Arquivo mensal: Abril 2021

Homem atraído para encontro sexual acabou roubado e agredido

Seis jovens foram detidos pela Polícia Judiciária (PJ), no seguimento da operação “Chamariz”. Os crimes terão ocorrido em janeiro, no concelho de Sintra.

Os suspeitos, três homens e três mulheres, têm idades entre os 17 e os 22 anos e terão agredido e roubado um homem, que aliciaram para um encontro sexual pago.

Um dos elementos femininos recorreu à rede social WhatsApp para contactar a vítima e combinar um local para o encontro. Quando chegou ao local, o homem de 25 anos foi surpreendido pelos restantes elementos do grupo, que o ameaçaram e agrediram. Os jovens terão recorrido a armas brancas e uma arma de fogo e a violência utilizada fez com que a vítima tivesse de receber tratamento hospitalar.

Em comunicado, a PJ refere que os suspeitos “apropriaram-se dos bens pessoais do ofendido, nomeadamente da sua viatura, telemóvel, documentos, vestuário e um cartão de débito, cujo código foi obrigado a fornecer”. Os autores efetuaram um levantamento de numerário e procuraram transacionar o veículo roubado.

Os jovens são indiciados por “crimes de roubo agravado, ofensas à integridade física, burla informática e nas telecomunicações e detenção de arma proibida”, avança o mesmo comunicado.

A PJ afirma que vai continuar com a investigação, de modo a identificar um dos elementos, que não foi localizado, e averiguar a existência de outros crimes semelhantes, levados a cabo pelos mesmos.

Hugo Santos – Turma 4

Homem de 25 anos aliciado e agredido violentamente

Operação policial “Chamariz” identificou os autores da agressão e aliciamento a homem de 25 anos. Por Daniela Mota.

Na sequência da operação policial “Chamariz”, realizada ontem, a Polícia Judiciária identificou e deteve três homens e três mulheres, entre os 17 e os 22 anos, por roubo, agressão, burla informática e porte de armas proibidas.

Os atos foram cometidos no mês de janeiro, no concelho de Sintra. Um dos elementos femininos, através da rede social WhatsApp, aliciou a vítima, um homem de 25 anos, para um relacionamento sexual a troco de dinheiro. Foi acordado um local de encontro.

A vítima foi, de imediato, surpreendida pelos restantes elementos do grupo. Com recurso a arma de fogo e armas brancas, o homem de 25 anos foi ameaçado e agredido violentamente. Dada a gravidade dos ferimentos, a vítima recebeu tratamento hospitalar.

Os autores apropriaram-se dos bens pessoais da vítima, como carro, telemóvel, documentos e cartão de débito, cujo código foi obrigada a revelar. Com esse cartão, ainda no próprio dia, foi efetuado um levantamento e a viatura foi vendida.

Durante as investigações, foram recolhidas provas que comprovam os crimes. Um dos autores ainda está por identificar. Os detidos vão estar presentes a um primeiro interrogatório judicial, onde vão ser aplicadas medidas de coação.

A Polícia Judiciária vai dar seguimento à investigação. O objetivo é apurar o envolvimento dos autores em crimes semelhantes e a identidade do coautor que ainda está por localizar.  A Informação foi disponibilizada no comunicado de imprensa da Polícia Judiciária.

Seis suspeitos de crimes graves são detidos pela PJ no distrito de Lisboa

 

Seis suspeitos de crimes graves são detidos pela PJ no distrito de Lisboa

Durante a operação judicial, hoje, a PJ identificou os suspeitos pela prática de crimes graves e violentos em Sintra.

No total são três homens e três mulheres que completam os suspeitos pelas práticas de roubo agravado, ofensas à integridade física, burla informática nas telecomunicações e detenção de arma proibida.

Um dos crimes, cometido no mês de janeiro, foi realizado através da rede social WhatsApp, onde um dos elementos femininos terá aliciado uma vítima com o objetivo de obter dinheiro em troca de um relacionamento sexual.

