Arquivo mensal: Novembro 2020

Presidenciais: 8 nomes já anunciados na corrida a Belém mas ainda sem Marcelo

As eleições Presidenciais realizam-se no próximo ano. Até hoje, 8 pré-candidatos declararam a intenção de concorrer a Belém. Tanto a direita como à esquerda existem candidatos com grande mediatismo

Marcelo Rebelo de Sousa (Fonte: Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa)

No início de 2021, realizam-se as eleições Presidenciais em que Marcelo Rebelo de Sousa deve  concorrer com vista a um segundo e último mandato. Ainda nenhuma candidatura foi validada pelo Tribunal Constitucional, mas  são várias as figuras que apresentaram intenção de fazer frente a Marcelo. Desde  a extrema direita, representada por André Ventura, líder do CHEGA à extrema esquerda, representada por João Ferreira, o espetro político é diverso.

O Presidente em funções Marcelo Rebelo de Sousa ainda não apresentou a recandidatura, mas tudo indica que vai perseguir um segundo mandato e deve contar com o apoio do Partido Social Democrata (PSD) e até chegou a estar em cima da mesa o apoio formal do PS.

André Ventura foi eleito para o Parlamento em outubro de 2019 e tem sido uma das vozes mais sonantes na oposição ao governo do Partido Socialista (PS) e ao Presidente da República. Ventura apresentou a candidatura em fevereiro sob a égide de “expor a podridão deste sistema” que diz ser defendido por Marcelo. O deputado  admitiu que a vitória é quase impossível mas que aspetos como o combate à corrupção e as condições de trabalho das Forças de Segurança não podem continuar a ser ignoradas.

Ana Gomes, antiga eurodeputada socialista, é também forte crítica de António Costa e Marcelo. Conseguiu o apoio de figuras do PS e de alguns partidos e é considerada a candidata do “socialismo democrático”, apesar de não ter o apoio da totalidade do Partido do Governo. Gomes defende que Marcelo é um candidato que “vai facilitar a vida aos extremos”.

Marisa Matias, atual eurodeputada, candidata-se pela segunda vez depois dos 10,12% obtidos em 2016. Apoiada pelo Bloco de Esquerda, Matias já se afirmou convicta de que ficará à frente de André Ventura. Tiago Mayan Gonçalves, fundador do Iniciativa Liberal também já anunciou a pré -candidatura e a sua “bandeira” parece, tal como a de Ventura, passar a mensagem do seu partido, sem contar muito com uma eventual vitória.

Vitorino Silva, mais conhecido por “Tino de Rans” repete também a candidatura às Presidenciais depois de ter obtido  3,2% dos votos em 2016, muito próximo do candidato comunista daquele ano, Edgar Silva. Desta vez, o Partido Comunista leva João Ferreira, também eurodeputado e vereador da Câmara Municipal de Lisboa, que garantiu avançar com a candidatura “até ao fim”, sem a retirar mais perto das Eleições.

Os últimos 2 pré-candidatos conhecidos são Bruno Fialho, Presidente do Partido Democrático Republicano  e a de Orlando Cruz, ex-militante do CDS que já anunciou a candidatura por 3 vezes sem a oficializar junto do Tribunal Constitucional.

Filipe Pereira

 

 

 

 

Eleições Presidenciais Portuguesas: perspectivas para 2021

A ser realizada a 24 de Janeiro de 2021, a eleição presidencial já aponta seu favorito ao cargo e traz a possibilidade de uma reeleição para Marcelo Rebelo de Sousa, como indica recente estudo de opinião realizado pela Eurosondagem para o Porto Canal e o Sol.¹

Apesar de cenário promissor, a candidata Ana gomes continua a ganhar espaço na disputa presidencial, registando em nova pesquisa uma intenção de 17,2% dos votos, de acordo com a sondagem de Outubro feita pela Intercampus para o Jornal de Negócios e o Correio da Manhã.² 

Na pesquisa anterior tinha 14% das intenções de voto e com isso apresenta um crescimento de um pouco mais de três pontos percentuais. Apesar do espaço que a candidata socialista anda a conquistar, não parece ser o suficiente o para alcançar a expressiva vantagem que Marcelo Rebelo de Sousa ainda garante

Ana Gomes apresenta sua candidatura a presidente. Foto: José Sena Goulão/Lusa

Ana Gomes apresenta sua candidatura a presidente. Assista! 

