Congresso de Ciberjornalismo vai debater as ameaças ao jornalismo online na FLUP

“Ameaças ao Ciberjornalismo” é o tema selecionado para o VI Congresso Internacional de Ciberjornalismo, a decorrer entre 22 e 23 de novembro na Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Marque na sua agenda: durante os dias 22 e 23 de novembro, a Faculdade de Letras da Universidade do Porto acolhe um conjunto de palestras sobre os fenómenos que ameaçam o ciberjornalismo.

O mote da sexta edição do Congresso Internacional de Ciberjornalismo é “fazer um diagnóstico global, perceber causas, contextos e efeitos, e procurar soluções para fazer face às ameaças à produção na e para a Internet de um jornalismo de qualidade”, conforme pode ler-se na página do evento.

A conferência de abertura tem como orador Walter Dean, diretor pedagógico do Committee of Concerned Journalists, com o título The Tyranny of ‘hits’ – How an emphasis on big numbers and flawed analytics has changed reporting. O debate que dá nome ao congresso – e que conta com a presença de Miguel Soares, Pedro Miguel Santos, Sérgio Sousa e Sofia Branco -, assim como a entrega dos Prémios de Ciberjornalismo 2018, são outros momentos-chave do primeiro dia.

Ao longo dos dois dias, vão ser discutidos mais tópicos associados ao ciberjornalismo, com a participação de Fernando Zamith e Raquel Bastos (Universidade do Porto), João Canavilhas (Universidade da Beira Interior), Manuel Pinto (Universidade do Minho), Margarete Vieira Pedro (Universidade Metodista de São Paulo) e Elizabeth Saad Corrêa (Universidade de São Paulo). A conferência de encerramento fica a cargo de Nora Paul (Universidade do Minnesotta). O programa completo encontra-se disponível para consulta.

A primeira fase de inscrições no Congresso vai até 15 de outubro. Para estudantes, o preço é 10€; outros participantes, 50€. Os interessados em assistir ao Congresso que não tenham submetido a sua inscrição a tempo poderão fazê-lo na segunda fase, de 16 de outubro a 20 de novembro.

São estes os tópicos em debate no congresso:

Fake news;
Pós-verdade;
Clickbait;
Conteúdos patrocinados;
Fim da neutralidade da Internet;
Desinformação;
Imediatismo e publicação sem verificação;
Infotainment;
Sensacionalismo;
Conteúdos virais;
Manipulação;
Enviesamento;
Descontextualização;
Autoedição;
Publicação amadora;
Anonimato;
– Sedentarismo;
– Produção multitarefa;
Desinvestimento;
– Desintermediação;
Desregulação;
– Precariedade;
Redes sociais;
Motores de busca e Agregadores;
Rapinagem de conteúdos;
Tráfico de dados pessoais;
Publicidade intrusiva e Ad blockers;
Automatização e Robôs.

João Couraceiro / Turma 4