Arquivo mensal: Dezembro 2020

Festivais: Perdeu-se mais de 1,5 mil milhões de euros com a pandemia

Devido à pandemia da covid-19, o Governo viu-se obrigado a cancelar todos os festivais de verão planeados para 2020, gerando uma perda de 1,6 mil milhões de euros. Os 287 festivais realizados em Portugal planeiam, agora, o regresso em 2021, na expectativa de recuperar parte do dinheiro perdido.

O festival minhoto Vodafone Paredes de Coura, manteve o mesmo calendário para o próximo ano (de 19 a 22 de agosto), com a promessa de manter o cartaz do ano anterior.O festival mais antigo português, que decorre em Paredes de Coura, ganha popularidade entre os jovens pelas paisagens e música alternativa que apresenta.

A organização do Nos Primavera Sound revelou em comunicado que as datas não se iam alterar, revelando a intenção de manter e reforçar o cartaz de 2020. O festival de música alternativa e eletrónica vai decorrer no Parque da Cidade, no Porto, entre os dias 10 e 12 de junho de 2021 e espera grande receção por parte dos jovens.

Já o festival de Vila Nova de Gaia, Meo Marés Vivas, atribui especial importância ao preço dos bilhetes, que não deve ser alterado. ‹‹Um dos maiores festivais de Portugal  e de muita importância para a região Norte››, conta com música de vários géneros tanto para jovens, como para adultos. O festival tem data marcada para os dias de 16 a 18 de julho do próximo ano.

O Meo Sudoeste também sentiu os efeitos da pandemia da covid-19 e foi obrigado a cancelar todos os concertos ‹‹por motivo de força maior››, explica a organização em entrevista ao correio da manhã. Um dos festivais mais populares para os jovens portugueses alterou o calendário e decorre, em 2021, de 3 a 7 de agosto, na Herdade da Casa Branca, na Zambujeira do Mar e promete música pop, trap, eletrónica e latina, numa edição esperada como ‹‹a melhor de sempre››.

O maior festival de música português, Nos Alive, contra a vontade da organização cancelou o festival, perdendo cerca de 50 milhões de euros de receita. A esperança remota para 2021, com novas datas divulgadas de 7 a 10 de julho no Passeio Marítimo de Algés, em Lisboa. A 14ª edição do evento garante músicas de vários géneros para um público de diferentes idades.

festicket

O festival Rock in Rio Lisboa teve um impacto na economia da capital nos últimos 10 anos de 350 mil milhões de euros. Com a chegada da pandemia, viu-se obrigado a adiar os concertos para os fim-de-semana de 19, 20 e 26,27 de junho de 2021. O festival brasileiro de música pop, rock, hip hop e eletrónica, que se realiza de dois em dois anos no Parque da Bela Vista em Lisboa, planeia a próxima edição há 3 anos e conta com público jovem, mas também adulto.

 

Ana Raquel Alves

 

 

Festivais musicais adiados para 2021 já têm novas datas

O Governo português anunciou o cancelamento de todos os eventos musicais até ao dia 30 de setembro, Haverá vales para os portadores de bilhetes dos festivais, mas muitos deles já anunciaram novas datas. 

Portugal enfrenta o combate a pandemia, e o Governo tomou várias decisões e uma delas foi o cancelamento  de festivais de música “e espetáculos de natureza análoga”.  Milhares de pessoas foram afetadas, não só portadores dos bilhetes, como também muitos músicos, técnicos e muitos profissionais do mundo das artes não puderam trabalhar o que levou também a uma crise artística.

Através das redes sociais, muitos festivais manifestaram a sua tristeza pelo cancelamento dos eventos musicais que eram marcados em todos os verões, Contudo, apesar do grande cancelamento, todos os festivais revelaram, que a saúde pública era a prioridade do país.

