Fake news no Brasil é tema da VI Conferência de Ciberjornalismo

O Brasil passa por um momento conturbado em sua política e o uso de redes sociais foram marcantes para a propagação de notícias falsas.

 

A VI Conferência de Ciberjornalismo, sediada na Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP), teve um foco nas ameaças recentes às notícias, com enfoque nos media online. Em uma das palestras que decorreu no primeiro dia (22/11), o tema em destaque foi o cenário das iniciativas a combate às fake news no Brasil, o qual foi abordado pela Pr. Dr. Elisabeth Saad da Universidade de São Paulo (USP).

Esta começou por abordar generalizadamente o contexto atual da sociedade mundial, a presença e propagação das fake news e o seu peso nas diversas esferas da sociedade. Após esta breve introdução, o tema incidiu fortemente no quadro brasileiro, principalmente pelas recentes eleições no país que acabou sofrendo bastante com a enorme repercussão deste tipo de conteúdo falsificado. Elisabeth mostrou os diversos níveis das fake news, do que é danoso e contra a ética jornalística e que não pode ser classificado como notícia e os que são informações levemente adulteradas para atrair o público leitor.

Em diversos gráficos e quadros de informação, Saad também expõe as principais fontes de informação e como são acessadas por grande parte da população. As plataformas sociais parecem ser o principal ponto de destaque para a divulgação de notícias e isto constitui, de acordo com a professora doutora, um desafio a se superar no país. Um quadro de esperança para a população, segunda Saad, é o crescimento das coalizões de comprovação de notícias que, devido a polarizada eleição deste ano, acabaram tendo um enorme crescimento recente. O pós-eleição, diz ela, parece ser um quadro de otimismo para a sociedade.

Por fim, Elisabeth conclui que o jornalismo deve ser ensinado de uma forma acadêmica e profissional, com a devida demonstração da ética da profissão. Para ela, os estudantes devem ser bem instruídos em suas funções para a sociedade, com a ética e a moral.

Em antecipação a conferência principal houve diversos alunos e pesquisadores que expuseram suas pesquisas em temas da área, com principal enfoque na situação atual das notícias no Brasil. Foram introduzidos termos como o infocalypse, o qual seria definido pelo grande derrame de informação e um bombardeamento de notícias falsas. Além disso, foi levantado o facto que a polarização política e social da sociedade aumenta a quantidade de fake news devido a vontade das pessoas de se sentirem corretas na escolha de um candidato ou na adoção de uma ideologia. Foram também mostradas formas como redes sociais como o Facebook e Twitter tentam diminuir o fluxo desse tipo de conteúdo.

Uma das conclusões gerais das apresentações foi a influência que as fake news tem nas diversas camadas da sociedade, sendo política, social ou economicamente. Na formação dos indivíduos da população brasileira nos jornalistas e na divulgação de informação. A Conferência de Ciberjornalismo ocorre de dois em dois anos e pode ser acessada nos sites para inscrição.

Pedro Figueiredo Nogueira