Revista de imprensa – 30 de Setembro

Os principais jornais portugueses têm hoje manchetes e assuntos diferentes nas suas capas. Ainda assim, o jogo entre o Sporting e o Chelsea, o rescaldo das primárias do PS e a manifestação de pró-democratas em Hong Kong são os principais temas do dia.

Ainda no seguimentos das primárias socialistas, o Público avança que Álvaro Beleza foi desafiado a avançar contra António Costa nas diretas do PS. A foto de capa mostra as manifestações em Hong Kong, que têm como objetivo a revolução pacífica rumo à democracia.

Também o Metro destaca a manifestação na China. O jornal diário noticia que “Universitários projetam o seu futuro fora do país”, dizendo que 46% dos estudantes portugueses não se imaginam a trabalhar no seu país em 2020.

“Mãe fazia orgias com filha de 4 anos” é a notícia de abertura do Jornal de Notícias, que denuncia também outros crimes sexuais espalhados pelo país. A foto de capa assinala a mudança da marca “Porto”, um ano depois da eleição do Presidente da Câmara, Rui Moreira, ter sido eleito.

O jornal I retorna o caso Tecnoforma, noticiando que o “DCIAP nega o acesso á contabilidade da empresa”. Fernando Medina, o sucessor de António Costa na Câmara Municipal de Lisboa, é o segundo assunto em destaque do jornal.

“Professores lesados nos concursos vão entrar nos quadros” e, mais uma vez, Fernando Medina dividem o protagonismo na capa do Diário de Notícias.

O Destak relembra com a fotografia principal que a “linha ferroviária que liga Cascais ao Cais do Sodré celebra hoje 125 anos”. Como manchete principal anuncia que os acidentes de trabalho estão em queda, sendo que uma em cada três empresas portuguesas têm pelo menos um sinistro por ano.

O Correio da Manhã, assim como os três principais jornais de desporto – O Jogo, A Bola e o Record – fazem menção à partida de logo à noite entre o Sporting e o Chelsea de José Mourinho, todos eles realçando que a equipa portuguesa vai ter de se superar para vencer a equipa inglesa. O CM noticia também a queda dos juros Euribor e do alívio por parte das famílias que conseguem poupar mais dinheiro mensalmente.

Já na secção economia, o Diário Económico tem como notícia principal “empresa imobiliária da CGD vai agravar dívida pública em 400 milhões”. A referência à entrevista a João Couto, diretor-geral da Microsift Portugal, também ocupa parte da capa do jornal.

O Jornal de Negócios também abre com uma entrevista, desta vez a Carlos Martins, acompanhada da citação “vamos construir dois navios para a Marinha nos estaleiros de Viana”. O facto de o aumento do salário mínimo ser temporário e dos clientes do Novo Banco ainda terem 1.400 milhões bloqueados também fazem manchete.

Por fim, o jornal Oje diz que “Costa desafia Tratado Orçamental”, ainda no seguimento das primárias do Partido Socialista. António Saraiva, presidente da CIP, faz também capa com uma citação: “Empresas nacionais que internacionalizam são prejudicadas no financiamento”.

Carolina Guimarães