Felizmente, para todos aqueles que acabaram por sofrer as consequências dos festivais de música cancelados, muitos deles já anunciaram novas datas para 2021:

NOS Alive 

O festival Nos Alive, anuncia para dos dias 7,8,9 e 10 de julho, que marcará a sua presença no Passeio Marítimo de Algés e já anunciou o seu cartaz.

Muitas confirmações para este grande festival de música para 2021, eles são: Tom misch, Two door cinema club, Alt J, Parcels, Da weasel, Black pumas, Red hot chili peppers e muitos mais.

Meo Marés Vivas 

O grande festival que acontece em Vila Nova de Gaia marcado para os dias 16 a 18 de julho de 2021.  Este grande evento junta ANITTA e de LIAM PAYNE e JESSY J, grandes artistas já confirmados para o cartaz de 2021.

Summer Sumol Fest 

Este festival que marca a Ericeira já está marcado para os dias 2 e 3 de julho de 2021, também é de reforçar que já conta com a confirmação de PIRUKA, BURNA BOY e muito mais.

 Super Bock Super Rock 

O festival marcante do verão, também já conta com uma nova data marcada para os dias 15, 16 e 17 de julho, com muitas confirmações de grandes artistas para os melhores dias do verão, eles são: Foals, Local Natives e Boy Pablo, Kali Uchis, Slow J, Jungle, Brockhampton, Goldlink, Asap Rocky, Hot Chip, Wire, Son Lux, Pedro de Tróia e Ganso e  Dabady, estes já são algumas confirmações para o grande festival.

 

Estes foram alguns festivais que querem um verão de 2021 em força, devido a situação pandémica os festivais de música de 2020 foram cancelados para 2021, assim desta forma, há uma grande esperança para estes artistas e acaba por não haver consequências para quem já tinha o seu bilhete em 2020 que foi adiado para 2021.

Margarida Figueira

 

MEO Sudoeste 2021 apresenta nova confirmação: Lewis Capaldi

O cartaz da 24º edição do Meo Sudoeste tem sido divulgado e a promotora anunciou recentemente a confirmação de Lewis Capaldi no palco principal.

“Tribo, comecem a preparar esse pulmões: Lewis Capaldi sobe pela primeira vez ao palco

Fotografia retirada do site oficial Meo Sudoeste

do Meo Sudoeste”- pode ler-se em publicação nas redes sociais. O cantor e compositor conhecido por temas como “Before You Go” e “Someone You Loved“, atua no dia 4 de Agosto do próximo ano.

O escocês de 24 anos atua no mesmo dia de Bad Bunny e Profjam. Artistas como Major Lazer, Deejay Telio, Ozuna e Bispo completam o cartaz do evento na Herdade da Casa Branca, na Zambujeira do Mar, entre os dias 3 e 7 de Agosto.

Num comunicado, motivado pelo COVID-19, feito há uns meses, a organização explica que “continuaremos mais fortes e motivados do que nunca, para fazer da 24ª edição no próximo ano, uma das melhores de sempre!” O staff afirma ainda que estão a trabalhar para manter ou até mesmo melhorar o cartaz.

Recorde que vários eventos foram adiados para o próximo ano na sequência da pandemia Covid-19. Meo Marés Vivas, Nos Alive e Rolling Loud Portugal, festivais populosos, também sofreram alterações: Meo Marés, festival que ocorre em Vila Nova de Gaia, tem novas datas para 16, 17 e 18 de julho; Nos Alive, tem lugar nos dias 7, 8, 9 e 10 de julho; Rolling Loud ocorre em Portimão de 6 a 8 de julho.

Super Rock Super Rock e Vodafone Paredes de Coura, com menor afluência em comparação com os anteriores, também reagendaram as suas edições na medida em que o primeiro se realiza entre os dias 15 e 17 de julho e o segundo para 18, 19, 20 e 21 de agosto.

Com dimensões mais reduzidas, O Sol da Caparica realiza-se de 12 a 15 de Agosto e Afro Nation, em Portimão, de 1 a 3 de julho.

