Legislativas 2019: PSD vence em Fajões (Aveiro) em luta acesa com PS

 

 

 

 

 

Ao olhar em detalhe para a freguesia de Fajões, no distrito de Aveiro, verifica-se que o PSD foi o partido mais votado, seguido do partido socialista. O Bloco de esquerda surge na terceira posição.

Na vila pertencente ao concelho de Oliveira de Azeméis manteve-se a tendência das eleições legislativas de 2015 com o PSD a assegurar a vitória com 36,60%, equivalente a 546 votos.  Uma diferença de 42 eleitores para a segunda força política mais votada na freguesia fajoense, o partido socialista, que registou menos 2,82 pontos percentuais, recolhendo 33,78% das intenções de voto.

O Bloco de Esquerda reforçou a sua posição de terceira força política de maior relevância ao registar 8,85%, mais 1 ponto percentual face às eleições de 2015. O partido com maior representatividade a seguir ao de Catarina Martins foi o CDS, liderado por Assunção Cristas, conquistando 5,83%.

De salientar ainda que o PAN foi o partido que mais cresceu relativamente às legislativas anteriores, alcançando uns inéditos 2,61%, face aos 0,51% de há quatro anos. Em sentido contrário, encontra-se a CDU que registou uma descida de 1,44 pontos percentuais quando comparada a 2015, fixando-se nos 2,35%.

No panorama dos partidos sem representação parlamentar, destaca-se o RIR, cujo líder é Vitorino Silva, e o Livre. O primeiro reuniu 1,54%, ficando à frente de partidos que conseguiram eleger um deputado à Assembleia da República como é o caso da Iniciativa Liberal, ao passo que o segundo obteve 0,74%.

É ainda de destacar que a taxa de abstenção se situou nos 45,09%, inferior à média nacional (45,49%), tendo sido possível contabilizar 1492 de 2717 votantes, o equivalente a 54,91% dos eleitores.

No que concerne aos resultados eleitorais do distrito de Aveiro verifica-se que o PSD foi o partido mais votado em nove concelhos (Aveiro, Arouca, Albergaria-a-Velha, Anadia, Ílhavo, Oliveira do Bairro, Murtosa, Sever do Vouga e Vagos), menos nove do que em 2015, quando concorreu coligado com o CDS-PP.

Quanto ao PS, venceu na Mealhada, único concelho do distrito onde tinha vencido em 2015, e em mais nove concelhos (Águeda, Oliveira de Azeméis, Ovar, Feira, Espinho, Estarreja, Castelo de Paiva, Vale de Cambra e São João da Madeira).

Assim, de 147 freguesias apuradas no distrito de Aveiro, o PS ficou pela primeira vez na última década à frente do PSD, passando a ser o partido mais votado neste círculo, num total de quatro eleições legislativas. Os socialistas asseguraram sete deputados, com 34,31%, (27,91% em 2015), contra os seis deputados dos sociais democratas, para 33,55% dos votos.

Desde 2009 que o PSD se fazia impor em Aveiro, tendo, inclusive, em 2015 chegado a eleger, coligado com o CDS, uma dezena de deputados (48,14%), comparativamente com apenas cinco do PS. Desta vez os socialistas recuperaram dois assentos parlamentares no distrito de Aveiro.

O Bloco de Esquerda foi outro dos vencedores da noite eleitoral, ao reforçar a sua votação de 9,6% para 9,96%, conseguindo passar de um para dois deputados pelo círculo de Aveiro. O CDS, com 5,69%, assegurou um lugar no Parlamento.

A CDU também sofreu uma queda, perdendo 5.300 votos relativamente a 2015, e falhou mais uma vez a meta de eleger o primeiro deputado pelo distrito aveirense.

No diz respeito aos deputados eleitos por cada um dos partidos, o PS elegeu Pedro Nuno Santos, Cláudia Cruz Santos, Filipe Neto Brandão, Porfírio Silva, Susana Correia, Hugo Oliveira e Joana Sá Pereira. Quanto aos ao PSD apostou em Ana Miguel Santos para cabeça de lista, António Topa, Helga Correia, Bruno Coimbra, Nuno Neves e Carla Madureira.

Por sua vez o Bloco de Esquerda escolheu Moisés Ferreira e Nelson Peralta como seus representantes. Já o CDS-PP reelegeu João Almeida, fazendo um total de 16 deputados eleitos.

 

Fábio Lopes