MUPA encerra cartaz da edição deste ano com Rian Treanor, Aya e Manuel João Vieira

A decorrer em Beja entre os dias 22 e 26 de junho, o MUPA – Música na Planície, decidiu alargar o alinhamento para a edição de 2022 e, numa segunda ronda de confirmações, anunciou os últimos nomes a fechar a programação.  

Fotografia por Marta Pina

O MUPA regressa à cidade de Beja pela terceira vez consecutiva, com a proposta clara de cruzar gerações, costumes e músicas de diferentes latitudes.

Durante os cinco dias de festival, em que apenas três deles são pagos – os dias 22 e 26 de junho terão entrada gratuita –, os artistas vão pisar inúmeros espaços (alguns deles históricos) como Oficina os Infantes, Campo de Jogos do Bairro da Conceição ou Pátio da Capela de Nossa Senhora da Piedade. O festival pretende, assim, construir uma ligação entre a música ao vivo e os espaços da cidade com vasta memória coletiva, descentralizando a cultura dos seus pontos nevrálgicos e aproximando-a da comunidade.

Fotografia ilustrativa

Em abril, tinham já sido anunciados África Negra, Föllakzoid, Cookie Jane, Ghoya, Riccardo La Foresta, Clothilde, Gadutra, Lapili, Baba Sy e MBODJ do Jokkoo Collective, De Schuurman e DJ Diaki da Nyege Nyege, João Melgueira e Viegas.

Ambos britânicos, Aya e Rian Treanor são os dois nomes que mais se destacam no novo alinhamento. Anteriormente conhecida como LOFT, Aya traz na bagagem o seu último trabalho de estúdio, o álbum im hole, com o selo da editora discográfica Hyperdub. Recebido com ovação pela maioria da crítica, inclusive pela Pitchfork, que o catalogou como Best New Music e um rating de 8.2/10, im hole é, como descreveu ReB Team, um vortex depressivo que culmina em 11 batidas distorcidas e experimentações texturais (ouve aqui o álbum completo). Rian Treanor traz consigo uma mescla de club music e eletrónica experimental, com laivos que roçam os géneros bleep techno e speed garage, conferindo a algumas das suas faixas um carácter mais dançável.Ambas as fotografias retiradas do site bandcamp dos artistas

Este ano a residência artística pertence a Tellurian, um projeto de Carincur com João Pedro Fonseca (Zabra) e o Coro do Carmo de Beja. O resultado será apresentado a 23 de junho, no Salão da Santa Casa da Misericórdia.

Por fim, à lista de produtores e DJs encarregues de fechar as noites, juntam-se DJ Firmeza, nome-âncora da batida lisboeta e da Príncipe Discos, Tiago, o DJ residente do Lux Frágil, e ainda os locais DJ Stá e Hang the DJ. (David Madeira, Threshold Magazine, 2022)

À data de publicação, os passes gerais Early Bird já se encontram esgotados, mas ainda podes encontrar passes em formato pré-venda aqui.

 

Gustavo Monteiro Claro