Os bilhetes estão disponíveis nas diversas plataformas e em ticketline.pt.

Publicado por Catarina Mendes.

 

Acaba amanhã campanha solidária que vende merchandising dos concertos cancelados

“Uncancel Collection” pretende ajudar os profissionais do setor da cultura.

Primavera Soud Porto Fanpage/ Facebook

A campanha começou no dia 25 de Novembro e as receitas, que posteriormente serão convertidas em cartões alimentares, revertem a favor da União Audiovisual e dos profissionais do sector dos espetáculos, festivais e eventos que, devido à crise sanitária, estão a passar um período de grandes dificuldades.

No site, estão à venda artigos de merchandising que pretendiam ser vendidos nos eventos que iriam decorrer ao longo do ano e de outras marcas ou promotores com presença assídua nos mesmos.

A iniciativa inclui artigos dos maiores festivais portugueses tais como o Rock in Rio, Meo Sudoeste, Super Bock Super Rock, Nos alive, Nos Primavera Sound e Paredes de Coura, todos cancelados em 2020 devido ao Covid-19. 

Os preços vão dos cinco aos trinta euros. Caso não se queira adquirir nenhum produto, é ainda possível comprar a t-shirt virtual criada para esta campanha e continuar a apoiar a causa. Segundo a Associação Portuguesa de Serviços Técnicos para Eventos, este setor teve uma queda de atividade superior aos 80% e atinge taxas de desemprego acima dos 60%.

Maria Rui Vilela

Festival MEO Sudoeste adiado para 2021 devido à pandemia de COVID-19

A pandemia de COVID-19 levou ao adiamento de um ano dos festivais mais populares de música em Portugal, o MEO Sudoeste não foi exceção. Com cabeças de cartaz como Major Lazer, Timmy Trumpet, Bad Bunny e Ozuna, o festival situado na Herdade da Casa Branca regressa dia 3 de agosto do próximo ano.

Foto por: Eduardo Alberto

 

A par do MEO Sudoeste, também Rock in Rio, NOS Alive, Sumol Summer Fest, RFM Somni e Super Bock Super Rock, foram adiados devido à pandemia. O medo da propagação do novo coronavírus fez com que eventos com um elevado número de pessoas não se realizassem este ano.

Em declarações ao Correio da Manhã, a organização do MEO Sudoeste explica, “fazemo-lo por motivo de força maior, em pleno cumprimento das indicações das autoridades competentes, e em nome da segurança e do bem-estar do nosso público e de todos os envolvidos na realização do Festival, a nossa primeira prioridade”.

A promotora do festival, de seu nome Música no Coração, informou que os bilhetes adquiridos para os espetáculos que deveriam de ocorrer em 2020, são válidos para as novas datas de 2021 e que tudo estão a fazer para que a edição do próximo ano seja “uma das melhores de sempre”.

Há 23 anos que o MEO Sudoeste é a mítica casa de milhares de festivaleiros, que se juntam para celebrar a música, a amizade e as noites de calor no Alentejo e, no próximo ano, nomes sonantes não vão faltar. Entre eles está Ozuna, o cantor de vários sucessos mundiais como “Caramelo” o “Despeinada“. Músicas que contam com mais de 200 milhões de visualizações no YouTube.

A 24ª edição do festival da Zambujeira do Mar vai decorrer de 3 a 7 de agosto de 2021, com a abertura do campismo a 31 de julho. Fica aqui o vídeo da promoção do mesmo.

2020 o ano sem música: Os festivais cancelados

Sempre tem vários festivais que acontecem ao longo do ano no mundo todo, mas o ano de 2020 veio com uma surpresa, e por conta da pandemia do Covid-19 estes festivais não aconteceram, deixando a todos aqueles que esperavam comparecer a algum tristes.

