Rui Moreira vence na União das freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória, mas perde força e maioria

Tal como nos resultados gerais do concelho do Porto, o PS também sofreu grande queda em relação à 2017, enquanto o PAN consegue seu primeiro mandato na Assembleia da União de freguesias

Fonte: Estela Silva/Agência Lusa

Semelhante aos resultados obtidos no concelho do Porto, o candidato independente Rui Moreira saiu vitorioso na União de freguesias do Centro Histórico do Porto, mesmo com a atenuação dos votos face à 2017. De mesmo modo, o PS viu reduzir pela metade o total de votos no sufrágio deste ano, comparado com os resultados de quatro anos atrás.

De acordo com os dados do Ministério da Administração Interna, a lista com maior aumento nos resultados foi PPD/PSD (mesmo com a dissolução da coligação formada junto ao PPM para candidatura em 2017), com crescimento similar na quantidade de votos à lista do Chega, partido que ainda não existia no sufrágio de 2017.

Para a Assembleia da União de freguesias, destacam-se a inédita cadeira obtida pelo PAN, após obter 696 votos logo na estreia, e o resultado equilibrado entre as três listas mais votadas: Rui Moreira (independente), PS e PPD/PSD. O primeiro continua com a maior quantidade de mandatos, com seis, seguidos pelo PS e pelo PPD/PSD com quatro mandatos cada. Em 2017, Rui Moreira elegeu maioria absoluta com sete mandatos, contra seis mandatos do PS e apenas três da coligação PPD/PSD.PPM. Completa-se a Assembleia da União de Freguesias com o Bloco de Esquerda e o PCP-PEV, com dois mandatos cada.

Fonte: Ministério da Administração Interna

Face às eleições autárquicas de 2017, a percentagem de abstenção aumentou, passando de 51,90% para 57,50%, proporção acima da média nacional (46,36%).

Com a nova composição da Assembleia da União de Freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória, pode-se esperar uma maior abertura e comunicação directa junto à população, além da continuidade na melhoria da circulação e trânsito na região, com o lançamento da nova linha rosa do Metro do Porto e outras iniciativas. Há de se esperar mais investimentos e atenção para os moradores, frente aos últimos anos de alto proveito ao turismo na região.

 

Robert Sousa