O jornalismo em 2025: o que mudou na última década

O jornalismo é uma ferramenta fundamental no processo de formação de opinião e enfrenta a cada dia que passa uma fase de transição a aprimoramento para as plataformas digitais.

Em uma das palestras ministradas na III Jornada ObCiber, da Faculdade de Ciências da Comunicação da Universidade do Porto, o tema abordado foi a evolução do jornalismo em uma década, entre 2015 e 2025 e fez com que alguns novos pontos de vista surgissem em mim.

O palestrante João Canavilhas me fez concordar e refletir sobre alguns pontos de vistas e abrir ainda mais a visão sobre como temos muito que esperar da interação das pessoas com o jornalismo online.

Dentre os temas abordados um me chamou a atenção. A mudança no consumo, na distribuição e nos conteúdos voltados ao jornalismo, numa comparação entre o passado, 2015 e 2025 é mais do que notável e imperceptível ao mesmo tempo.

É possível notar, por exemplo, que o consumo das notícias passou por uma transição do grupal, como na época do rádio, para a era do consumo individual, em 2015, quando cada vez mais os acessos são feitos em smartphones, e chegou na social, em 2025, quando o consumo de informações é feito dentro das redes sociais.

Foi possível perceber ainda que a distribuição das notícias tende a ser em 2025 instantâneas e ainda mais rápidas. A tecnologia possibilitou que ela deixasse de ser periódica (passado), adaptada (2015) e que chegassem em um segundo momento a instantaneidade (2025), ficando disponível a qualquer momento para seus leitores.

Penso que o real motivo destas transições é a preocupação do ciberjornalismo de estar onde as pessoas estão e de querer acompanhar a evolução dos seus leitores, criando um evoluído conceito de jornalismo online.

Uma análise muito válida e bem feita da parte do palestrante, uma vez que avançar 10 anos e olhar para trás é uma ótima maneira para se falar da história do ciberjornalismo. São hipóteses que poderão ser vistas e analisadas por nós, sabendo que daqui uma década estaremos aqui para avaliar como se deu tais processos de transição e transmissão da notícia.

Portanto é possível perceber que em 2025 a informação será adaptada ao utilizador e suas circunstâncias com conteúdos personalizados, abertos e instantâneos, uma vez que o jornalismo precisa de fato evoluir junto com seus leitores e permanecer onde as pessoas estão.

 

Gabriel Buosi