Ermesinde, com 7.600 votos (35.87%). A coligação PSD/CDS-PP (PàF) conquistou 32.57%, o correspondente a 6.900 votos. O B.E. conquistou 2.986 votos (14.09%), a CDU arrecadou 1.482 (7%) e o PAN 385, o equivalente a 1.82% dos votos.

No Círculo Eleitoral do Porto, o Partido Socialista saiu vencedor, com 36.65% dos votos, e conseguiu eleger 17 deputados. O PSD (31.16%) conseguiu eleger 15 deputados, o BE (10.12%) alcançou 4, a CDU (4.8%) elegeu 2 e tanto o PAN (3.46%) como o CDS (3.34%) conseguiram eleger 1 deputado cada. Para conhecer os deputados, clique aqui.

Em 2015, foi a coligação PSD/CDS-PP (PàF) que alcançou o maior número de votos no Porto (39.59%), elegendo 17 deputados. Seguiu-se o PS, com um total de 32.72% dos votos e menos 3 deputados que este ano, o BE (11.14%) e a CDU (6.83%), que elegeram mais 1 deputado cada do que nas eleições seguintes.

A nível nacional, o PS venceu sem maioria absoluta, com 1.866.511 votos. Em segundo lugar ficou o PSD, com 1.420.553 votos.

 

Ana Raquel Reis