No ano de 2020 o mundo vive uma pandemia, por causa da interação social ser um dos fatores que disseminam a contaminação do vírus a maioria dos eventos deste ano foram cancelados. No início do ano todos tentaram ao máximo não cancelar , mas conforme o tempo passou e não se havia uma data determinada para o fim da pandemia foi necessário cancelá-los e/ou remarcar-los para o próximo.

fonte: https://www.eventbrite.com.br/blog/planejamento/o-que-melhorar-em-festivais-de-musica-no-brasil/

Esses eventos têm públicos muito grandes e acabaram mudando os planos de milhões de pessoas. Tem-se os maiores festivais do mundo todos cancelados,de acordo com o site Projeto Pulso, como é o caso do SXSW, Tomorrowland, Primavera Sound, Roskilde, Sónar e Melt.

Festivais como SXSW e Ultra Music Festival foram cancelados, nestes casos as datas estavam marcadas para logo no começo da pandemia, assim não tiveram tempo de trazerem uma alternativa ao seu público. Já a Tomorrowland e o Afropunk conseguiram produzir um conteúdo todo online para o seu público como alternativa para o evento presencial que foi cancelado. A ainda aqueles festivais que conseguiram fazer um evento presencial como o Varanger Festival e o Festival de Jazz de Istambul, claro seguindo todas as medidas necessárias e com um público limitado, e também fizeram um evento online para o público geral.

Assim em um cenário novo para todos, tem-se a necessidade de inovar de acordo com a nova realidade. Junto com a pandemia pode-se perceber a crise econômica que vem junto, já que a maioria foi afetado diante das novas circunstâncias. No setor de eventos não seria diferente, ainda mais por implicarem na aglomeração de pessoas este setor sofre com a paralisação desde o começo da pandemia em março. Entretanto vários festivais estão tentando manter sua presença online para continuarem na cabeça do seu público-alvo, esta é uma estratégia de marketing adquirida para fazer com que mesmo que o festival não ocorra este ano, em 2021, quando espera-se a normalização da situação, as pessoas voltem a comprar os ingressos e participarem dos festivais.

 

Gabriela Cruz

 

COVID-19: Algarve cancela todos os festivais de verão

A Comunidade Intermunicipal do Algarve decidiu adiar todos os festivais de verão agendados até 30 de setembro para 2021, devido à covid-19.

Este é um cenário que não se vai poder ver no Algarve no verão de 2020 – (Foto Câmara Municipal de Esposende)

Os dezasseis municípios que integram a Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) decidiram, na reunião do Conselho, que todos os festivais de música e outros eventos que possam significar aglomerações de pessoas, marcados até 30 de setembro, vão ser adiados para 2021.

Segundo o comunicado da AMAL, considerando que se vive um momento de incerteza no quadro da pandemia, os autarcas algarvios continuam a assumir como prioridades prevenir a doença, conter a pandemia e salvar vidas.

Alguns dos festivais cancelados são o Festival Sou Quarteira, o Afro Nation Portugal, o Eletric Daisy Carnival, a FATACIL, o Revenge of the 90’s ou também os concertos de Janeiro.

Os municípios da região decidiram ainda cancelar eventos de menor dimensão mas que impliquem grandes concentrações de pessoas. Os autarcas temem que a não realização de eventos de maior dimensão possa fazer aumentar a procura de outros eventos, o que poderá impactar a normal afluência. No entanto, essa decisão será tomada caso a caso por cada município.

 

Festival Sou Quarteira

A Câmara de Loulé informou que a terceira edição do festival Sou Quarteira, agendada para 22 e 23 de agosto, foi adiada para 2021, devido à covid-19.

Este é um festival urbano com sonoridades que passam pelo hip-hop e pelo afro. O palco do Passeio das Dunas já foi pisado por Carlão, Branko, Jimmy P, Mayra Andrade, Mundo Segundo & Sam The Kid ou Plutónio.

Além do festival, a Câmara Municipal de Loulé dinamiza também exposições, lançamento de livros ou projeção de documentários.

