Presidenciais: Ventura acusa Marcelo de ser o Presidente “mais cúmplice” com o Governo

Lusa/Tiago Petinga

André Ventura considera que Marcelo Rebelo de Sousa é “o Presidente mais cúmplice da história” desde o 25 de abril, servindo de “para-raios” do primeiro-ministro, António Costa.

Em entrevista à Agência Lusa, na quinta-feira, o presidente do Chega denunciou a atitude do atual Presidente da República de “não hostilizar o Governo PS”. Segundo Ventura, se o Governo “muda para a direita”, a reeleição de Marcelo torna-se “mais difícil”.

A cumplicidade do atual Presidente com o Governo é visível, por exemplo, “no apelo sucessivo para aprovar os Orçamentos do Estado”, refere André Ventura. O presidente do Chega afirma que Marcelo Rebelo de Sousa “foi sempre o para-raios de António Costa” e seu Governo “quando o tom subia na Assembleia da República”.

Ventura tem vindo a criticar duramente Marcelo. Já no discurso de apresentação da sua candidatura à Presidência da República (a 29 de fevereiro de 2020), André Ventura alegou: “a minha diferença para Marcelo Rebelo de Sousa é que (…) não me meto de joelhos para ter o apoio do PS“.

Para André Ventura, as eleições presidenciais de janeiro de 2021 podem revelar-se uma “luta difícil”. Mesmo assim, o candidato está convicto de que vai “ter o dobro daquilo que as sondagens” prevêem e de que vai disputar uma segunda volta.

A mais recente sondagem da Aximage para a TSF e o JN aponta para a vitória, à primeira volta, de Marcelo Rebelo de Sousa, com 62,7% das intenções de voto. Ana Gomes surge em segundo lugar, com 17,2%, e em terceiro, André Ventura, com 6,7%.

 

Verónica Romano