No local de encontro marcado entre a vítima e a suspeita, o grupo criminoso, com recurso a armas de fogo e armas brancas, ameaçou e agrediu a vítima. Desta forma, os suspeitos apropriaram-se dos seus bens pessoais, tais como: a sua viatura, o telemóvel, os documentos, o vestuário e, ainda, o cartão de débito, cujo código foi obrigado a fornecer.

Os suspeitos utilizaram o cartão para efetuar um levantamento de numerário, tendo ainda tentado transacionar o veículo roubado.

Os detidos serão presentes a primeiro interrogatório judicial, no qual vão ser sujeitos à aplicação das medidas de coação processual adequadas.  A Polícia Judiciária admite, em Conferência de Imprensa , que irá prosseguir a investigação.

 

Juliana Fernandes, Up202005708

Turma 4

 

 

 

 

 

Sintra: detido grupo suspeito de roubar e atacar clientes da prostituição

Foto: Jcornelius

Homem de 25 anos aliciado via Whatsapp foi roubado e agredido por seis jovens durante um suposto encontro sexual, em Sintra. Pode não ter sido o único caso. 

A Polícia Judiciária deteve no passado dia 23 um grupo de seis jovens entre os 17 e os 22 anos, suspeitos de roubo e agressão a um homem de 25, que trabalhava fora do país, na linha de Sintra. Os três elementos femininos terão alegadamente mantido conversações via Whatsapp com a vítima, em que combinaram um encontro sexual em troca de uma quantia em dinheiro.

Quando o homem chegou ao local combinado foi surpreendido pelo grupo que, com recurso a armas de fogo e armas brancas, ameaçaram-no, agrediram-lhe violentamente e roubaram-lhe o carro, as roupas e documentos pessoais. Mais tarde, fizeram o levantamento de dinheiro por multibanco e tentaram vender o veículo, tal como avança a Polícia Judiciária em comunicado.

Segundo informações do jornal “Público”, o roubo apenas rendeu 20 euros ao grupo, uma vez que era essa a quantia que estava depositada na conta bancária da vítima.

A Polícia Judiciária, no decorrer da investigação, que batizou de “Operação Chamariz”, encontrou provas que ligam os jovens ao crime, prosseguindo com a sua detenção. Os seis suspeitos, indiciados dos crimes de roubo agravado, ofensas à integridade física, burla informática e posse de arma proibida, vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial.

A investigação da PJ vai continuar, uma vez que há a possibilidade da participação dos jovens em outros crimes semelhantes.

André D’Almeida (Turma 4)

Operação “Chamariz”- Seis suspeitos detidos

A Judiciária deteve seis suspeitos, indiciados pela prática de crimes de roubo agravado, ofensas à integridade física, burla informática e nas telecomunicações e detenção de arma proibida, hoje, em Sintra.

O grupo de suspeitos é formado por homens e mulheres, com idades entre os 17 e 22 anos.

Os crimes foram cometidos no passado mês de janeiro, iniciando-se quando um dos elementos femininos aliciou, através da rede social WhatsApp, uma vítima, um homem de 25 anos, para um relacionamento sexual mediante pagamento de dinheiro, tendo sido acordado um local de encontro.

Quando chegou ao local, a vítima foi, de imediato, surpreendida pelos restantes componentes do grupo criminoso. Este, com recurso a armas de fogo e armas brancas, ameaçaram e agrediram a vítima, com tal gravidade que esta necessitou de receber tratamento hospitalar.

Os autores, um dos quais ainda por identificar, apropriaram-se dos bens pessoais do ofendido, inclusive o carro e o cartão de débito, cujo código foi obrigado a fornecer. Com este cartão, o grupo efetuou, no mesmo dia, um levantamento tendo, igualmente, tentado vender o veículo roubado.

No decorrer das investigações, foram apreendidos relevantes elementos que servem de prova do crime.

