São já conhecidos os finalistas para os Prémios de Ciberjornalismo 2021

Foram já anunciados os projectos finalistas para a 14º edição dos Prémios de Ciberjornalismo. Os resultados serão divulgados no dia 15 de Dezembro nas VII jornadas do ObCiber.

São 8 as vertentes que já possuem os três elegíveis nomeados para a edição dos Prémios de Ciberjornalismo 2021, uma iniciativa da Universidade do Porto.

O Público, o Observador e a Renascença estão na corrida para o prémio que distingue a “Excelência Geral do Jornalismo”. Este ano, para além da secção anteriormente referida, o concurso pretende galardoar os jornalistas nas seguintes categorias:  “Última Hora”; “Reportagem Multimédia”; Narrativa Vídeo Digital; “Narrativa Sonora Digital”; “Narrativa Vídeo Digital”; “Infografia Digital”; “Ciberjornalsimo de Proximidade” e “Ciberjornalismo Académico”.

Para além dos prémios do júri, tal como em edições passadas, serão atribuídos prémios do público. Já está aberta a página onde é possível realizar a devida votação. Esta estará aberta até ao dia 13 de Dezembro. Os resultados serão conhecidos no dia 15 de Dezembro pelas 16h30 nas VII jornadas do Obi Ciber.

O JPN está nomeado para a categoria “Ciberjornalismo Académico” com a reportagem “´Síndrome de Tourette: Os tiques não os definem” , realizado por Leonor Hemsworth, Ana La-Salete Silva, Miguel Freitas e Rui Vieira Cunha. A reportagem aborda diferentes casos de jovens que sofrem com este problema e o modo como conseguem ultrapassá-los diariamente.

Miguel Freitas, nas suas redes sociais, mostrou-se muito satisfeito por estar entre os nomeados e apelou ao voto aos seus seguidores no Instagram.

As VII Jornadas do ObCiber terão como princípio o debate sobre “Cibermeios e Desinformação”, marcado para dia 15 de Dezembro, a partir das 14h por via online. Ao IBERIFIER, um dos oito observatórios regionais promovidos com fundos europeus para investigar a desinformação, fazem parte três das quatro instituições participantes no debate.