Dezembro traz consigo as VII Jornadas do ObCider

No dia 15 de dezembro, serão sediadas as VII Jornadas  do ObCider, nas quais será realizado um debate, bem como a nomeação dos vencedores dos Prêmios de Ciberjornalismo 2021.

Este ano, as VII Jornadas do Observatório de Ciberjornalismo da Universidade do Porto, o ObCider, recebem sua 7ª edição. O evento é dividido em dois momentos, nomeadamente um debate, que discutirá o tema “Cibermeios e Desinformação”, e os Prêmios de Ciberjornalismo 2021. O debate online será iniciado a partir das 14h00, e terá como integrantes Gustavo Cardoso, do ISCTE-IUL, Natália Leal, da Agência Lupa, Ramón Salaverría, da Universidade de Navarra, e Luísa Meireles, da Agência Lusa.

Na lista de participantes, destaca-se a presença do Instituto Universitário de Lisboa – ISCTE – e da Universidade de Navarra. Ambas as instituições fazem parte de um consórcio, o IBERIFIER, que dará origem à um observatório para investigação dos meios digitais. Recém criado e composto por 23 entidades portuguesas e espanholas, o projeto tem o intuito de apontar ameaças de desinformação nesses meios. Ramón Salaverría, da Universidade de Navarra é um dos líderes do consórcio.

No mesmo dia, a partir das 16h30, serão apresentados os nomes dos jornalistas que receberão os Prêmios de Ciberjornalismo 2021, em um evento online. Ao todo, serão entregues 8 prêmios, um para cada um de seus respetivos ganhadores. Os prêmios referidos são os seguintes: Excelência Geral em Ciberjornalismo; Última Hora, Reportagem Multimédia; Narrativa Vídeo Digital; Narrativa Sonora Digital; Infografia Digital; Ciberjornalismo de Proximidade; e Ciberjornalismo Académico.

As candidaturas para a 14ª edição da premiação abriram dia 8 de outubro, sendo permitidas apenas as submissões de trabalhos jornalísticos publicados online entre os dias 1 e 30 de setembro. O período de candidatura finaliza no dia 29 de outubro. A partir do dia 6 de dezembro, foram iniciadas as votações pelo público para a eleição dos os trabalhos finalistas a serem premiados, já previamente curados pelo júri, que escolheu, dentre os todos os trabalhos submetidos. A notícia Síndrome de Tourette: os tiques não definem, do JPN, está entre os finalistas.

Nesta edição, júri foi composto 13 profissionais e docentes da área. São estes: Ana Pinto Martinho, do Instituto Universitário de Lisboa, PT),  Ana Isabel Reis, Fernando Zamith e Helder Bastos, docentes da Universidade do Porto, Filipa Rodrigues Pereira, do Instituto Politécnico de Viseu,  Inês Amaral, da Universidade de Coimbra, João Canavilhas e Pedro Jerónimo, ambos da Universidade da Beira Interior, Luís António Santos, da Universidade do Minho,  Luís Bonixe, do Instituto Politécnico de Portalegre, Marisa Torres da Silva, da Universidade Nova de Lisboa, Pavel Sidorenko, da Universidade Francisco de Vitoria,  e Walter Lima Junior, da Universidade Federal de São Paulo.

Maria Eugênia Sousa