Essa pesquisa também indica uma certa retração da vantagem do atual presidente, com 56,2% das intenções de votos, mas que ainda permanece em liderança. Em 2016, a vitória ficou garantida com 52% dos votos, consolidando sua posição a frente em todas as freguesias do país. 

André Ventura, candidato pelo Chega, apresenta queda de um ponto percentual, estando agora com 8,2% das intenções de votos. 

 

Por Maria Luísa Soares

Marcelo Rebelo de Sousa ainda não consta na lista de candidatos a Belém

A poucos meses do fim do mandato do atual Presidente da República, já se conhecem alguns dos pré-candidatos que estarão na corrida pelo lugar de Marcelo Rebelo de Sousa. Ana Gomes, Marisa Matias e André Ventura são alguns dos nomes mais sonantes.

Da esquerda à direita, são vários os candidatos que já se apresentaram para, no final de janeiro do próximo ano, concorrerem a Belém. Conheça aqui os aspirantes à Presidência da República dos principais partidos políticos.

Marisa Matias

A eurodeputada do Bloco de Esquerda Marisa Matias candidata-se à Presidência da República, pela segunda vez. Em 2016 conseguiu o melhor lugar de sempre para o Bloco de Esquerda, numas eleições presidenciais. Com 10,12% dos votos dos eleitores, a candidata, ficou em terceiro lugar.

A candidata afirma convicta que “Portugal precisa da República, da liberdade e da igualdade que nos torna a todos e a todas responsáveis pela nossa gente. A República é a terra de mulheres e homens, de crianças e adultos, de brancos e negros, de imigrantes e emigrados, sem discriminações, sem intolerância, sem perseguições. A liberdade e a igualdade são as minhas bandeiras”.

Fonte: Sic Notícias

Ana Gomes

A militante do partido socialista e ex-eurodeputada Ana Gomes, anunciou a sua candidatura a Belém em maio deste ano. A candidata garante que está na corrida a Belém “pelos portugueses e mais ninguém”.

O PAN já anunciou o seu apoio a Ana Gomes para as presidenciais. O partido que não vai ter candidato próprio salienta que Ana Gomes é uma candidata “forte e independente que vai ao encontro dos valores do PAN”.

André Ventura

André Ventura, o deputado e líder do Chega, foi o primeiro a anunciar a sua candidatura às eleições presidenciais de 2021. Segundo o mesmo, candidata-se devido ao “silêncio” de Marcelo Rebelo de Sousa a “assuntos que são caros ao Chega”, como, por exemplo, o caso de Tancos.

Numa declaração escrita à agência Lusa, André Ventura, faz vários ataques pessoais a Marisa Matias, chamando-a de “Madre Teresa de Calcutá comunista” e classificando Ana Gomes como uma “candidata cigana”.

João Ferreira

O candidato anunciado pelo partido comunista é João Ferreira. Este desempenha, atualmente, funções de deputado no Parlamento Europeu e é vereador da Câmara Municipal de Lisboa.

João Ferreira ambiciona defender os direitos da classe trabalhadora e promove a sua candidatura como símbolo da luta pelo povo, defendendo assim uma melhor remuneração para todos aqueles que vivem do seu trabalho.

 

O chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, ainda mantém em aberto a sua recandidatura.

 

Joana Madureira

61% nas sondagens dão maioria absoluta a Marcelo

O atual Presidente da República venceria as presidenciais à primeira volta. André Ventura ganha força no segundo lugar, seguido de perto por Ana Gomes. Eleições estão marcadas para janeiro de 2021.