Festival Afro Nation Portugal

Outro festival cancelado na região do Algarve foi o Afro Nation Portugal. O festival, marcado para 17, 18 e 19 Julho, na Praia da Rocha, em Portimão, foi adiado para 1, 2 e 3 de Julho de 2021. Será a primeira vez que se realiza em solo português.

No entanto, os promotores revelaram que o festival de 2021 vai ser reforçado com caras novas. Para além dos cabeças-de-cartaz Wizkid, French Montana ou Tory Lanez, os reforços para o festival do próximo ano passarão por Burna Boy, Skepta, ou Mavado.

Os promotores do festival anunciaram também que os bilhetes permanecem válidos para as novas datas. Para aqueles que não podem ou não desejam estar presentes há a possibilidade de venda dos seus bilhetes, através de uma plataforma oficial.

 

João Paulo Amorim

Festivais 2021

2021 avizinha-se e os planos para os festivais ainda são incertos. Dos habituais festivais que ocorrem num ano, e que por esta altura já estariam confirmados, ainda 31 têm o seu cartaz incompleto.

Festivais de verão: guia prático para festivaleiros

Fonte: Deco Proteste

 

Festivais conhecidos como MEO Marés Vivas, NOS Alive, RFM Somnii, Sound Waves, Summer Opening e Sumol Summer Fest são apenas 6 dos 15 eventos a acontecer no mês de julho de 2021 que ainda não estão confirmados nem têm cartaz completo.

MEO Marés Vivas que irá decorrer nos dias 16, 17 e 18 de julho, em Vila Nova de Gaia, conta apenas com 3 artistas confirmados: Anitta, Liam Payne e Jessie J.

Já o NOS Alive, em Oeiras, com um cartaz mais completo, para os dias 7, 8, 9 e 10 de julho, já regista nomes como: Red Hot Chilli Peppers, Da Weasel, Nothing But Thieves, The Strokes, The Lumineers, Faith No More, The War on Drugs, Alec Benjamin e muitos outros.

O RFM Somnii, na Figueira da Foz, para os dias 9, 10 e 11 de julho, com a presença de vários artistas, entre eles: Alan Walker, Dimitri Vegas & Like Mike, Alok, Mandragora, Sean Paul e Rich & Mendes.

No dia 3 de julho, em Esmoriz, no Sound Waves, pode assistir ao espetáculo de Robert Mott, Kris Rod, Maru, Miss Sheila, Klangkuenstler, Toni Alvarez, Arvvela e Carol D’Souza a par de variados outros nomes.

O Summer Opening, a acontecer nos dias 16, 17, 23 e 24, no Funchal, ainda com um cartaz pouco preenchido, já confirma a presença de Deejay Telio, Bispo, Capicua, Piruka, Van Zee, Slow J, Plutonio e Valete.

Sumol Summer Fest, com lugar na Ericeira, nos dias 2 e 3 de julho, contará com vozes como Burna Boy, Trippie Redd, SAINt JHN, Mundo Segundo, Maze, Ace, Deau, Virtus, Piruka, XEG, Chullage, Sir Scratch, Kappa Jotta e Nenny.

Alguns destes festivais já têm bilhetes disponíveis à venda.

 

 

Cristiana Vieira

Em 2021 a música volta aos palcos.

Depois de um 2020 onde festivais foram cancelados em todo o mundo, em 2021, os festivais voltarão com força total.

Fonte: http://horariosfestivais.com/

O ano de 2020 está a ser um ano atípico para todos. E a indústria do entretenimento ao vivo tem sofrido tanto como qualquer um. Desde cinema à conferências de filmes e jogos como a Comic-Con foram todas cancelados, ou exibidos apenas digitalmente. Mas a indústria musical sofreu um enorme golpe.