A Polícia Judiciária, anunciou em comunicado, que vai continuar a investigação para apurar a eventual participação dos mesmos em outros crimes semelhantes, bem como a identificação do membro do grupo que ainda está por localizar.

Os detidos vão ser apresentados ao primeiro interrogatório judicial no qual vão ser sujeitos à aplicação das medidas de coação adequadas.

 Joana Silva, Turma 4

Seis suspeitos detidos na Operação “CHAMARIZ”

A Polícia Judiciária deteve seis elementos ontem, em Sintra. Os indivíduos estão indiciados por crime agravado, ofensas à integridade física, burla informática e nas telecomunicações e detenção de arma proibida.

 

De acordo com o comunicado de imprensa, a vítima, um homem de 25 anos, foi aliciada por um dos elementos femininos do grupo. O crime era realizado através da rede social Whatsapp e o homem era atraído para um relacionamento sexual mediante o pagamento de dinheiro.

Foi marcado um encontro e, quando chegou ao local, o homem foi surpreendido pelos seis elementos do grupo. Foi ameaçado e agredido, com recurso a arma de fogo e armas brancas, tendo sido encaminhado para o hospital.

Os autores apropriaram-se dos bens pessoais da vítima, nomeadamente da sua viatura, telemóvel, documentos, vestuário e um cartão de débito, cujo código foi obrigado a fornecer.

Os detidos serão presentes a primeiro interrogatório judicial. A Polícia Judiciária irá prosseguir a investigação, com o objetivo de apurar a eventual existência de mais crimes semelhantes. Um dos suspeitos está ainda por identificar.

Margarida Forte, up202006208, turma 4

Operação “CHAMARIZ” detém grupo de seis suspeitos

A Polícia Judiciária (PJ) deteve, esta sexta-feira, em Sintra, um grupo de três homens e três mulheres suspeitos da prática de crimes graves.

Na sequência de uma operação realizada, a Polícia, através de um inquérito dirigido pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Sintra, conseguiu localizar e identificar um conjunto de seis pessoas, de idades compreendidas entre os dezassete e os vinte e dois anos, indiciadas pela prática de crimes de roubo agravado, ofensas à integridade física, burla informática e nas telecomunicações e posse de arma não autorizada.

Os crimes ocorreram em janeiro e iniciaram-se quando um dos elementos femininos, através da rede social WhatsApp, aliciou um homem de vinte e cinco anos, para um relacionamento sexual mediante pagamento de dinheiro, tendo sido acordado um local de encontro. A vítima foi abordada pelos restantes elementos do grupo criminoso tendo-a estes, com recurso a arma de fogo e armas brancas, ameaçado e agredido.

Os autores do crime, um dos quais ainda por identificar, apropriaram-se dos bens pessoais do ofendido, nomeadamente da sua viatura, telemóvel, documentos, vestuário e um cartão de débito, que foi utilizado para a realização de um levantamento de numerário. Os alegados criminosos tentaram, também, transacionar o carro roubado.

A Polícia Judiciária irá prosseguir a investigação de modo a apurar a eventual participação dos suspeitos em outros crimes semelhantes, bem como a identificação do coautor por localizar.

Os detidos serão presentes a primeiro interrogatório judicial, onde vão ser aplicadas medidas de coação processual adequadas.

 

Sofia Fernandes turma 4

Operação “Chamariz”: PJ detém grupo de 6 suspeitos de crimes em Sintra

A Polícia Judiciária deteve, nesta quinta-feira, três homens e três mulheres, em Sintra. Os suspeitos estão indiciados por crimes de roubo, ofensas à integridade física, burlas informáticas e posse de armas ilegal.

De acordo com um comunicado da PJ, o grupo tem idades compreendidas entre 17 e os 22 anos, e atua na área de Lisboa e Vale do Tejo, no concelho de Sintra.

A operação teve início no passado mês de janeiro, após a sinalização de um esquema de furto e agressão a um homem, com recurso a armas brancas e de fogo.