Fonte: Observador

Um estudo da Eurosondagem indica que Marcelo Rebelo de Sousa venceria as eleições presidenciais com 61%, apesar de ainda não ter oficializado a recandidatura. É uma subida de nove pontos percentuais face ao resultado que o levou a ganhar as presidenciais de 2016, em que contabilizou 52%.

O candidato mais próximo é André Ventura. Apoiado pelo Chega, reúne 11% da preferência dos portugueses. A ex eurodeputada Ana Gomes, é terceira com 10%. Apesar do seu passado ligado ao Partido Socialista, Ana Gomes conseguiu o apoio do LIVRE e do PAN.

Fonte: SIC Notícias

Comparativamente com os resultados de 2016, a perseguição ao candidato mais votado perde força: António Sampaio da Nóvoa foi segundo com 22,88% e Marisa Matias terceira com 10,12%, aqui já equivalente ao número apontado a Ana Gomes.

É a própria Marisa Matias, novamente apoiada pelo Bloco Esquerda que surge em 4º lugar com 8,5%. O candidato do PCP, João Ferreira, é quinto com 5,5% das intenções de voto, o que representa uma subida de 1,56% face à votação obtida por Edgar Silva, também quinto em 2016, mas atrás dos 4,24% de Maria de Belém. É de realçar que os 3,94% de Edgar Silva representam o pior resultado de sempre de um candidato do PCP. Por fim, Tiago Mayan Alves, da iniciativa Liberal, reúne 1% da preferência.

Este estudo da Eurosondagem feito para o Porto Canal e o semanário Sol contou com 1.072 entrevistas validadas. 19,6% dos inquiridos estão indecisos ou não quiseram ou souberam responder. Os dados relativos aos resultados das eleições presidenciais de 2016 podem ser consultados no site do Ministério da Administração Interna.

 

Pedro Queirós

Sondagem aponta Marcelo como vencedor das presidenciais

Se as eleições presidenciais fossem hoje, Marcelo Rebelo de Sousa venceria com 62,7% dos votos, ficando muito adiantado em relação a Ana Gomes (17,2%) e André Ventura (7,6%)

Eleito à primeira. Sondagem aponta Marcelo como vencedor absoluto

©Infografia JN

 

Faltam cerca de dois meses para as eleições presidenciais e o atual Presidente da República não anunciou uma recandidatura, mas se as eleições fossem hoje, Marcelo Rebelo de Sousa venceria folgadamente na primeira volta, a mais de 45 pontos percentuais do segundo posto.

A mais recente sondagem realizada pela Aximage para a TSF e o JN revela uma novidade: Ana Gomes retoma a segunda posição, com 17,2% dos votos, lugar que tem vindo a trocar noutras recentes sondagens com André Ventura, do CHEGA, o primeiro a anunciar uma candidatura, que alcançaria assim o terceiro lugar com 7,6% dos votos (a margem de erro da sondagem é de 3,7%).

Abaixo situa-se Marisa Matias, candidata pelo Bloco de Esquerda que também participou nas eleições presidenciais de 2016, que consegue atingir 4,7% dos votos.

A partir daqui, a distância para os outros candidatos volta a aumentar. João Ferreira, do PCP, conta com 1,6% dos votos, Tiago Mayan Gonçalves, da Iniciativa Liberal, com 1,5% dos votos e Tino de Rans, do RIR, consegue apenas 0,3% dos votos.

Marcelo Rebelo de Sousa lidera em todos os segmentos, com destaque para o apoio dos jovens e das classes mais baixas. Quanto à cor do voto, o atual Presidente recebe, além dos 67% de intenções do voto socialista, 83% junto dos eleitores do PSD e metade dos inquiridos do Bloco de Esquerda. Já Ana Gomes obtém os seus melhores valores junto dos eleitores mais idosos e da classe média alta. André Ventura recolhe intenções de voto sobretudo junto dos inquiridos de classe média baixa. Marcelo Rebelo de Sousa é o mais nomeado quando se pede aos inquiridos para dizerem de que candidatos se lembram.

