Legislativas 2019: CDS recua e PAN continua em ascenção

 

 

A sondagem diária da Pitagórica para a TVI, TSF E JN denuncia uma descida de quase um ponto nas intenções de voto por parte do CDS (4,4%). O partido fica em quinto lugar, imediatamente à frente do PAN (3,7%), que continua em subida.

De acordo com a sondagem, não há alterações nas posições relativas: com 36% das intenções de voto, o PS está em descida, mas continua a liderar. Os socialistas estão agora mais próximos dos resultados das legislativas de 2015.

Com uma diferença de 7,5 pontos percentuais, o segundo lugar é ocupado pelo PSD (28,5%), que, pelo contrário, apresenta uma subida.

O Bloco de Esquerda (10,5%) ocupa, tal como em 2015, o terceiro lugar e regista a recuperação mais forte. A CDU (6,8%) sofre uma ligeira subida, apesar de uma diferença de menos 1,6 pontos relativamente às últimas legislativas.

Entre os que ainda lutam para chegar ao parlamento, tem-se os percursos inversos de dois partidos de Centro Direita: o Iniciativa Liberal sobe nas intenções de voto (1,2%), ao mesmo tempo que desce o Aliança (0,5%). O Livre, mais à Esquerda, atinge os 0,9%.

A lista de candidatos para as eleições de 6 de outubro pode ser consultada no site oficial das legislativas de 2019.

 

Ficha técnica:

O objetivo do estudo é a avaliação da opinião dos eleitores portugueses sobre temas relacionados com as eleições, nomeadamente, intenções de voto.

Durante quatro dias (20 a 23 de setembro) foram recolhidas diariamente pela Pitagórica para a TVI, JN e TSF uma sub-amostra de 150 entrevistas telefónicas representativa do eleitorado português, tendo por base os critérios de idade, género e região.

Este trabalho utiliza uma amostra de 600 indivíduos, com um grau de confiança de 95,5%, correspondente a uma margem de erro máxima de ±4,07%. Os entrevistados foram selecionados através da geração de números de telemóvel aleatórios e, para apoiar o cumprimento do plano amostral, de telefone fixo, mantendo a proporção das três principais operadoras de rede identificadas pela ANACOM.

A taxa de resposta foi de 60,98% e a direção técnica do estudo é da responsabilidade de Rita Marques da Silva.

 

Ana La-Salete Silva