Legislativas 2019: PS consegue maioria em Santo Tirso (Porto)

 

Partido Socialista inverte os resultados de 2015 e vence as eleições legislativas de 2019 na União das Freguesias de Santo Tirso.

Nas eleições legislativas de 2019, o Partido Socialista (PS) conseguiu obter mais votos na União das Freguesias de Santo Tirso, Couto (Santa Cristina e São Miguel) e Burgães, o que representou uma viragem nos resultados das últimas eleições, já que habitualmente é o Partido Social-Democrata (PSD) que consegue os melhores resultados.

Localizado numa zona rural, a meia-distância entre Porto e Braga, o município de Santo Tirso é uma região com uma implantação religiosa muito forte e, consequentemente, de grande conservadorismo político.

Por isso, ao longo dos anos, Santo Tirso tem sido um bastião Social-Democrata e é a terra natal de algumas figuras proeminentes do PSD, como por exemplo Mário Montalvão Machado ou Eurico de Melo, ambos fundadores do partido e que desempenharam cargos importantes em vários governos.

Fruto dessa influência, o PSD sempre obteve resultados eleitorais muito fortes nesta região e mesmo depois do governo de Passos Coelho/Troika, o resultado foi favorável ao partido.

Curiosamente, no âmbito das eleições autárquicas, tem ocorrido a chamada “alternância democrática” em que o PS e o PSD vão-se revezando no comando dos destinos do município.

Entretanto, em 2019 a tendência dos últimos anos nas eleições legislativas alterou-se, levando à vitória do Partido Socialista com uma de percentagem 42,30%, resultado que representa uma subida bastante relevante comparativamente a  (36,53%).

O PSD por outro lado, que em 2015 fez uma coligação com o Partido Popular (CDS-PP), desceu a percentagem de votos em mais de 10%. O resultado do partido foi de 29,07% ocupando o segundo lugar na lista de mais votados.

Em resultado a estas votações foram eleitos 39 deputados no distrito do Porto. O PS conseguiu eleger 14 deputados tais como Alexandre Quintanilha, José Luís Carneiro e Maria Isabel Coelho Santos e o PSD conseguiu igualmente 14 deputados como por exemplo José Pedro Aguiar-Branco, Marco António Costa e Emília de Fátima Moreira Santos.

Leonor Faria