Recorde-se que nas eleições presidenciais de 2016, Marcelo Rebelo de Sousa venceu com 52% dos votos, ficando Sampaio da Nóvoa em segundo lugar com 22,9% dos votos e Marisa Matias em terceiro com 10,1% dos votos. Mais de metade dos eleitores escolheram a abstenção.

O trabalho de campo para este estudo da Aximage decorreu entre os dias 22 e 26 de outubro. À amostra de 694 entrevistas corresponde um grau de confiança de 95% com uma margem de erro de 3.7%.

 

João Paulo Amorim

Marcelo Rebelo de Sousa apontado como o favorito nas eleições presidenciais

A posição de Marcelo Rebelo de Sousa nas sondagens continua estável. O atual Presidente da República encontra-se à frente de Ana Gomes e André Ventura.

Foto retirada do Jornal Económico.

A poucos meses das eleições presendenciais, que se deverão realizar em Janeiro de 2021, Marcelo Rebelo é apontado como o favorito e conta com a maioria dos votos do Partido Socialista, 67%. Manuel Alegre, deputado do PS, numa declaração escrita  enviada ao jornal Público, destaca o mandato do atual Presidente designando-o como “um mandato positivo” e refere ainda a “”amizade e generosidade” do chefe de Estado.

Com todas as candidaturas aprovadas, Marcelo Rebelo de Sousa surge, na sondagem de Aximage, como possível vencedor, caso se decida recandidatar, da primeira volta à frente de nomes como Ana Gomes, André Ventura  e Marisa Matias. O chefe de Estado lidera em todos os segmentos (idade, região e classe social), com destaque para o apoio do voto jovem e das classes mais baixas.

Numa outra sondagem, esta realizada para o Porto Canal e Seminário Sol, é possível verificar também a vitória de Marcelo Rebelo de Sousa com 61% dos inquiridos. André Ventura, por sua vez, ocupa o segundo lugar com uma percentagem de 11% e Ana Gomes com apenas 10%. 

Depois do PSD também ter declarado o seu apoio a Marcelo, este afirma, numa entrevista à Revista Sábado, que  tem a obrigação de agradecer a quem o apoiou  e menciona ainda o facto de ter de “dar uma palavra ao Dr.Rui Pinto“.

Descontente com os resultados, André Ventura acusa, numa entrevista à Lusa, o ex-comentador político de ser “cúmplice do Governo” e  “para-raios” do primeiro-ministro, António Costa. O deputado do Chega prevê ainda que as eleiçoes serão uma “luta díficil”.

Recorde que nas últimas eleições presidenciais, Marcelo Rebelo de Sousa ganhou com 52,00% dos votos, seguindo-se Sampaio da Nóvoa com 22,88% e Marisa Matias com 10,12%.

Marcelo encontra-se no cargo de Presidente da República desde 9 de março de 2016.

Fonte da fotografia: Jornal Económico

Publicado por Catarina Mendes

Eleições Presidenciais em Janeiro de 2021. Marcelo lidera as pesquisas.

Apesar da pandemia da Covid-19, seguem marcadas para janeiro as Eleições Presidenciais Portuguesas. Atual Presidente, Marcelo Rebelo de Sousa lidera pesquisas.

Por Guilherme Amaral.

Fonte: Lusa

Mesmo com a pandemia com números maiores do que na primeira onda, as Eleições Presidenciais continuam marcadas para Janeiro de 2021, mas ainda sem dia exato. Até o momento, já foram declaradas 8 pré-candidaturas.

O atual Presidente, Marcelo Rebelo de Sousa, do PSD, ainda não declarou-se candidato. Mesmo assim, ele lidera as pesquisas da Eurosondagens, que apontam vitória ainda em primeira volta. André Ventura, do Chega, e Ana Gomes, ex-eurodeputada do PS mas ainda sem partido para as eleições, estão técnicamente empatados devido a margem de erro. Em 2016, Marcelo venceu em primeira volta, porém, mais de 50% dos aptos a votar não estiveram presentes no dia da eleição.

Os 8 pré-candidatos já falaram sobre suas candidaturas, e apontam que Marcelo desistiu de governar ainda no cargo, mesmo que as pesquisas apontem uma satisfação grande da população com o atual mandatário.