Festivais de música ao redor do mundo, como o Lollapalooza Brasil, o popular Coachella, e aqui em Portugal o NOS Alive’ 20 foram cancelados ou adiados para 2021. Com isso, o próximo ano promete ser recheado de atrações musicais. Para os festivais adiados, pessoas que compraram seus ingressos mantém os mesmos para o próximo, o que garante que esses festivais terão bom público novamente. Já os que foram cancelados, as organizações destes festivais garantem a devolução do dinheiro.

A organização do Rock In Rio de Lisboa, um dos adiados do ano de 2020, já anunciou novas datas para o festival, que acorrerá nos dias 19, 20, 26 e 27 de Junho. Será a primeira vez que a versão portuguesa do festival ocorrerá no mesmo ano que o Rock In Rio Brasil, pois a edição portuguesa sempre acontece em nos pares, já a brasileira apenas em anos ímpares.

Cartaz do Lollapalooza Brasil 2020. Fonte: Divulgação.

Ainda não há a confirmação, porém, de que todos os artistas que já haviam sido confirmados nestes festivais estarão ou nâo presentes na edição do próximo ano. No Lollapalooza Brasil, grupos como os Guns N’ Roses que estavam confirmados, ainda não colocaram o festival entre a agenda de show da banda para o próximo ano o festival que ocorrerá no Brasil.

Há casos onde o cancelamento não se fez necessário, o Lollapalooza americano foi realizado em versão digital e disponibilizado no YouTube para quem já tinha ingresso comprado ou comprou um novo para a versão digital.

Ainda não se sabe ao certo como estes festivais irão ocorrer, Roberta Medina, vice-presidente da organização do Rock In Rio acredita que para o próximo ano, não deve-se fazer obrigatório o uso de máscaras. Alguns acreditam que as versões digitais podem ocorrer com mais frequência caso não se possa ter público nestes festivais. Uma coisa é certa, em 2021, a música voltará aos palcos, resta saber se o público voltará às cadeiras ou as pistas.

Guilherme Amaral

Consequências do COVID-19 nos festivais pelo mundo.

Prejudicados pelas restrições da pandemia inúmeros festivais planejados pelo mundo em 2020 foram adiados e até mesmo cancelados.

A pandemia do COVID-19 neste ano foi uma grande surpresa a todos, fazendo todos os setores mostrar sua resiliência em lidar com esse caos. No entanto, a área musical e cultural foram uma das mais afetadas, e para evitar aglomerações de pessoas, grandes festivais conhecidos mundialmente tiveram que ser adiados e em alguns casos cancelados.

O festival Coachella, mais importante da música pop nos EUA e um dos maiores do mundo, em meados de março foi adiado de abril para outubro, mas com o decorrer do ano foi alterado novamente para 9 e 18 de abril de 2021. Assim como o Lollapalooza, que ocorre anualmente em diversos países, tiveram todas suas datas remarcadas para o próximo ano.

Festival Coachella

Vários festivais de verão  na Europa também sofreram alterações, como o Glastonbury, no Reino Unido, que deveria comemorar este ano o 50.º aniversário iria acontecer entre 24 e 28 de Junho, mas a organização acabou por cancelar a edição deste ano, afirmando que o festival regressa em 2021 mas ainda sem data confirmada. Outro grande festival cancelado é o dinamarquês Roskilde, que este ano também comemoria sua 50.º edição.

Festival Glastonbury

Por decisão do governo belga, o Tomorrowland, um dos maiores festivais de música electrónica do mundo, teve suas datas remarcadas para julho de 2021. Em julho também, deveria acontecer na Suiça  mais uma edição do histórico Festival de Jazz de Montreux, mas também sofreu remarcação para o ano de 2021.

Feito por: Giovana Hernandes

Fontes: https://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2020/03/11/medidas-contra-coronavirus-adiam-e-cancelam-mais-shows-festivais-e-estreias-de-filmes.ghtml

https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2020/03/saiba-tudo-que-ja-foi-cancelado-na-cultura-por-causa-de-coronavirus.shtml