A vítima de 25 anos foi aliciada, através da rede social Whatsapp, por uma das mulheres suspeitas. O encontro para um relacionamento sexual culminou num ataque violento por parte dos membros do grupo. O jovem necessitou receber tratamento hospitalar.

O grupo apropriou-se de bens pessoais do indivíduo, “nomeadamente da sua viatura, telemóvel, documentos, vestuário e um cartão de débito”. Estes elementos foram constituídos provas na elaboração do caso. Porém, um dos suspeitos ainda não foi identificado.

A Polícia Judiciária revelou que “irá prosseguir a investigação, no sentido de apurar a eventual participação dos mesmos em outros crimes semelhantes, bem como a identificação do coautor por localizar”.

Os detidos serão presentes, hoje (sexta-feira), “a primeiro interrogatório judicial, no qual serão sujeitos à aplicação das medidas de coação processual adequadas”.

 

Beatriz Silva, Turma 4

Operação “CHAMARIZ” – 6 suspeitos detidos por prática de roubo e agressão

A Polícia Judiciária deteve ontem seis suspeitos acusados de crimes de roubo e agressão, no seguimento da Operação “Chamariz” realizada no concelho de Sintra.

O comunicado de imprensa publicado hoje pela Polícia Judiciária refere que os suspeitos são três homens e três mulheres, com idades compreendidas entre os 17 e os 22 anos, indiciados pela prática de crimes de roubo agravado, ofensas à integridade física, burla informática e nas telecomunicações e detenção de arma proibida. Os factos foram cometidos no passado mês de janeiro, no concelho de Sintra.

O crime terá sido iniciado por uma das mulheres, que entrou em contacto com a vítima, um sujeito de 25 anos, seduzindo-o para a prática de um relacionamento sexual mediante pagamento. Chegada ao local de encontro combinado, a vítima depara-se com o restante grupo, que a terá ameaçado e agredido de forma violenta com recurso a arma de fogo e a armas brancas. O sujeito necessitou de receber tratamento hospitalar.

O grupo apoderou-se do vestuário, documentos, telemóvel, viatura e cartão de débito do ofendido, cujo código foi obrigado a revelar. Foram realizados um levantamento de numerário e uma tentativa de venda de veículo.

Os detidos vão ser sujeitos à aplicação das medidas de coação processual adequadas, num primeiro interrogatório judicial. A Polícia Judiciária vai prosseguir com a investigação, para apurar a eventual participação dos mesmos noutros crimes da mesma natureza, e ainda prosseguir à identificação de um dos autores do crime, que ainda está por localizar.

 

Marta Araújo Monteiro, up202005068, Turma 1CC04

Detenção de seis suspeitos na operação “Chamariz”

A Polícia Judiciária (PJ) deteve, hoje, seis suspeitos da prática de vários crimes no concelho de Sintra, distrito de Lisboa.

Em comunicado, a PJ adianta que identificou e deteve três homens e três mulheres, com idades compreendidas entre os 17 e 22 anos, na sequência da operação “Chamariz”. As acusações recaem sobre crimes de roubo, ofensas à integridade física, burla informática e nas telecomunicações e posse de arma proibida.

Os detidos aliciaram um homem de 25 anos através da rede social WhatsApp. Um dos elementos femininos contactou-o para um relacionamento sexual mediante pagamento de dinheiro e acordou um local de encontro.

Quando chegou ao local, a vítima foi surpreendida pelo grupo e ameaçada com arma de fogo e armas brancas. No seguimento do ato ocorrido em janeiro, o homem necessitou de tratamento hospitalar.

Segundo a polícia, os autores, um dos quais ainda por identificar, apropriaram-se de bens pessoais do ofendido, como a viatura, telemóvel, documentos, vestuário e um cartão de débito. O grupo conseguiu efetuar um levantamento de numerário com o cartão e tentaram transacionar o veículo roubado.

A PJ vai prosseguir a investigação e os detidos serão presentes a primeiro interrogatório judicial, no qual vão ser sujeitos a medidas de coação.

 

Carolina Cerqueira (Turma 4)