Resta saber se a atual situação pandemica que vivemos estará melhor solucionada até lá, ou se, com o aumento no número de casos, a eleição será mantida para Janeiro.

Presidenciais 2021: conheça os candidatos

Palácio de Belém - PRESIDENCIA.PT

Fonte: presidencia.pt

Está a terminar o mandato do Professor Marcelo Rebelo de Sousa, que foi eleito, em 2016, com 52% dos votos. Assim, surgem novos nomes para ocupar o seu lugar, em 2021.

Dos votos aos resultados das Presidenciais 2016: o filme da jornada eleitoral

Fonte: RTP1

 

Após muita discussão, já se apresentaram os nomes e já se discutiram as ideias de cada candidato às eleições presidências de 2021.

– Ana Gomes:

Apresentou a sua candidatura “apenas pelos portugueses e por mais ninguém”. Na sua visão, “Os portugueses precisam de transparência e essa é uma marca da minha campanha.”

“Candidato-me porque acredito que Portugal precisa de uma Presidência diferente. De uma Presidente que dê garantias de independência. Que sirva o interesse nacional, e que não tenha medo de ir contra interesses instalados”, afirma.

Ana Gomes: Há demasiado encosto entre Presidente e Governo - JN

Fonte: JN

– André Ventura:

Depois de ser o primeiro deputado eleito para a assembleia da república pelo partido CHEGA!, é agora também um candidato à presidência e critica o atual presidente:

“Marcelo Rebelo de Sousa é a face deste sistema, nasceu neste sistema, cresceu com este sistema e defende este sistema. Nós somos precisamente o oposto“, disse Ventura, citado pelo Jornal Económico.

“Estou convencido de que vamos ter uma segunda volta disputada entre mim e o professor Marcelo Rebelo de Sousa”, referiu André Ventura.

André Ventura defende casamento “gay ”e critica Salazar: “Atrasou-nos muitíssimo” | Chega | PÚBLICO

Fonte: Público

– Marisa Matias

a candidata “frente a frente” com Marcelo, afirma que “Portugal precisa da República, da liberdade e da igualdade que nos torna a todos e a todas responsáveis pela nossa gente. A República é a terra de mulheres e homens, de crianças e adultos, de brancos e negros, de imigrantes e emigrados, sem discriminações, sem intolerância, sem perseguições. A liberdade e a igualdade são as minhas bandeiras”.

Marisa Matias, candidata para “dar voz à gente sem medo” | Eleições presidenciais | PÚBLICO

Fonte: Público

– João Ferreira

Candidato anunciado pelo PCP. Jerónimo de Sousa informa que está será uma “candidatura e um candidato que estará agora onde sempre esteve e onde faltaram os Presidentes da República: junto dos trabalhadores e do povo, nas suas lutas pelos seus legítimos direitos, interesses e aspirações”.

João Ferreira: Reservado e austero - JN

Fonte: JN

– Tino de Rans

Pela segunda vez, O antigo Presidente da Junta de Freguesia de Rans será candidato a Presidente da República nas próximas eleições. Quando se candidatou, afirmou que a sua “candidatura é muito forte, feita de gente simples onde a qualidade impera”.

Tino de Rans é candidato às presidenciais para “ir à Liga Europa, mas também à Champions” | Presidenciais | PÚBLICO

Fonte: Público

– Tiago Mayan Gonçalves

O fundador do Partido Iniciativa Liberal declarou, que seria candidato a Belém nas próximas eleições presidenciais, em 2021.

Num vídeo por si publicado, afirma ser candidato “para que um grande espaço político tenha em quem votar, um espaço político que congrega liberais, mas também pessoas que não se reveem num Presidente [Marcelo Rebelo de Sousa] que abdicou de o ser”.

