Arquivo mensal: Janeiro 2022

Legislativas: PS alcança a maioria absoluta

António Costa conseguiu a maioria absoluta esperada com a obtenção de 117 mandatos e 41,58% dos votos. Chega e Iniciativa Liberal saem também vencedores ao consolidarem-se como terceira e quarta força política. A abstenção foi de 42%.

A vitória do PS alcançou as pretensões de Costa e partidos como o PSD, o Bloco de Esquerda e o Partido Comunista perdem terreno.

Segundo os dados da SGMAI, em quase todos os distritos o PS obteve mais de 40% de aprovação, com a exceção de Aveiro, Leiria, Faro e Madeira.

Em Aveiro a abstenção foi de 43,2%. O PS ficou em primeiro lugar com 39,5% e 8 mandatos.

Fonte: Jornal Bairrada

Apesar da liderança parlamentar continuar a ser de esquerda, a direita aumentou o seu número de deputados em relação às anteriores legislativas.

Face às eleições de 2019 pode-se verificar:

  • O PS, em 2019, obteve 36,34% dos votos e conseguiu 108 mandatos. Alcançou, por isso, melhores resultados este ano não só em percentagem, 41,58%, como nos 117 mandatos.
  • O PPD/PSD que tinha obtido 27,76% e 79 mandatos, perdeu lugares no Parlamento, dado que nestas eleições ficou com 71 mandatos e 27,80% dos votos.
  • O Chega que, em 2019, tinha ficado em 7º lugar com 1,29% e com 1 mandato tornou-se a terceira força política ao obter 7,15% dos votos e 12 assentos parlamentares.
  • A Iniciativa Liberal que tinha o mesmo número de mandatos e a mesma percentagem de votos que o Chega nas eleições passadas, alcançou este ano o 4º lugar com 4,98% dos votos e 8 mandatos.
  • O Bloco de Esquerda que era o terceiro partido mais votado, com 9,52% e 19 lugares, passou a ser o quinto com 5 deputados e 4,46% dos votos.
  • O PCP-PEV que tinha alcançado o quarto lugar em 2019, com 12 lugares e 6,33% dos votos, desceu de posição nos resultados deste ano com 4,39% e 5 mandatos.

Ana Catarina Gil

Legislativas: coligação PSD/CDS vence na Madeira

O partido venceu as eleições na Madeira. Sendo a mais votada em 10 concelhos, conseguiu manter os seus deputados, com 39,83%, mas não consegue obter uma maioria absoluta. Machico foi o único concelho que não se cobriu de laranja pela restante Região Autónoma.

Apesar da vitória nas eleições , o PSD/CDS não conseguiu alcançar mais votos que  em 2019 quando o PSD somava 48.231 e o CDS 7.852, num total de 56.083. Este ano os dois apresentaram um total de 50.634 votos. Elegeram três deputados, nenhum deles do CDS (Sérgio Marques, Sara Madruga da Costa e Patrícia Dantas).

Tendo em conta os restantes partidos o PS recolheu 40.004 votos (31,47%) perdendo igualmente votos em relação a 2019 apesar de ter segurado os 3 deputados (Carlos Pereira, Miguel Inglésias e Marta Freitas). A terceira força mais votada, JPP recolheu 3.244 votos (32,82%) que melhorou os seus resultados face a 2019. CHEGA ficou em quarto, com 2.354 votos (4,37%).

Resultado das eleições Legislativas 2022-RAM

A noite destacou-se para o projeto “Madeira primeiro”, contudo a abstenção voltou a aumentar na região chegando este ano aos 50,43%

Carolina Mendonça

Vasco Ferreira

Ao contrário do esperado em todas as previsões, que indicavam uma minoria ou empate técnico, o Partido Socialista de António Costa venceu as eleições legislativas para a Assembleia da República com maioria absoluta, a segunda na história do PS e a quinta em 45 anos de democracia constitucional.

Assim, ao atingir os 41,7% dos votos nas eleições de passado dia 30, mais 5,34 pontos percentuais do que em 2019, o PS conseguiu garantir mais 9 assentos à aqueles que possui no atual Governo Constitucional. Já o Partido Social Democrata conseguiu um resulto um pouco melhor do que há três anos numa diferença de 0,6pp mas perde 8 deputados no Parlamento, passando agora a contar com 71.

O segundo maior destaque destas eleições para além da maioria absoluta do PS foram as afirmações do Chega e da Iniciativa Liberal como a 3ª e 4ª maiores forças políticas em Portugal. Enquanto os dois partidos conseguiram, ambos, 1,29% em 2019, em 2022 o resultado, respectivamente, subiu para 7,15% e 4,98%. André Ventura e João Cotim Figueiredo terão uma companhia de 11 Chegas e 7 Liberais.

A restante esquerda viu-se derrotada. O Bloco de Esquerda desce 5pp, perdendo 14 assentos. A Coligação Democrática Unitária (PCP-PEV), teve um resultado também inferior, menos 2pp do que nas últimas legislativas e fica com metade dos deputados que conseguiu em 2019. O Livre volta a ter representação em São Bento após a saída de Joacine Moreira desse partido há 2 anos. No caso do PAN, conseguiu um resultado melhor, 1,53% em comparação aos 3,32 de 2019.

Outro grande destaque é o facto de que, pela primeira vez em 46 anos, foi eleito uma Assembleia da República sem qualquer representação do Partido do Centro Democrático Social. Apesar de ter conseguido mais votos que o PAN e o Livro, o CDS-PP não conseguir assegurar nenhum deputado nestas eleições.

Agora, apresentaremos o total de resultados no conselho do Porto, o PS ultrapassa o PSD-PPD como o partido mais votado, mas os Sociais Democratas ficam a uma margem do resultado dos Socialistas. A IL e o Chega registaram as subidas mais acentuadas, o primeiro conseguiu mais 6681 votos do que em 2019 enquanto o partido de Ventura, que em 2019 apenas 564 votos neste circulo, teve 4326 neste ato eleitoral. O Livre também conseguiu registar uma subida de ,59 pontos percentuais em relação de há 2 anos e meio e a CDU, o BE e o CDS-PP pioraram nos resultados (descidas em 1,77; 4,96 e 2,21 pontos percentuais, respetivamente.)

Fechando a notícia, é dada a informação que a abstenção foi menor em 9% do que em 2019 e de que o Partido Socialista conseguiu fazer história ao ser o partido político mais votado em todos os 18 distritos de Portugal Continental, um feito inédito.

 

Total de resultados no conselho do Porto.

Fontes:RTP (2019 e 2022)