Revista de Imprensa

Os destaques desta sexta feira, dia 16 de dezembro, vão para o possível aumento do ordenado mínimo nacional e o estado da venda do Novo Banco.  A recomendação da Organização Internacional do Trabalho para a subida do salário mínimo assim como o adiamento da venda do Novo Banco, são os temas mais abordado nas primeiras páginas dos jornais.

“Conta da luz castiga famílias: tarifas sobem 1,2% em janeiro; preços acima da inflação; consumidores penalizados por rendas das energias renováveis” é o principal destaque do Correio da Manhã (CM).

O Jornal de Notícias (JN) salienta o reforço policial durante o período natalício que se avizinha; estão destacados mais de 10 mil elementos das equipas do Corpo de Intervenção.

O JN refere a vitória dos portistas: “FC Porto 2-1 Marítimo: “Comandante” Brahimi; argelino marcou e deu a marcar; azuis e brancos ficam a um ponto da liderança e pressionam Benfica”. Já o CM abordou o mesmo assunto usando a manchete: “FC Porto vence o Marítimo por 2-1; Brahimi e André Silva marcaram os golos dos Dragões.

O Correio da Manhã escreve ainda sobre a perda do processo da Doyen Sports por parte do Sporting, tal como o Jornal de Notícias, que sublinha que Bruno de Carvalho está obrigado a pagar 15,6 milhões à Doyen.

“Paulo Macedo arrisca-se a entrar na CGD com equipa e meio gás: a 15 dias de Domingues sair da liderança da Caixa, Governo não entregou a BCE os nomes para a futura liderança do banco; estratégia passa por obter aprovação para uma administração em duas fases” é o destaque do jornal Público.

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) aponta o aumento do salário mínimo e da negociação coletiva a partir de janeiro como a única forma de diminuir desigualdades salariais, está na agenda do Diário de Notícias, Observador e Rádio Renascença.

O Observador noticiou a possibilidade da derrapagem da venda do Novo Banco ser adiada para janeiro. A TSF também explorou este tema.

 

Joana Guimarães