Expresso | Candidato da Iniciativa Liberal a Belém apresenta-se: “Marcelo abdicou”

Fonte: Expresso

– Bruno Fialho

Candidato pelo PDR e defende que “Eu pretendo ser um candidato efetivamente de todos os portugueses e abrangendo todas as ideologias políticas, já que até sou candidato do centro, um centro que abrange toda e qualquer posição, desde que seja a mais correta a ser aplicada em determinado momento”.

Bruno Fialho, líder do PDR, anuncia candidatura “ao centro” para Belém | TVI24

Fonte: TVI24

 

Cristiana Vieira

Quem são principais candidatos às presidenciais de 2021?

Com o mandato do Marcelo Rebelo de Sousa a terminar num futuro próximo, começam já a surgir as habituais conversações sobre os possíveis e prováveis candidatos a ocupação de seu posto. Faltando cerca de dois meses conheça os melhores  colocados de acordo com a mais recente sondagem da Intercampus para o Jornal de Negócios e CM/CMTV.

A ex-eurodeputada Ana Gomes, que garante estar na corrida a Belém “apenas pelos portugueses e por mais ninguém”, de acordo com  a sondagem a candidata reúne agora uma intenção de 17,2%, mais 3,2 pontos percentuais do que em setembro, quando a sondagem foi concluída antes da socialista confirmar que estava na corrida para Belém.

A subida de Ana abala uma pouco Marcelo Rebelo de Sousa, que ainda não confirmou a recandidatura, e regista uma descida. As intenções de voto ao atual Presidente encontram-se nos 56,2%, segundo a Intercampus, menos 4% do que em setembro. Apesar disso, tem a mesma média das sondagens da eleições de 2016

André Ventura, o primeiro a anunciar a candidatura, também caiu, para os 8,2%, menos 1% do que no mês anterior.

Marisa Matias, já no seu terceiro mandato como eurodeputada no Parlamento Europeu, é apoiada pelo Bloco de Esquerda, mantém-se com 6,1%. Tiago Mayan Gonçalves, fundador do Partido Iniciativa Liberal, ganhou um ponto desde o mês passado, encontrando-se nos 1,5% agora

O inquérito da Intercampus teve em conta um universo de 609 entrevistas, feitas a 291 homens e 318 mulheres com mais de 18 anos e residentes em Portugal continental

Por Giovana Hernandes da Silva

 

ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS: Pesquisas apontam Vitória de Marcelo no primeiro turno

Com 61%, o atual presidente aparece em primeiro lugar nas intenções de voto, seguido por Ana Gomes e André Ventura.

Segundo o inquérito realizado pela TSF entre os dias 22 e 26 de outubro, Marcelo Rebelo de Sousa é o candidato à presidência com mais intenções de voto para as eleições a serem realizadas em janeiro de 2021.

Com 62,5% dos votos, Marcelo lidera quando se leva em conta região, idade e classe social – possuindo alguma vantagem, nesse caso, entre as classes sociais mais baixas.

Em segundo, a candidata Ana Gomes ganha destaque com 17,2% das intenções de voto tendo como maioria em seus potenciais eleitores pessoas idosas de classe média alta.

Infografia – JN

Com uma diferença de 45pp, os dois candidatos dividem atenção nas urnas e dentro do partido: diante da escolha de apoiar um dos dois candidatos, o PS optou pela liberdade de voto, limitando-se a uma avaliação positiva do mandato do atual presidente e descrição de Ana Gomes como “distinta, militante e positiva” por parte de alguns dirigentes.

Dentre as outras opções de voto, André Ventura aparece com 10pp de diferença comparado à Ana Gomes ocupando o terceiro lugar com 7,6% das intenções de voto, enquanto Marisa Matias, em quarto lugar, conta com 4,7% das intenções. Em seguida, com menos destaque, temos também como candidatos João ferreira com 1,6%, Tiago Mayan com 1,5% e, por último, Tinos de Rans, com apenas 0,3%.

Diante das semelhanças e divergências dos candidatos ao governo português em 2021, a disputa entre os 3 primeiros líderes de pesquisa é alvo de debates e divide opiniões, como analisado pela SIC Notícias, no dia 19 de maio deste ano.

 

Por Sarah Spindola Martins.