Pós-verdade: ameaça ao ciberjornalismo, debatida na FLUP

Pós-verdade é o fenómeno através do qual a opinião pública reage mais a apelos emocionais e a crenças do que a factos concretos. É também um dos temas a ser discutido na Faculdade de Letras do Porto, em novembro.

Eleita a palavra do ano em 2016, pelo dicionário Oxford e muito presente no panorama do ciberjornalismo, a era da pós-verdade é marcada pela atribuição de importância a fake newsNo entanto, não implica necessariamente uma mentira. Especialistas falam da falta de influência dos factos para moldar a opinião pública. Pós-verdade representa a verdade com uma importância secundária.

O fenómeno foi pela primeira vez enunciado em 2004, por Ralph Keys, no livro The Post-Truth Era: Dishonesty and Deception in Contemporary Life. Mas, só foi despoletado durante as eleições presidenciais dos Estados Unidos, sendo, desde aí, muito comum no contexto político.

Em novembro, a Faculdade de Letras do Porto recebe a temática da pós-verdade. Debate-se a ideia de uma verdade que ficou para trás e o limite entre a verdade e a mentira e entre a ficção e não ficção.

É uma das ameaças ao ciberjornalismo a ser debatida no VI Congresso Internacional de Ciberjornalismo, durante os dias 22 e 23 de novembro.

Margarida Magalhães