VII Jornadas ObCiber: premiar o ciberjornalismo e combater a desinformação

As VII Jornadas ObCiber 2021, vão premiar o ciberjornalismo. No dia 15 de dezembro, às 16h30, grandes trabalhos do jornalismo online  vão competir em 8 categorias. Antes da atribuição dos prémios ocorrerá um debate, moderado por Hélder Bastos. O debate incide sobre os cibermeios e a desinformação, com a presença de nomes ligados ao IBERIFIER.

 

No dia 15 de dezembro, vão ser conhecidos os vencedores da 14ª edição dos Prémios de Ciberjornalismo. Nas VII Jornadas ObCiber, o público irá decidir quais os melhores trabalhos jornalísticos publicados online. Antes de serem conhecidos os vencedores, ocorrerá um debate, moderado por Hélder Bastos, diretor da Licenciatura em Ciências da Comunicação da Universidade do Porto.

As jornadas ObCiber premeiam a excelência ciberjornalística, contando com um júri diverso e ainda com a votação do público. Este ano realizam-se online, sendo que o período de candidaturas, destinado apenas a trabalhos publicados online entre 1 de setembro de 2020 e 30 de setembro de 2021, terminou no dia 29 de outubro.

Nesta 14ª edição, nomes como o “Observador”, “Público” e “JPN – Jornalismo Porto Net” encontram-se na corrida aos prémios sorteados nestas categorias. O JPN entrou na corrida com a reportagem “Síndrome de Tourette”: Os tiques não os definem”, que incide sobre vários portadores do síndrome e a forma como a sociedade vê e age perante eles.

O debate que ocorre às 14 horas, é transmitido online. Em anos anteriores, já foram discutidos vários assuntos importantes para o ciberjornalismo. Este ano, outros nomes ligados a grandes causas, como o IBERIFIER, trocam ideias antes de serem conhecidos os vencedores dos prémios, às 16h30, também num contexto online.

Cartaz das VII Jornadas ObCiber, in Observatório do Ciberjornalismo

Neste debate estiveram representados o ISCTE-IUL, a agência Lusa e a Universidade de Navarra, ligados ao IBERIFIER. Sabe-se que o observatório “irá criar um observatório para investigar os meios digitais e identificar as ameaças de desinformação”.

Para o professor catedrático do ISCTE-IUL, Gustavo Cardoso, que lidera a equipa portuguesa, o IBERIFIER “representa o nascimento de uma resposta integrada aos desafios da desinformação a partir da Europa, mas com alcance no mundo falante de português e castelhano”.

Após o debate, as atenções voltam-se para os prémios que se dividem em oito categorias, sendo elas “Excelência Geral em Ciberjornalismo”, ” Última Hora”, “Reportagem Multimédia”, “Narrativa Vídeo Digital”, Narrativa Sonora Digital”, “Infografia Digital”, “Ciberjornalismo de Proximidade” e “Ciberjornalismo Académico”.

Na 14.ª edição dos Prémios de Ciberjornalismo a atribuição dos prémios  cabe também ao público, depois do júri ter feito as suas escolhas. As votações decorrem até ao dia 13 de dezembro e podem ser efetuadas através deste formulário.

Margarida Isabel Pereira.