“Jornalismo para Dispositivos Móveis” em debate na Covilhã

O Congresso de Jornalismo para Dispositivos Móveis (JDM) regressa à Universidade da Beira Interior (Covilhã), nos dias 22 e 23 de novembro de 2016. Nesta 3.ª edição do evento vão estar em debate os desafios e potencialidades das novas tecnologias no jornalismo.

Em debate vão estar os temas “Formas de distribuição de conteúdos para dispositivos móveis”, “Modelos de negócio para o jornalismo móvel”, “Novas linguagens e novos formatos jornalísticos” e “Os dispositivos móveis como ferramentas de produção”. A discussão de cada um destes temas vai contar com a exposição de cinco trabalhos, previamente aprovados.

Ramón Salaverría, diretor do Center for Internet Studies and Digital Life e professor titular de jornalismo na Universidade de Navarra (Espanha), está encarregue da conferência de abertura da 3.ª edição do JDM. Durante os dois dias, o congresso vai contar com um painel de oradores nacionais e internacionais.

A mesa de jornalistas vai ser composta por profissionais do meio, nomeadamente Alexandre Brito, subdiretor de Informação da RTP, Diogo Queiroz Andrade, fundador do Observador, Rui da Rocha Ferreira, diretor-editorial do Future Behind, e Miguel Martins, que já foi jornalista no Público, no Expresso, na SIC Notícias, no Correio da Manhã e na CMTV.

Eduardo Campos Pellanda, professor de graduação e pós-graduação da Famecos-PUCRS e membro do Advisory Board do GAMI, vai ser o orador da conferência de encerramento.

Os workshops decorrem entre os dias 21 e 23 de novembro. Rita Paulino, Pedro Monteiro e Iryna Shev serão os orientadores dos mesmos.

A inscrição no Congresso é gratuita, mas obrigatória. Para os investigadores que apresentam o seu trabalho, a inscrição tem um custo de 50 euros. O preço de inscrição nos workshops variam entre 5 e 20 euros, estando todas as sessões limitadas a um máximo de 20 pessoas. A inscrição deve ser feita diretamente no site da JDM, onde constam todas as informações pormenorizadas do Congresso.

A evolução tecnológica tem impacto inegável no jornalismo. O debate acerca da relação que o jornalismo deve estabelecer com o cibermeio torna-se imperativo. À semelhança da Universidade da Beira Interior, também a Universidade do Porto vai debater o tema na V edição do Congresso Internacional de Ciberjornalismo (#5COBCIBER).

Mónica Azevedo, Turma 5